Desemprego! Empresários vão “quebrar” sem apoio de Belivaldo e Edvaldo!

Habacuque, 24 de Março, 2020 - Atualizado em 24 de Março, 2020

Em qualquer discussão política registrada nessa segunda-feira (23) em Sergipe, o assunto que “imperava” era a Medida Provisória proposta pelo governo federal, ventilada nas redes sociais como alternativa para preservação dos empregos dos trabalhadores em meio a essa pandemia do coronavírus. O que mais pesou contra a medida: o discurso de que os trabalhadores que aceitassem um acordo com o empresário, ficariam quatro meses sem salário, mas com uma ajuda para qualificação pessoal e profissional.

A notícia caiu como uma “bomba” nas redes sociais e os adversários do governo federal rapidamente fizeram propagar a teoria de que muitos trabalhadores “morreriam de fome” sem ter o que comer. No discorrer do dia, em meio às duas reuniões por teleconferência que manteve com os governadores do Norte e do Nordeste, Bolsonaro recuou e retirou o artigo que previa o “intervalo” sem salário para os trabalhadores. Além disso, anunciou uma ajuda de R$ 88,2 bilhões para estados e municípios, algo que deu uma “esfriada” na oposição.

Mesmo sob pressão de diversos setores, inclusive da imprensa, Bolsonaro avançou em medidas que vão ajudar no combate e prevenção à pandemia. Agora, como perguntar não ofende, e o que estão fazendo o governador Belivaldo Chagas (PSD) e o prefeito Edvaldo Nogueira (sem partido), em Sergipe e Aracaju, respectivamente? A pergunta não é para as medidas de contenção, mas em relação a investimentos por parte dos dois gestores? Muito cobrado o governo federal fez a parte dele, abrindo os cofres, para a preservação dos empregos. E o que faz a Prefeitura de Aracaju?

Ao longo dessa segunda-feira este colunista conversou com alguns empresários que atuam em ramos diversos na capital e todos eles externaram a preocupação com o futuro de seus empreendimentos e, em especial, não esconderam que a tendência é dar férias coletivas ou anunciar o maior número de demissões possíveis. E aqui não se trata de defender o empregador ou ficar contra o trabalhador, mas de defender a geração de oportunidades e renda, de manter a “máquina girando”! Sem emprego, há fome e não se recolhe impostos; sem arrecadação não se paga salários! Tem toda uma cadeia!

Tanto Belivaldo Chagas quanto Edvaldo Nogueira adotaram uma espécie de “toque de recolher”, determinando o fechamento de inúmeros empreendimentos, de pequeno, médio e grande porte. O discurso é louvável: impedir que pessoas se aglomerem em um mesmo ambiente e não permitir a proliferação do novo coronavírus. Mas se todos ficam em casa, esperando o fim da pandemia, após o País ter passado alguns anos em recessão, quem vai “pagar a conta”? O governo vai bancar tudo ou o empresário vai tirar do bolso para manter seu funcionário em casa?

Este colunista é trabalhador também, e de origem humilde, mas precisa e vai dizer a verdade às pessoas. Tem que ter coragem de não aderir ao discurso demagógico ou agir por conveniência. Se o governador e o prefeito não fizerem nada, além da prevenção e combate ao vírus, ao fim da pandemia teremos dezenas ou centenas de vítimas, mas também teremos uma “geração perdida”, sempre emprego, sem perspectiva, sem futuro! E também teremos uma “safra” de empresários “quebrados”, do micro ao macro! É hora de sair “da zona de conforto”...

 

Decreto controverso

O governador Belivaldo Chagas determinou que o comércio fechasse por sete dias e que apenas as atividades essenciais continuassem em andamento. Agora, como perguntar não ofende, e a indústria? E a construção civil? É para seguir a determinação governamental e fechar ou eles têm alguma orientação específica?

 

Veja essa!

Um dos empresários que conversou com este colunista orientou seus funcionários, nessa segunda-feira, logo cedo, a retornarem para casa e iniciarem o confinamento. Há a intenção de obedecer as determinações do governo, mas a pergunta que ele não deixou calar: como vou pagar a centenas de funcionários, na virada do mês, se minha empresa não pode produzir?

 

E essa!

O empreendedor disse que, se deixa todo mundo trabalhando, pode ter um problema mais sério com algum funcionário, e que estuda a possibilidade de decretar férias coletivas para os trabalhadores da empresa, sem descartar “demissões em massa”, diante da ausência quase que completa do poder público. Já imaginou centenas de pais de família desempregados nos dias atuais? 

 

Videoconferência

O govenador de Sergipe, Belivaldo Chagas (PSD), participou na tarde dessa segunda-feira (23) da reunião, por videoconferência, dos Governadores do Nordeste com o presidente da República, Jair Bolsonaro sobre medidas de combate à pandemia do novo Coronavírus (COVID-19). Na oportunidade, os chefes dos Executivos Estaduais aproveitaram para tirar dúvidas e manifestaram seus anseios para o governo federal.

 

Belivaldo Chagas I

Belivaldo fez uma avaliação positiva após a reunião com Bolsonaro dizendo que “no geral fiquei satisfeito pelas colocações feitas. Dúvidas foram dirimidas, mas insisto na importância de que o Ministério da Saúde agilize a entrega de insumos e equipamentos de modo geral”, avaliou o governador, destacando o anúncio feito pelo presidente de fortalecer estados e municípios, neste momento, com R$ 85,8 bilhões.  

 

Belivaldo Chagas II

O governador sergipano disse ainda que resolvendo essa questão de condições para que os Estados possam buscar recursos “a ação integrada entre os governos dos Estados e o Governo Federal vai fazer com que a população brasileira sinta-se mais tranquila”, disse, agradecendo ao presidente pelas medidas. “Vamos juntos fazer com que a gente siga em frente e, automaticamente, vença esse momento tão difícil.

 

Jair Bolsonaro I

Em suas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro informou que dos R$ 85,8 bilhões, R$ 8 bilhões serão recursos para a Saúde, o dobro do previsto; Recomposição FPE e FPM de R$ 16 bilhões (seguro para queda de arrecadação); Orçamento Assistencial Social de R$ 2 bilhões; Suspensão das dívidas dos Estados com a União de R$ 12,6 bilhões; Renegociação com bancos da ordem de R$ 9,6 bilhões (dívidas de estados e municípios com bancos); além de Operações com facilitação de créditos da ordem de R$ 40 bilhões.

 

Jair Bolsonaro II

“São soluções temporárias para situação de emergência: as MPs vão transferir recursos para fundos de saúde estaduais e municipais; a União entrará com mais recursos que o solicitado. Governadores solicitaram R$ 4 bilhões para ações emergenciais em saúde. O Governo Federal está destinando R$ 8 bilhões em quatro meses; tem ainda o seguro para perda de arrecadação de transferência da União e a garantia de manutenção do FPE e FPM aos mesmos níveis de 2019. Estima-se que o Governo Federal acesse com R$ 16 bilhões em quatro meses”, anunciou o presidente da República.

 

Soluções permanentes

Como soluções permanentes para os problemas estruturais o presidente anunciou o aperfeiçoamento das reformas: PEC Emergencial do Pacto Federativo e Plano Mansueto, que estão sendo aprimorados e darão fôlego a Estados e Municípios para vencer a crise; além da construção em conjunto com a Justiça, o Congresso, Estados e Municípios de uma saída estrutural federativa.

 

Bomba!

Este colunista foi informado que uma moradora do Condomínio Green Park, no bairro Jardins, teria chegado de Montevidéu, no Uruguai, recentemente, e não respeitou nenhuma das orientações de quarentena por 14 dias. Segundo a denúncia de moradores, além de receber visitas, a moça teria transitado normalmente por áreas comuns do condomínio. Complicado o ser humano...

 

Rodrigo Valadares I

Nessa segunda-feira (23), o deputado estadual Rodrigo Valadares (PTB) anunciou que solicitou, na Assembleia Legislativa, que todas as suas emendas parlamentares para o exercício de 2020 sejam destinadas para o combate à pandemia do Coronavírus (Covid 19).

 

Rodrigo Valadares II

Rodrigo enfatizou ainda que seu interesse é que os recursos sejam destinados para a compra de EPI’s, aparelhos de respiração, testes e custeio. “Cada deputado tem, anualmente, cerca de R$ 1 milhão, para destinar para obras, segurança, esporte, dentre outras coisas”.

 

Emendas parlamentares

O jovem parlamentar explicou que todos esses setores são importantes, mas viram “secundários” diante do problema que a sociedade está enfrentando com o Coronavírus. “Fiz um apelo que não só as minhas, mas que todas as emendas da Alese sejam destinadas para esse fim. Serão mais de R$ 24 milhões investidos nesta luta”.

 

Doação de Kits

Também em suas redes sociais, Rodrigo Valadares está em campanha para a doação de kits para as pessoas em vulnerabilidade em lar de idosos e moradores de rua. “Quer ajudar também? Entra em contrato através das nossas redes sociais e vamos juntos vencer o Coronavírus”.

 

Alô galeguinho!

Um dos setores que estão sendo mais atingidos com as medidas governamentais de combate ao novo coronavírus é o hoteleiro. Em Sergipe, desde o último sábado, por decreto assinado pelo governador Belivaldo Chagas, nenhum hotel poderá hospedar novos hóspedes pelo prazo de sete dias. 

 

Demissões

“Com esse quadro e as incertezas do futuro, mais de 80% dos hotéis de Sergipe irão fechar suas portas”, estima o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Sergipe (ABIH-SE), Antônio Carlos Franco. Por enquanto os estabelecimentos irão dar férias aos funcionários, mais adiante férias coletivas e numa terceira medida, demissões. 

 

Medidas I

Na semana passada, a entidade protocolou ofícios solicitando medidas urgentes por parte do governo estadual e prefeitura de Aracaju para amenizar as consequências negativas da crise na rede hoteleira. Em relação ao Estado, a ABIH-SE solicitou a abertura de uma linha de crédito especial junto ao Banese para o setor; revisão do consumo mínimo contratado junto à DESO e programa de parcelamento; redução temporário do ICMS na conta de energia; apoio junto à Energisa na revisão de demanda contratada pela empresa e programa de parcelamento. 

 

Medidas II

Para o município, duas pautas principais foram encaminhadas: suspensão do parcelamento do IPTU e reprogramação do pagamento; e suspensão do ISS com reprogramação do parcelamento. “Por parte do governo federal algumas medidas já estão sendo tomadas, a exemplo da MP Nº927 durante o período de calamidade pública no país, mas precisamos de ações concretas também em Sergipe”, afirmou ACF Sobrinho. 

 

Cancelamentos

O presidente vê um quadro bastante negativo para os próximos 90 dias. “A CVC cancelou fretamentos até meados de abril para Sergipe. Além disso, a orientação é que para as pessoas não viagem, situação que se agrava com a escassez de voos e problemas na malha aérea”, adverte. ACF Sobrinho também está preocupado com a insegurança nos hotéis. “Além da falta de receita, teremos que investir em segurança particular para garantir a proteção dos equipamentos. O reforço da segurança na região turística será essencial”, diz.

 

Alô CMA!

Após consultas realizadas no site do Legislativo e com o respaldo de técnicos da área, esse colunista ficou perplexo com a ousadia dos responsáveis pelas licitações naquela Casa, no que diz respeito à contratação da empresa para reforma do prédio da Câmara Municipal de Aracaju.

 

Sem histórico

A informação a empresa contratada, além de não possuir nenhum histórico na área, bem como se trata de empresa no nome de terceiros, mas o que mais chamou a atenção foi a permissão da CMA, um órgão fiscalizador, de acatar uma proposta em que a empresa contratada apresenta que irá recolher o ISS do município um percentual menor do que o exigível e permissível por lei, ou seja, configurando como suposta renúncia de receita, o que é crime, ou não?

 

Alô TCE!

E não é só isso! Este colunista detectou ainda que as alíquotas dos impostos federais estão em total desacordo com o exigível pela União! Como pode uma empresa com tantos descumprimentos legais ser contratada por uma Câmara Municipal cuja atribuição é defender os interesses do povo?

 

Outro lado

A Câmara Municipal  de Aracaju, através de seu presidente e vereador Josenito Vitale, no uso de suas atribuições, faz saber que todas as licitações realizadas pela  Casa Legislativa seguem estritamente os ditames legais estabelecidos na Lei 8.666/93 e suas alterações. 

 

Atende a requisitos

Sobre questionamentos publicados por este colunista, a Comissão de Licitação esclarece que a empresa ganhadora do certame atende a todos os requisitos da legislação vigente, inclusive tendo apresentado comprovação de recolhimento das obrigações legais, na modalidade de adesão ao Sistema Simples Nacional. Esclarece, ainda, que todo processo licitatório  é  público, ficando  à disposição  de todo  cidadão para vistas através do Portal da Transparência. Feito o registro! Cenas dos próximos capítulos...

 

Pedido de Emergência I

Conforme anunciado na sexta-feira (20), o governador Belivaldo Chagas (PSD) encaminhou, nessa segunda-feira (23) uma mensagem solicitando que a Assembleia Legislativa reconheça o Estado de calamidade pública no Estado de Sergipe, até 31 de dezembro, para que se coloque em aplicabilidade o artigo 65 da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

 

Pedido de Emergência II

A mensagem será apreciada e votada pelos deputados estaduais na próxima quarta-feira (25), e aprovada através de um decreto legislativo, possivelmente em sessão presencial, no plenário da Alese, mas com todas as restrições já em vigor, para o público em geral, para a imprensa e, inclusive, para alguns servidores e assessores dos parlamentares.

 

Acesso restrito

Por conta da pandemia propagada pelo novo Coronavírus o acesso ao plenário será extremamente restrito, com as presenças dos deputados estaduais e de alguns servidores do Poder. A Alese tem informado que segue atendendo a todas as demandas através dos seus canais de comunicação. A Mesa Diretora também decidiu que neste período de quarentena só serão realizadas sessões deliberativas (com pauta de votação).

 

Votação presencial

Para a votação de quarta-feira existia uma forte tendência de acontecer, nos mesmos moldes do que ocorreu no Senado Federal, de uma forma virtual. Seria algo inédito também no parlamento sergipano, mas pela urgência que o tema requer, a aplicabilidade de um sistema de votação remota continuará sendo sob estudo de técnicos da Alese, para possivelmente vir a ser colocada em prática durante esse período restritivo.

 

O diz a LRF

O artigo 65 diz que “na ocorrência de calamidade pública reconhecida pelo Congresso Nacional, no caso da União, ou pelas Assembléias Legislativas, na hipótese dos Estados e Municípios, enquanto perdurar a situação: I – serão suspensas a contagem dos prazos e as disposições estabelecidas nos arts. 23, 31 e 70; II – serão dispensados o atingimento dos resultados fiscais e a limitação de empenho revista no art. 9o. Parágrafo único. Aplica-se o disposto no caput no caso de estado de defesa ou de sítio, decretado na forma da Constituição.

 

Alô Seduc!

Em tempos de coronavírus, em que várias vidas estão sendo comprometidas, chega a ser revoltante ver como os recursos públicos do nosso Estado estão indo “pelo ralo” como demonstraremos. Lembram-se das denúncias feitas por um ex-vereador da nossa capital, que atua no segmento de obras públicas e que anda revoltado com os desvios sem qualquer penalização?

 

Alô MPE!

O ex-vereador, prejudicado em passado recente, inclusive tendo levado ao atual diretor administrativo financeiro da Seduc a metodologia do suposto desvio dos recursos públicos, através do chefe da engenharia em conluio com fiscais de obras e anuência total do presidente da comissão de licitação, vem demonstrando total impaciência com a falta de providências com os escândalos que vem acontecendo na Seduc!

 

Coisa séria

Documentos escandalosos estão sendo repassados, informações que passaremos a publicar partir dessa edição: uma empresa contemplada com uma dispensa de licitação no valor de R$ 141.426,60, publicada no D.O nº 28.194 de 23/05/19, registrou um desconto de 3% em relação ao preço máximo permissível, quando em qualquer outra licitação nessa mesma secretaria, quando é aberta para todos os licitantes, o desconto chega a 35 %!

 

Estamos de olho!

A DLs da licitação serão todas, uma a uma, publicadas aqui nesse espaço, inclusive a que contempla a empresa J&C Sandes (que tem um dono que não manda) e que é muito próxima do chefe da engenharia da Seduc.

 

Vem mais por aí!

Por conta das inúmeras publicações aqui feitas, esse espaço não para de receber denúncias da “dupla dinâmica”. Vem aí novas informações sobre empresas que foram prejudicadas, como a Sergifrio, Caol, dentre outras, bem como a metodologia que supostamente favorece a Santana e seu grupo, além da Terra Eng e outras poucas. Aguardem!

 

Servidora com Corona

O assunto é guardado com absoluta reserva, mas dentro da PMA, em um órgão público, alguns servidores ficaram revoltados com uma colega de trabalho que chegou de São Paulo, essa semana, e não ficou em quarentena, ou seja, se estava infectada com o coronavírus, pode ter colocado todos os demais servidores em risco. A coluna vai continuar apurando...

 

Água e energia I

O Ministério Público Federal (MPF) e o Ministério Público de Sergipe (MPSE) emitiram recomendação às empresas concessionárias de serviços de água e luz no estado para que seja garantido o fornecimento ininterrupto desses serviços essenciais durante o período de quarentena.

 

Água e energia II

O documento enfatiza que devem ser suspensos os cortes de água e luz mesmo para os consumidores inadimplentes. A recomendação foi enviada para a Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso), a Companhia Sul Sergipana de Eletricidade (Sulgipe) e a Energisa.

 

45 dias

O prazo recomendado para manutenção das medidas é de 45 dias ou enquanto durarem as restrições do governo do estado para a circulação de pessoas indicados no Decreto 40.560/2020. No texto, os Ministérios Públicos argumentam que “diante do cenário de absoluta necessidade de isolamento social, é imprescindível que o fornecimento de água e energia elétrica funcione com regularidade e continuidade, sem sofrer qualquer interrupção”.

 

Sem isenção

O documento enfatiza que os consumidores inadimplentes não estão isentos de pagamento das dívidas após o fim do período de restrição de circulação e isolamento social. As concessionárias têm prazo de 48 horas, a partir do recebimento da recomendação, para responder sobre a adoção ou não das medidas.

 

Supermercados e farmácias

O Ministério Público de Sergipe, por meio da Promotoria de Justiça do Consumidor, recomendou à Associação Sergipana de Supermercados (Ases) e ao Sindicato do Comércio Varejista de Produtos Farmacêuticos no Estado de Sergipe (Sicofase) para que orientem seus associados e sindicalizados a adotarem as medidas definidas pelo Decreto Estadual nº 40.563/20. Tais estabelecimentos (supermercados e farmácias) devem promover medidas para evitar aglomerações dos consumidores nos momentos de compra e pagamento.

 

Horário específico

O MP recomendou, também, que os supermercados e farmácias devem estabelecer horário específico e exclusivo às pessoas com idade correspondente ou superior a 60 anos e limitar quantitativo de produtos por família, caso estejam em estoque baixo, com o objetivo de assegurar a compra de bens essenciais à saúde, higiene e alimentação a todos.

 

Euza Missano

“Com essas medidas e o cumprimento do Decreto Estadual, o Ministério Público conclama todos os consumidores para que cumpram efetivamente essas normas e compreendam que nós estamos em um período de crise e que, seguramente, passaremos sem nenhum tipo de problema se cumprirmos todas as normas das autoridades. Todas as medidas são para preservar a saúde dos consumidores e trabalhadores também”, destacou a promotora de Justiça dos Direitos do Consumidor, Euza Missano.

 

Seu Marcos I

O vereador Seu Marcos (PHS) preocupado com as consequências econômicas do isolamento social,  decretado pela Prefeitura de Aracaju e Governo de Sergipe, protocolou dois  requerimentos pedindo medidas especiais para as cobranças das contas de água e luz durante o período de quarentena, provocado pelo avanço do coronavírus (COVID-19) no Estado. 

 

Seu Marcos II

De acordo com o parlamentar,  para enfrentar e conter a disseminação do novo vírus,  alguns estados pediram para não haver cortes de serviços essenciais. Em países como a França, por exemplo, com o intuito de diminuir o impacto econômico, o presidente Emmanuel Macron  suspendeu as cobranças das contas de água, luz, gás e aluguel.

 

Defensoria Pública I

A Defensoria Pública do Estado, através do Núcleo de Defesa dos Direitos e Promoção da Inclusão Social, expediu uma recomendação à Prefeitura Municipal de Aracaju para que disponibilize o uso das escolas da rede municipal que contenham vestiários/banheiros, itens de higiene pessoal e fornecimento de refeições para acomodar as pessoas em situação de rua durante o período de decretação da situação de emergência em saúde pública, bem como evite aglomerações e proceda o cumprimento das medidas preventivas de quarentena ou isolamento ao Coronavírus (Covid-19).

 

Defensoria Pública II

Através do Núcleo de Bairros, a Defensoria Pública do Estado expediu um ofício à Presidência do Tribunal de Justiça do Estado solicitando a expedição de recomendação aos Juízos de Direito do Estado de Sergipe que suspendam o cumprimento das remoções forçadas urbanas ou rurais até que se controle a pandemia do Coronavírus (Covid-19). O pedido está aguardando apreciação do judiciário.

 

Energisa I

Em nota, a Energisa explica que a distribuição de energia é um serviço essencial à população e isto foi ratificado pelo Decreto federal nº 10.282 de 20 de março de 2020. “Qualquer tomada de decisão não cabe exclusivamente às distribuidoras. Quaisquer medidas de desoneração aos consumidores, como prorrogação de pagamentos ou isenção de cortes, só podem ser implementadas com a adequada análise do Ministério de Minas e Energia e da Aneel, que regula nosso setor”.

 

Energisa II

A Companhia reconhece ser um tema complexo e que envolve todos os segmentos que estão inseridos na conta de luz: Geradores, Transmissores, Governos Estaduais, Governo Federal e beneficiários de encargos e subsídios. “Todo o setor de energia está unido em diálogo aberto com o Ministério de Minas e Energia e a Aneel através do recém-criado Comitê Setorial de Crise. A prioridade é buscar soluções que sejam pensadas em âmbito nacional”.

 

Energisa III

A Energisa esclarece que, tal qual médicos, enfermeiros, bombeiros e policiais, “o nosso time não pode parar”. “Nosso time é feito de profissionais incansáveis, que se dedicam a garantir o conforto dos nossos clientes para poderem ficar em casa, armazenar seus alimentos na geladeira, manter seu celular ligado, trabalhar com o seu computador, assistir às informações importantes dos noticiários da TV ou a um filme com seus filhos. Mais ainda, é a energia que permite o funcionamento de hospitais e o atendimento de uma demanda que só cresce”.

 

Atividades mantidas

Por fim, a Energisa informa que todas as atividades essenciais para garantir energia de qualidade na casa de seus mais de 7,8 milhões de clientes em 10 estados estão mantidas e todas as medidas de segurança necessárias para proteger colaboradores próprios, terceirizados e a população estão sendo tomadas. “Neste momento, nossas equipes estão integralmente dedicadas à manutenção das redes de energia, com atendimento a demandas emergenciais, religações, manutenções preventivas entre outros”.

 

CASE fechado!

O Centro de Atenção à Saúde de Sergipe (Case), órgão responsável pela dispensação de medicamentos, seguindo o decreto governamental, foi fechado por objetivo evitar as aglomerações. A Secretaria de Estado da Saúde informou que ainda está avaliando as medidas que possam garantir o acesso a medicação, bolsas de ostomias e demais insumos sem gerar prejuízos para a população.

 

Fala Almeida!

O anúncio fez o ex-secretário de Estado da Saúde, Almeida Lima, soltar o verbo: “idosos se aglomeram todos os dias para receber remédios e o governo fechou o CASE para evitar contaminação. Diz que vai entregar a domicílios os remédios, mas são mais de 20 mil entregas por mês! Estão vendo agora o porquê de eu ter criado o programa dos triciclos chamados de “tuk-tuk” que levariam os medicamentos nas casas dos pacientes e o governador levou para o lixo? Eu fui um secretário sério, responsável competente e, acima de tudo, previdente”. Tá dito!

 

Vai explicar!

Pegando “carona” na crítica de Almeida, um órgão da importância do CASE é fechado por conta do coronavírus, mas um órgão cultural como a Funcaju continua com expediente! Dá para entender?

 

Ônibus lotados

Viralizou nas redes sociais, nessa segunda-feira (23), um áudio de um cidadão revoltado com o governador e o prefeito de Aracaju que determinaram a redução do quantitativo de ônibus nas ruas. O problema, segundo o denunciante, é que muitos trabalhadores de serviços essenciais são usuários do transporte coletivo e precisam ir e voltar do trabalho e, com a redução, vários ônibus estão superlotados, aumentando consideravelmente o risco de proliferação do vírus, inclusive para os familiares. Sugeriu mais ônibus nas ruas. Resta saber se o Setransp topa o desafio...

 

Coronavírus x Banese I

Além de cuidar da saúde do nosso povo, o governador tem outra grande missão em tempo de coronavírus: salvar o banco dos sergipanos! Nos últimos 12 ou 13 anos, desde a gestão do PT, o senhor presidente J.A. e a continuação de V.L. criou inúmeros problemas, seja em Maceió (AL) com a Carajás, seja no Banese Card com a presidenta anterior.

 

Coronavírus x Banese II

Quem esqueceu dos R$ 200 milhões anunciados pelo atual presidente F.M., além do rombo deixado de R$ 100 milhões no Sergus, seguridade dos funcionários do banco? Na gestão de JB e continuação na atual administração os problemas não pararam, inclusive com participações indevidas, no conluio entre amizade e negócios, em uma relação milionária.  

 

Mistério

Antes que o Banese “quebre” estamos chegando a um momento crucial e o “mistério” persiste: Fernando Mota pode enfim revelar a quem pertence a empresa SE Promotora? Dentro do banco mais de mil servidores estão assustados, já temendo o desemprego! Se o presidente não fala, já passou da hora do governador anunciar a quem interessa esta terceirizada. O mundo logo ficará livre do coronavírus, na mercê de Deus, já o Banese dificilmente resistirá a essa “infecção” que está contaminando todo o banco...

 

Alô Capela I

Os empresários Ezequiel Leite e Sônia Penalva, em meio à pandemia do coronavírus, tranquilizam o povo Capelense e defendem que o momento é de prevenção e não de pânico. “É hora de ter zelo com a saúde, com as nossas crianças e idosos. É preciso seguir as orientações da Avisa e do Ministério da Saúde”, defende Ezequiel. 

 

Alô Capela II

Sônia Penalva explica que as autoridades estão trabalhando, estão buscando uma solução definitiva. “Portanto evite sair de casa, proteja seus familiares e, quando tiver que sair, faça apenas o que for realmente necessário e volte para casa o mais rápido possível”.

 

Sônia Penalva

“Seja racional! Estamos em Capela, pertinho de vocês, nas horas boas e, principalmente, nos momentos mais difíceis! Faça uma oração, converse com Deus, lave as mãos com frequência, use o álcool em gel. Cuide-se. Tudo isso vai passar!”, tranquiliza a empresária Sônia Penalva.

 

Solidariedade

Neste momento de muito sofrimento e dor, Ezequiel e Sônia se somaram aos servidores do Hospital Filantrópico de Capela na luta contra a pandemia do coronavírus e doaram 200 frascos de álcool líquido 70%. “Trata-se de uma pequena contribuição a esta terra maravilhosa que nós tanto amamos e que ajudará, e muito, a atender as demandas da comunidade”, explica Ezequiel.

 

Alô Lagarto!

O deputado estadual Ibrain Monteiro fez um apelo ao Governo do Estado e à Prefeitura de Lagarto no sentido que deem atenção aos moradores de rua que não têm para onde ir e que ficam vagando pelas ruas, sob o risco de serem infectados ou até de proliferarem a doença.  Todos merecem atenção do poder público.

 

Ibrain Monteiro I

O deputado estadual conversou com os diretores da Associação Cultural e Recreativa de Lagarto, responsáveis pelo prédio onde funcionava a Maternidade Monsenhor Daltro. “Decidimos colocar o prédio à disposição do Governo do Estado e da Prefeitura de Lagarto, para ampliar a rede de atendimento e assistência no combate e prevenção ao coronavírus pelo poder público”. 

 

Ibrain Monteiro II

“Neste momento vamos unir forças contra a propagação deste vírus. Estamos nos somando ao Hospital Regional, nesta luta que é de todos! O prédio da antiga Maternidade Monsenhor Daltro está à disposição”, anuncia Ibrain Monteiro. 

 

Alô Lagarto!

Polêmica que circulou nas redes sociais, em meio à pandemia do Coronavírus: a prefeita de Lagarto, Hilda Ribeiro, teria empenhado, antecipadamente, R$ 250 mil para um show do aniversário da cidade do cantor baiano Bell Marques. Se fosse para um artista sergipano ou até lagartense, era até compreensível pelo momento, para que o dinheiro circulasse na economia local. Nada contra os baianos, até porque Bell é muito bom. Mas com essa busca desenfreada por recursos para a Saúde, a medida da prefeita é sim um “show”, de “bom senso”...

 

Alô Socorro!

Visando uma interação direta com o povo socorrense, o deputado estadual Dr. Samuel Carvalho (Cidadania 23) lança nas redes sociais o programa "Qual Socorro Queremos". A intenção é tratar junto com a população as demandas mais urgentes de Nossa Senhora do Socorro, município onde é pré-candidato a prefeito. O programa "Qual Socorro Queremos” tem a finalidade de criar debates com a população afim de montar o Plano de Governo Participativo.

 

Samuel Carvalho

“Iremos lançar nosso Plano de Governo onde a população poderá participar de forma ativa, dizendo o que falta na saúde, direitos humanos, educação, segurança pública, trabalho, infraestrutura, cultura, dentre outros. Lá será um espaço para que eu, como pré-candidato, possa entender quais as principais demandas do município”, afirmou. 

 

CRÍTICAS E SUGESTÕES

habacuquevillacorte@gmail.com e habacuquevillacorte@hotmail.com

O que você está buscando?