Por que Sergipe ocupa o posto de 5º Estado mais pobre do País?

Habacuque, 07 de Janeiro, 2020 - Atualizado em 07 de Janeiro, 2020

O ano de 2019 se foi, mas deixou uma notícia que entristece a todos nós, sergipanos: segundo levantamento oficial do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) de 2017 – o último disponível – Sergipe figura como o 5º Estado mais pobre do País levando como parâmetro o PIB (Produto Interno Bruto, medida que avalia a riqueza produzida) do país. O dado é extremamente negativo, há sim de se lamentar e as pessoas precisam entender o que nos levou a este posto.

Estamos diante de um dado que afeta diretamente os ânimos do mercado e coloca em suspeição as previsões de investimentos, sem contar de dar aquela “esfriada” na população. Sendo um pouco didático, o PIB é conjunto de todos os bens e serviços finais produzidos em um país durante certo período de tempo. Tanto uma simples “coxinha” vendida em uma lanchonete quanto uma “mansão” construída em condomínio fechado entram no cálculo.

Um dos “impulsionadores” do PIB está concentrado nos gastos das famílias, na aquisição de bens ou serviços. Em síntese, quanto mais se consome, mais cresce o PIB; agora em um Estado onde os salários do funcionalismo já foi parcelado, está há sete anos sem reajuste e não é pago dentro do mês trabalhado, é difícil estabelecer esse controle. Em Sergipe, o servidor público trabalha para sobreviver. Não existe qualquer perspectiva.

Não basta apenas o sergipano diminuir o consumo para o PIB cair; some a isso esses outros fatores, sobretudo a deficiência do poder público. A elevação da renda do cidadão afeta diretamente o seu consumo, mas se o servidor não tem sequer a reposição inflacionária do período, se não recebe os salários em dia, como mudar esta realidade? Justiça seja feita, some aí outro aspecto que afetou diretamente o PIB em todo o País em 2017: os efeitos danosos da corrupção que imperava no governo federal.

Quem não se lembra do “rombo” deixado pelo Partido dos Trabalhadores após o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), quando quase “quebraram” a Petrobras, até então a maior estatal do País e uma das maiores do Mundo? A taxa de juros ficou nas alturas e o consumo do cidadão ficou ainda mais prejudicado. Ou seja, a realidade: quem tinha dinheiro preferiu guardar, preservar seus investimentos; quem não tinha, sofreu ainda mais...

Em um Estado sem perspectivas, devendo a fornecedores e ao funcionalismo, sem contar os juros altíssimos, qual o grande investidor que vai arriscar seu capital? Como expandir a atividade econômica? Se o “conjunto de fatores” não soma, que empresário vai gerar emprego e renda? O Governo de Sergipe não tem dinheiro para contrapartidas em obras e, por isso, não contrata pessoas e não adquire material de construção. Não movimenta recursos e isso também contribui! Não é à toa que Sergipe ocupa o posto de 5º mais pobre do País. Ou não?

 

Veja essa!

Nessa terca feira (7), o primeiro-suplente de Vereador por Aracaju,  sargento Jorge Vieira, informa a sua  desfiliação do Partido Democrático Trabalhista. O PDT é presidido no estado pelo Deputado Federal Fábio Henrique.

 

E essa!

Vieira pontua que deverá se filiar “em algum partido que trate seus integrantes de forma isonômica, democrática e que tenha compromisso verdadeiro com a sociedade”. Coincidentemente, a saída de Vieira se dá quando tudo se encaminha para a chegada do prefeito Edvaldo Nogueira e de seu grupo no PDT.

 

Adeus PCdoB!

O portal Faxaju confirmou, nessa segunda-feira (6), a saída do prefeito Edvaldo Nogueira do PCdoB. Segundo a reportagem o pedido de desfiliação após 39 anos na legenda já foi feito. Tudo indica que Edvaldo irá para o PDT, mas como a política é “dinâmica” e, pelo estilo do prefeito, é melhor esperar a confirmação...

 

Exclusiva!

Quem também está de “malas prontas” para mudar de legenda é o vereador de Aracaju, Lucas Aribé. Ele aguarda apenas a “janela” para deixar o PSB amigavelmente. A informação é que estará se filiando no Cidadania. Lucas está de olho na reeleição e o PSB, além de Elber Batalha, está trabalhando para atrair outros nomes para montar uma chapa competitiva para vereadores.

 

Alô Banese!

O Banco do Estado de Sergipe até o momento não se pronunciou sobre a denúncia já publicada que trata que sobre a não realização de uma auditoria no Clube do Banese por quase 10 anos. Por que o silêncio? Falando no Clube, como perguntar não ofende nunca, quem são os membros do conselho fiscal? Quem responde pelo Conselho desde 2011, por exemplo? É tanto mistério que “”só Deus é quem sabe!”...

 

Clube do Banese

Sabe-se que um grupo de servidores do Banco está empenhado em promover uma ampla auditoria nos contratos firmados pelo Clube, como de locação do espaço para eventos, que pelo visto serão devidamente analisados, inclusive se existiram cortesias e quais foram os critérios adotados. Não custa lembrar que as despesas são custeadas pelos funcionários do Banese com a participação da instituição. Vão verificar também o acumulado de associados do Clube ao longo desses anos..

 

Ainda o Banese

No dia 24 de Setembro de 2019, a Febraban (Federação Brasileira de Bancos) lançou o Sistema de Autorregulação de Operações de Empréstimo Pessoal e Cartão de Crédito com pagamento Mediante Consignação. A ideia é possibilitar o bloqueio das impertinentes ofertas de empréstimo consignado, tanto pelos bancos, como pelos seus correspondentes e clientes.

 

Prática boa

Considerada uma excelente prática, muitos bancos aderiram voluntariamente ao sistema, inclusive unidades Estaduais, como o Banrisul e o BRB de Brasília. Entretanto os dirigentes do Banco do Estado de Sergipe (Banese) não aderiram ao sistema e quem é do ramo ficou sem entender, como uma iniciativa que é positiva para os demais não pode ser implantada para os sergipanos?

 

Cliente ou SE Promotora?

Este colunista apurou outro detalhe: com a autorregulação, as instituições financeiras deixarão de remunerar as empresas correspondentes dos bancos pela portabilidade da operação de crédito consignado ou pelo refinanciamento dela antes de 360 dias, contados da data do negócio. Seria por conta disso, então, que o Banese não aderiu ao novo sistema? Nesse caso quem deve ser priorizado: o cliente ou a correspondente do banco, a SE Promotora (Ponto Banese)?

 

Cidadania Aracajuana

Foi questionado por este colunista o título de Cidadão Aracajuano, concedido pelo vereador Américo de Deus para o chefe de inspetoria do Banese. O espaço reforça a legalidade da iniciativa, mas reforça a resolução 4588/2017 do BACEN e as normas do Instituto Internacional de Auditoria, onde não se permite o envolvimento de auditores em relacionamentos que prejudiquem ou possam o julgamento imparcial do profissional. 

 

Vai processar

O inspetor recebeu a condecoração do vereador que passou muitos anos na presidência do Clube do Banese e, durante este período, o Banco não promoveu nenhuma auditoria. O vereador Américo de Deus, que até então não foi acusado de nada, até porque ele já não responde pelo Clube desde 2017, anunciou que vai acionar este colunista judicialmente para “provar as denúncias” e para responder por “injúria, calúnia e difamação”.

 

Alô Américo de Deus!

Este colunista pede licença aos leitores para responder ao vereador, no mesmo tom que o fez via redes sociais: “o direito de resposta solicitado na coluna foi dado e o vereador fique à vontade (para qualquer ação judicial). Quem não deve, não teme qualquer processo. Gostaria que fosse mais claro sobre injúria, calúnia e difamação até porque o vereador não foi acusado em nada”.

 

Aqui não!

O colunista estranhou que o Banese não se posicionou sobre nada, mas o vereador “tomou as dores”. Se a intenção era intimidar o titular do espaço, este jornalista avisa que vai continuar incomodando e se aprofundando para tornar, o mais transparente possível, tudo o que estiver relacionado ao Banco dos sergipanos...

 

STF

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, suspendeu trechos de lei sergipana que restringia os membros do Ministério Público (MP) estadual que poderiam constar na lista tríplice para chefiar o órgão local. A decisão foi proferida na Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 6294, ajuizada pela Associação Nacional do Ministério Público contra expressões do artigo 8º da Lei Complementar Estadual 2/1990, com redação dada pela Lei Complementar 332/2019.

 

Alô MPE!

O dispositivo determina a escolha do procurador-geral de Justiça dentre procuradores e promotores de Justiça de entrância final, que estejam no primeiro quinto do quadro geral de antiguidade da carreira. Além disso, estabelece tempo de 15 anos de carreira para que possa se habilitar ao pleito.

 

Decisão

O presidente da Suprema Corte lembrou que, de acordo com a Constituição Federal, o procurador-geral deverá ser escolhido pelo governador, a partir da lista tríplice. Reforçou também que a Lei Orgânica Nacional do MP definiu que a eleição da lista ocorrerá entre os integrantes da carreira.

 

Dias Toffoli

Examinando a plausibilidade jurídica do pedido para a concessão da medida cautelar, o presidente ressaltou que, além da violação material à Constituição Federal, a edição da norma estadual invadiu a competência legislativa da União, o que evidencia também a ocorrência de inconstitucionalidade formal. Toffoli assinalou também que o risco da demora está configurado, tendo em vista a periodicidade do exercício do cargo de procurador-geral de Justiça.

 

Promotores

Ao suspender a eficácia das expressões, Dias Toffoli deu interpretação ao dispositivo de modo que se entenda que a nomeação do procurador-geral deva ser feita pelo governador do Estado com base em lista tríplice encaminhada com o nome de membros do MP. O resultado é uma conquista que nasceu da luta dos promotores de Justiça sergipanos, Manoel Cabral Machado Neto, Etélio de Carvalho Prado e Nilzir Soares Vieira Júnior.

 

Almeida Lima I

Em entrevista ao portal Universo Político, o ex-senador Almeida Lima (PV) não apenas ratificou sua pré-candidatura a prefeito de Aracaju, como também já deu o tom que adotará em relação a seus adversários. Almeida disse que não quer a companhia da “política viciada e já enojada pelo povo” e nem dos “setores empresariais ligados ao Poder”.

 

Almeida Lima II

Sobre o deputado e radialista Gilmar Carvalho, Almeida foi um tanto “provocativo”: “Eu tenho 66 anos de idade e com muita aptidão para o trabalho, como faço desde os seis anos de idade, quando minha mãe me orientava a vender cocadas e bolinhos de ovos nas manufaturas de calçados próximas à minha residência, em Dores. Graças a Deus não estou doente, nem sou incapaz. Isso fica para quem, até com menos idade que eu, a exemplo de Gilmar Carvalho, que já se aposentou”.

 

Natal Solidário

Muito bem avaliada a segunda etapa do Natal Solidário, que foi realizada no Ponto de Encontro Comunitário (PEC) do Conjunto Manoel do Prado Franco, e atendeu as comunidades carentes do município de Laranjeiras. O evento foi organizado pela TransBalla do proprietário PEPA, Central de Transportes de José Lopes e Farmácia do Émerson, e a realização da Imagem Produções.  O evento também contou com diversas doações das pessoas que de forma generosa atenderam o apelo da coordenação do Natal Solidário.

 

Alô Amparo!

Não pegou nada bem a decisão da administração municipal de demitir três componentes da banda de frevo da cidade que vinham cobrando seus direitos: queriam receber o pagamento pelo Carnaval de 2019! É mole? O pessoal percorreu a cidade, embaixo de sol e forte calor, animando os bloquinhos nas ruas e só receberam essa semana, mediante forte pressão, mas com uma exigência: os três “reclamões” deveriam ser afastados da banda. Isso pode, Arnaldo? Perseguição pequena e injusta...

 

CRÍTICAS E SUGESTÕES

habacuquevillacorte@gmail.com e habacuquevillacorte@hotmail.com

 

O que você está buscando?