Serve a ricos e pobres! SAMU não precisa de um “dono”, mas de investimentos!

Habacuque, 07 de Março, 2020 - Atualizado em 07 de Março, 2020

Um político genuinamente sergipano bastante experiente e com muitos serviços prestados ao Estado, certa vez apresentou um ensinamento que este colunista guarda para a vida: em tempos difíceis, tudo é importante, mas o gestor público tem a obrigação de identificar o que é fundamental. O pensamento vem de uma das “mentes mais brilhantes” de Sergipe: o ex-deputado (estadual e federal) e empresário José Carlos Machado (DEM). O conselho é extensivo para todos, inclusive para cidadãos comuns, para pais de famílias.

Dando um “mergulho” na realidade, este colunista chega a Sergipe, mais precisamente ao governo de Belivaldo Chagas (PSD). Nos bastidores a “turma do galeguinho” articulou uma espécie de privatização de toda a rede de Saúde de Sergipe, mas diante de vários conflitos internos, sobretudo com a “galera dos sindicatos”, houve um recuo “estratégico” para tentar terceirizar os serviços do Hospital Regional de Nossa Senhora da Glória (que passou por anos e anos em uma reforma quase que interminável) e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU).  

Segundo o deputado estadual Georgeo Passos (Cidadania), o governo do Estado (e aí por justiça não foi só Belivaldo) “arrastou” a obra do hospital por demorados oito anos para só agora entregar e, com a unidade totalmente reformada, após tanto dinheiro público investido, ela passará por um processo de terceirização, onde seja lá quem for o empresário, vai entrar apenas com a “gerência dos serviços”; o mesmo procedimento está sendo desenvolvido para aplicar no Samu sergipano, que é uma referência nacional por sua excelência.

Essa semana este colunista ouviu desesperados depoimentos de servidores do Samu preocupados com o futuro da instituição. São concursados que, em caso de terceirização, não podem ser regidos por uma gestão privada e que não terão para onde ir caso a licitação seja concretizada. Em um “desabafo clássico”, um servidor lembrou da importância do Serviço de Urgência, ao ponto dele servir a ricos e pobres de uma mesma sociedade, sem distinções. Quando o acidente ocorre, de imediato o que dizemos? Chama o Samu!

Pois bem, para os deputados estaduais sergipanos o próprio secretário de Estado da Saúde reconheceu que existem 17 unidades de suporte avançado, mas por dia só funcionam seis ou sete! Ou seja, temos 10 ambulâncias paradas por dia, que poderiam estar salvando vidas! O governo alega dificuldades para formar as equipes necessárias, a oposição aponta para “sucateamento forçado”. Em síntese, essa é uma realidade que não interessa a ninguém, nem aos servidores e muito menos a nós usuários. Este colunista defende sim mais investimentos no Samu!

Voltando ao “ensinamento” de Machado, se o Estado atravessa um momento de dificuldade financeira, cabe ao “galeguinho” definir o que é fundamental e priorizar. Neste caso, este colunista defende o Samu se encaixa neste contexto! Estamos falando de um serviço que está em sintonia diária com o povo, nos sete dias de semana e, principalmente nos domingos e feriados. A terceirização pode até melhorar o atendimento, mas na dúvida, este colunista vai sempre defender a vida! O Samu Sergipe não precisa de um “dono” para ser eficiente; precisa de estrutura...

 

Veja essa!

Apesar de existir uma “poderosa engenharia” em BSB para acompanhar o recurso da chapa Belivaldo Chagas e Eliane Aquino no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), nos bastidores a informação é que o processo continua tramitando normalmente, dentro do que determina a legislação eleitoral.

 

E essa!

Outra informação é que a defesa da chapa aposta em “cinco” aspectos para reverter a decisão desfavorável de Sergipe, mas ainda assim o relator já enviou o recurso ordinário para o Ministério Público Eleitoral se manifestar em prazo bem curto. Esgotado esse trâmite, o relator apresentará em mesa para julgamento, que não deve demorar.

 

Exclusiva!

Este colunista conversou com um especialista em direito eleitoral, que pediu reservas, mas sentenciou: se não existirem “ingerências externas”, se o processo seguir a tramitação normal, a chapa pode continua cassada ou não, mas o julgamento não demora mais de três meses, no máximo.

 

Sem enrolação

Outra informação passada para este colunista é que na fase atual não é comum o Tribunal Superior Eleitoral aceitar “recursos protelatórios” geralmente protocolados apenas para retardar a tramitação de determinado processo. Em síntese, está chegando a hora da “onça beber água” em Sergipe...

 

Sentimento ruim

Apesar da defesa de Belivaldo e Eliane apostar veementemente nos “cinco sentidos”, nas rodas políticas e até entre advogados e magistrados em Sergipe, a impressão é que dificilmente a chapa escapará da cassação. A prova maior é que já existem, adversários e aliados do governo, prontos para a “eleição tampão”. É ver para crer...

 

Caso Banese

A Fames (Federação dos Municípios de Sergipe) anuncia para o dia 11, às 14h30, a reunião decisiva, na sede da entidade em Aracaju, com a direção do Banese, sobre o fechamento ou não das 17 agências do banco no interior do Estado. Há quem diga que o assunto é “fato consumado”; os prefeitos estão pressionando e cobrando uma posição do governo. O fechamento prejudica o povo e pode inviabilizar o projeto político de muita gente...

 

Fundação Renascer

Este colunista alertou, essa semana, sobre “fatos estranhos” que estavam ocorrendo na Fundação Renascer. Foi dito aqui que órgãos de controle estavam de olhos bem abertos para a diretora administrativo-financeira da Fundação, pelos desmandos, cuja presença nas reuniões deixava a turma da Secretaria de Estado da Inclusão, Assistência Social e do Trabalho bastante desconfortável!

 

Bomba!

E não é que o governo do Estado agiu rápido! Essa semana o governador exonerou a diretora administrativo-financeira e nomeou para o cargo na Fundação o advogado Said Jorge Novaes Schoucair. A mudança deve ter sido um “alívio” para o presidente da Fundação, Wellington Mangueira, que tem uma grande história de vida a zelar...

 

Alese & CMA I

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Luciano Bispo (MDB), anunciou que recebeu uma solicitação do presidente da Câmara Municipal de Aracaju (CMA), vereador Josenito Vitale (PSD), o “Nitinho”, e de imediato acatou o pedido, cedendo o plenário da Alese para abrigar os trabalhos legislativos da CMA, já a partir da próxima terça-feira (10).

 

Alese & CMA II

Com o plenário da Alese à disposição dos vereadores de Aracaju, as sessões da Câmara Municipal serão realizadas sempre em horário alternado às sessões plenárias da Assembleia. A mudança se deve à reforma na estrutura do Palácio Graccho Cardoso, que hoje abriga a Câmara de Vereadores.

 

Alese & CMA III

Para a imprensa e a sociedade em geral que acompanham os trabalhos legislativos, a partir da próxima semana, as sessões da Alese, de terça a quinta-feira, continuam no período da manhã; nos mesmos dias, só que no período da tarde, serão realizadas as sessões da Câmara Municipal.

 

Cabo Didi

O vereador de Aracaju, Cabo Didi, entrou com um recurso sobre seu projeto que foi barrado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da CMA. A proposta do parlamentar objetiva diminuir a taxa da DESO, beneficiando as comunidades mais carentes de Aracaju, reduzindo a taxa da DESO de 10m3 para 1m3, baixando o valor de R$ 37,74 para R$ 3,77 por metro cúbico de água, atingindo ainda o valor da taxa de esgoto.

 

Emília Corrêa I

“Abracei a Defensoria Pública como a minha própria vida e, hoje, com o coração apertado, deixo a instituição”, foi com essa frase, em tom emocionado, que a vereadora Emília Corrêa (Patriota), comunicou, na Tribuna do Legislativo Municipal seu encerramento à frente da Defensoria Pública de Sergipe (DPE-SE) e fez, um breve resumo da sua trajetória.

 

Emília Corrêa II

De acordo com a parlamentar, todo ciclo tem um fim, e, mesmo deixando a Instituição, a alma de Defensora Pública está e seguirá com ela. “Abracei a Defensoria como minha própria vida. Agora, no início de março, concluí minha carreira, no Fórum Gumercindo Bessa, através de um Plantão de Custódia, após 33 anos. Lembrarei sempre com muita gratidão dessa profissão apaixonante, afinal, não sou Instituição, eu sou Defensora de alma”, ressaltou.

 

Emília Corrêa III

Ainda em discurso, Emília disse que é um privilégio concluir uma carreira com vigor e agradeceu à alguns companheiros de jornada. “Deus me deu a graça de concluir uma carreira linda com saúde, pronta para recomeçar qualquer outra, porque eu sei que não vou conseguir ficar parada. Minha gratidão a Deus, aos colegas juízes, promotores e advogados. Encerrei minha função trabalhando em um plantão de custódia, pois quando a gente ama o que faz é assim”, declarou.

 

Recém-nascidos

A frequência de má-formação congênita é grande entre bebês (1 em cada 100 nascidos vivos). Cerca de 20% destes necessitam de intervenção ainda no período neonatal. O teste do coraçãozinho indica a suspeita de cardiopatia, mas o ecocardiograma permite a verificação da doença e seu tratamento. A maternidade do Hospital Santa Isabel realiza uma média de 900 partos por mês, mas o aparelho de ultrassonografia com capacidade de realização de ecocardiograma em recém-nascidos e crianças está quebrado. 

 

Laércio Oliveira I

Por esse motivo, o deputado federal solicitou nesta quinta, 5, ao Ministério da Saúde um novo aparelho, em reunião com o chefe de gabinete do ministro Mandeta, Gustavo Machado Pires. “Esse aparelho custa R$ 170 mil e é fundamental para salvar a vida dessas crianças”, afirmou o parlamentar, informando que quando ficou sabendo da necessidade, já havia passado o prazo de indicação de emendas. 

 

Laércio Oliveira II

Em seguida, Laércio procurou a Abramed (Associação Brasileira de Medicina Diagnóstica), que informou ao parlamentar que a instituição tem alguns equipamentos recondicionados. “Vamos verificar se tem esse tipo de aparelho”, informou o representante, acrescentando que o deputado está fazendo o caminho certo batendo em algumas portas para conseguir. 

 

Maria Amélia Fontes

A demanda foi da Cardiologista pediátrica Maria Amélia Fontes de Faria Russo, que atua também na maternidade Santa Izabel. “Esse aparelho é fundamental. Sem ele, temos a dificuldade de avaliar um recém-nascido com suspeita de cardiopatia e não ter condições de concluir o diagnóstico e com isso não darmos a oportunidade de um procedimento cirúrgico no melhor momento”, explicou.

 

TCE I

Na próxima segunda-feira (9), às 9h30min, será realizada a posse festiva do procurador Luis Alberto Meneses no cargo de procurador-geral do Ministério Público de Contas (MPC). A solenidade ocorrerá no auditório do Tribunal de Contas do Estado (TCE/SE). O novo procurador-geral está à frente do parquet de Contas desde o último dia 27 de fevereiro, quando foi oficialmente empossado no Pleno do TCE. Ele sucede o procurador João Augusto Bandeira de Mello, que esteve no cargo por dois mandatos consecutivos, nos últimos quatro anos.

 

TCE II

“Continuarei contribuindo com o controle externo, fortalecendo cada vez mais o Ministério Público de Contas como instituição”, destaca Luis Alberto Meneses, que ingressou no MPC como subprocurador, no dia 11 de dezembro de 2003, após aprovação em concurso público. De acordo com o presidente do TCE, conselheiro Luiz Augusto Ribeiro, o MP de Contas seguirá em boas mãos e desenvolvendo sua função jurisdicional de controle externo do Estado.

 

TCE III

“Deixa o cargo o Dr. Bandeira, que prestou relevantes serviços e engrandeceu muito o Ministério Público de Contas e passa a exercê-lo o procurador Luis Alberto, que também possui uma qualificação técnica destacada, conhece muito bem os temas comuns a esta Casa e certamente fará um grande trabalho”, ressalta o conselheiro Luiz Augusto Ribeiro.

 

Avosos I

O presidente voluntário da Associação dos Voluntários a Serviço da Oncologia em Sergipe (Avosos), Wilson Melo, juntamente com a Diretoria da instituição, encontra-se preocupado quanto a organização da rede de atenção oncológica pediátrica no Estado de Sergipe. Diante dos desafios a superar, a Avosos está em contato frequente com Secretaria Municipal de Saúde de Aracaju (SMS) e com Secretaria de Estado da Saúde de Sergipe (SES), no sentido de dar sua colaboração para resolução dos desafios que venham a contribuir com melhorias no tratamento de crianças e adolescentes com suspeita e com diagnóstico de câncer.

 

Avosos II 

Para superar esses desafios a Avosos propõe: implantação de um Sistema Unificado de Regulação no Estado de Sergipe, orientado por Protocolo de Acesso à consulta ambulatorial específico para oncologia pediátrica. A Avosos ofertará para Rede um Ambulatório de Triagem para casos suspeitos de câncer infantojuvenil, disponibilizando o acesso gratuito de exames laboratoriais e de imagens nos termos indicados pelo Instituto Nacional de Câncer (Inca) e Sociedade Brasileira de Oncologia Pediátrica (Sobope) e que faça parte de regulação da SMS de Aracaju, sem ônus para a Secretaria;

 

Avosos III

A entidade também defende a estruturação do quadro de cirurgiões pediátricos para atender às necessidades dos pacientes; e melhorias no Ambulatório de Oncologia Pediátrica do Hospital de Urgência de Sergipe (HUSE) com novas instalações (recepção específica para crianças e adolescentes, Sala de Aplicação de Quimioterapia, consultórios médicos e Sala de Procedimentos).

 

Wilson Melo I

Segundo informações do presidente Wilson Melo, os encaminhamentos junto à SMS de Aracaju, após várias reuniões, já se encontram em estágio avançado para resolução do desafio de implantação do Sistema Único de Regulação para Pediatria Oncológica, com previsão de funcionamento do Ambulatório de Triagem na sede da Avosos a partir do próximo mês de abril deste ano”.

 

Wilson Melo II

“Com relação aos outros desafios estamos agendando, para os próximos dias, uma reunião com os dirigentes do HUSE e SES, em que devemos discutir a complementação da reforma do Internamento Pediátrico da Oncologia Maria Ruth Wynne Cardoso 'Tia Ruth'. Aproveitaremos a oportunidade para discutirmos e nos colocarmos à disposição para melhorias nas instalações do Ambulatório de Oncologia Pediátrica do HUSE, que é nossa proposta, visando um tratamento com mais qualidade e mais humanizado”, informa o presidente da instituição.

 

“Amparo é meu Lugar”

O Bloco de Carnaval “Amparo é meu Lugar Folia” fez a entrega dos alimentos arrecadados durante a folia para sete famílias carentes do município. Os organizadores agradecem o apoio que receberam da população e dos patrocinadores. E prometem novidades para o Carnaval de 2021.

 

CRÍTICAS E SUGESTÕES

habacuquevillacorte@gmail.com e habacuquevillacorte@hotmail.com

 

O que você está buscando?