Onde está a Bancada Federal que não consegue ajudar o povo pobre de Sergipe?

Habacuque, 25 de Maio, 2020 - Atualizado em 25 de Maio, 2020

Sergipe conta com uma bancada federal composta por três senadores e oito deputados federais. Quase todos foram eleitos ou reeleitos em 2018 pelo voto democrático do povo. A semana se iniciou com informações preocupantes a respeito do número de leitos de UTIs que temos à disposição para o enfrentamento da Covid-19, tanto no setor público quanto no setor privado. O percentual de ocupação é igual ou acima de 80% já, apesar do volume de recursos que já chegou ao Estado.

Não é de agora que este colunista tem cobrado um planejamento estratégico do governo, somando os especialistas em Saúde e os representantes do comércio para que todos os segmentos sejam contemplados, em uma discussão ampla, em defesa da vida e dos empregos. Mas em mais de dois meses de isolamento social, só percebemos ações e decretos para “empurrar com a barriga” os problemas, sem uma alternativa para o enfrentamento ao problema.

Com todo respeito, tem horas que a impressão que fica é que os gestores parecem não saber o que fazer diante da pandemia! É como se estivessem perdidos! Está claro que o governador está precisando de apoio administrativo. Deveria ter um pouco mais de humildade em reconhecer isso para ouvir não apenas a Saúde e os empresários, mas o Judiciário, a imprensa “independente”, os órgãos de fiscalização e, principalmente, segmentos representativos da sociedade.

O “povão precisa ser ouvido”! Infelizmente, aqueles que foram eleitos para representarem bem o nosso Estado em BSB estão deixando a desejar! De um lado, por exemplo, o senador Rogério Carvalho (PT) fica de mídia em mídia defendendo o impeachment do presidente da República; do outro lado o senador delegado Alessandro Vieira (Cidadania) agora está defendendo uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) sobre o “vídeo-bomba” e os pobres de Sergipe se “lascando”!

As pessoas estão assistindo os números de infectados aumentando, as UTIs superlotando e o desemprego já assolando, e dois senadores, que poderiam disputar para ver quem trazia mais ajuda, mais recursos federais para o Estado, estão apenas preocupados em fortalecerem seus nomes para a sucessão governamental de 2022! Mas, por uma questão de justiça, e onde estão os oito deputados federais eleitos por Sergipe? O que estão fazendo, de fato, para ajudar no combate à Covid?

Aproveitar o “isolamento social” para apenas para movimentar as redes sociais com “discursos ideológicos”, não vai resolver o problema de quem está, entre a vida e a morte dentro de uma viatura do SAMU sem vaga em hospital; de quem está desde cedo nas filas de atendimento das UPAs de Aracaju, esperando um médico ou um teste rápido para confirmar se está ou não infectado (a); se “discurso não enche barriga”, também não salva vidas! Portanto, deputados e senadores, deixem a política de lado e trabalhem pelo povo pobre! Vocês foram eleitos para isso!

 

Veja essa!

Este colunista se sente no direito de fazer esta cobrança, tanto para deputados federais, quanto para senadores sergipanos por conhecer a realidade financeira do Estado e dos municípios e por entender muito bem que tem muita gente “politizando” a discussão em torno do coronavírus, já de olho na campanha para o governo em 2022.

 

E essa!

A grande verdade, que incomoda muita gente, é que Sergipe é um Estado hoje que não se sustenta sem o apoio do governo federal. E, ainda assim, alguns deputados federais e senadores, que deveriam lutar para salvar o pouco que temos, passam o dia inteiro “inundando suas redes sociais”, “atirando” no presidente na República. Pensem no povo primeiro...

 

Realidades diferentes

Sergipe não tem a mesma estrutura financeira que outros Estados do Sul e Sudeste do País, e ainda assim você não vê o mesmo comportamento com o governo federal, mesmo sendo oposição, de alguns políticos daqui. O pior é que muitos criticam tudo em BSB, mas se omitem sobre quase tudo por aqui. Em especial aqueles que estão “bem alimentados” com cargos de comissão...

 

Orla de Lagarto

Em meio à pandemia, por exemplo, o deputado federal Gustinho Ribeiro (Solidariedade) está celebrando a liberação de recursos que vão garantir a construção de uma Orla em seu município. É uma obra importante, mas neste momento este recurso não seria mais proveitoso se viesse para o combate ao Covid? É todo mundo pensando no seu...

 

Cadê Fábio Reis?

Para não dizer que este colunista está direcionando para Gustinho as críticas, como perguntar não ofende, o que tem feito o deputado federal Fábio Reis (MDB) – além do rally de trilhas pelo interior com um grupo de amigos – para ajudar o governo do Estado e os municípios sergipanos?

 

Em Sergipe ou SP?

Diferente de alguns setores da imprensa que “massacraram” o deputado federal Valdevan 90 (PSC), que ficou um período preso no início de seu mandato, este colunista espera o desenrolar dos fatos, mas nesta pandemia, como perguntar não ofende, ele está em Sergipe ou cumpre o isolamento em São Paulo

 

Bosco e Fábio Henrique

Com todo respeito, também diante da pandemia, o que estão fazendo os deputados federais Bosco Costa (PL) e Fábio Henrique (PDT)? O primeiro anda meio “sumido”, ultimamente, e o segundo, pode até negar, mas hoje está mais focado na Prefeitura de Nossa Senhora do Socorro do que em qualquer outra coisa...

 

João Lula & Daniel

Não é uma “dupla sertaneja”, mas se tem um petista que incorporou no País o discurso do “Lula Livre” foi o deputado federal João Daniel. Reeleito em 2018 faz desde o ano passado um mandato mais focado em condenar e criticar o governo federal do que em contribuir e ajudar o governo e os prefeitos sergipanos.

 

Deputado e/ou empresário?

Em meio à pandemia, o deputado federal Laércio Oliveira (PP) era quem tinha mais condições de se destacar neste período, tanto pela força do seu mandato quanto pela liderança que exerce sobre o setor empresarial. Mas quando decidiu “questionar” o “galeguinho”, talvez pelos milionários contratos que possui na estrutura estadual, pelos serviços terceirizados que presta, visivelmente recuou nas cobranças pela reabertura do setor produtivo, gradualmente. Deixou muito empresário insatisfeito...

 

O silêncio de Mitidieri

Por fim e não menos importante, o deputado federal Fábio Mitidieri (PSD), que ultimamente focou em fortalecer o PSD em todo o Estado, de olho nas eleições municipais, inclusive filiando 10 vereadores de Aracaju, e afeito a fazer declarações fortes contra o governo federal, hoje silencia diante da falta de planejamento dos gestores sergipanos para enfrentar a pandemia. Faltam médicos nas UPAs da PMA para atender o povo, mas nem ele e nem os vereadores se manifestam...

 

Fala Machado I

O ex-deputado federal José Carlos Machado (DEM) avalia que duas das multinacionais que exploram o território sergipano deveriam contribuir mais no combate à pandemia do coronavírus no Estado: a Mosaic Fertilizantes e a Celse (responsável pela termoelétrica na Barra dos Coqueiros).

 

Fala Machado II

Machado revela que outros investidores em solo sergipano estão contribuindo com o governo e com as prefeituras e que as duas multinacionais poderiam ajudar mais. “A Mosaic explora o potássio há mais de 30 anos e fica muito pouco para o nosso Estado; a Celse nem ICMS vai pagar! É hora da nossa bancada federal agir e cobrar a contrapartida dessas grandes empresas que poderiam ajudar nos leitos de UTIs”.

 

Novo decreto I

O governador Belivaldo Chagas (PSD) anunciou através de nota, nessa segunda-feira (25) que, através de Decreto que será publicado no Diário Oficial desta terça-feira (26), estão mantidas as medidas de isolamento social por conta da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), até o próximo dia 1º.

 

Novo decreto II

Na coletiva concedida, semana passada, o governador anunciou medidas voltadas para a fiscalização, inclusive com sanções em caso de descumprimento, no sentido que as ações sejam intensificadas para que efetivamente se cumpram as medidas de isolamento social e quarentena por parte da sociedade em geral.

 

Novo decreto III

O decreto publicado no Diário Oficial mantém suspensas diversas atividades econômicas no Estado, com exceção para as atividades consideradas essenciais, sem ainda antecipar qualquer previsão para um retorno, mesmo que de forma gradativa.

 

Sem aulas em Junho

O governo ainda manteve a suspensão, agora até 30 de junho, de todas as atividades educacionais, tanto do ensino público quanto do privado, em escolas, universidades e faculdades.

 

Siriri sem água

O “caos” está se instalando em Siriri! Em plena pandemia, o município está há uma semana sem água nas torneiras. E ainda tem que esteja responsabilizando o prefeito municipal! Quem tem que explicar sobre o desabastecimento é a DESO! Assim ninguém se imuniza, galeguinho!

 

Bomba!

Este colunista recebeu uma informação quase que “oficial” de Brasília no sentido que a Polícia Federal fará, em breve, uma operação em Sergipe, “visitando” uma prefeitura municipal, pelo menos. Até onde se tem conhecimento, a “turma” andou abusando das “traquinagens” que já estão no “radar” dos órgãos fiscalizadores...

 

Exclusiva!

A coluna não conseguiu descobrir se mais de uma prefeitura receberá a visita dos “homens de preto”, mas como prevenir é sempre melhor do que remediar, não custa acordar um pouco mais cedo e preparar o “café” e o “cuscuz” porque a turma deve chegar com “fome” neste período junino...

 

Alô Capela I

Diante do mais novo imbróglio na cidade de Capela, entre a prefeita Silvany; seu esposo e prefeito de Ilha das Flores, Christiano Cavalcante; e o ex-prefeito Manoel Sukita, o pré-candidato a prefeito do município, Ezequiel Leite (PSD), avalia que a população já está “cansada”, diante de tanto descaso e abandono em meio a essa pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

 

Alô Capela II

Ezequiel lamenta os áudios que se tornaram públicos na semana passada, expondo lideranças políticas do município em discussões de ordem pessoal. “Até quando a população de Capela vai ficar exposta a essa baixaria? Estamos diante de uma pandemia, com pessoas infectadas, com risco de superlotação de UTIs, com pessoas infectadas com a COVID-19 e essas pessoas com questões pessoais?”, questionou.

 

Ezequiel Leite I

Em seguida, o pré-candidato a prefeito disse que o povo de Capela já não aguenta mais essa “novela” entre Silvany, Christiano e Sukita. “É uma baixaria atrás da outra! É gente soltando fogos porque consegue liminar na Justiça para voltar ao poder, é ameaça de morte do outro lado, é áudio pra cá, é vídeo pra lá e a população, que paga seus impostos, que quer respostas do poder público, segue desprezada!”.

 

Ezequiel Leite II

Ezequiel Leite enfatiza que, só durante a pandemia, a Prefeitura de Capela já recebeu recursos da ordem de R$ 4 milhões, aproximadamente, mas a população segue sem assistência, sem atenção. “É um descaso! O povo se acabando e esse pessoal brigando, nesses casos de família! Parece uma novela! Cada capítulo tem uma novidade, um novo absurdo”.

 

Ezequiel Leite III

“Na gestão de Ezequiel Leite, mesmo com algumas falhas, o povo não ficava abandonado, os serviços públicos funcionavam, os fornecedores recebiam e o respeito às pessoas predominava. Eu fiz de tudo e consegui tirar Capela das páginas policiais. Antes ser lembrado por ser duro, do que por ser corrupto. Minha dignidade e minha paz são valores que não têm preço!”, completou o ex-prefeito.

 

Invasão das Mangabeiras!

Atenção pré-candidatos a prefeito e a vereador de Aracaju: desde o dia 22 de abril, de 2019, que a população da invasão das Mangabeiras espera, ansiosa pela realização de um sonho: o prefeito Edvaldo Nogueira anunciou a construção de 1.100 casas para retirar mais de 800 pessoas daquela situação e, até agora, mais de um ano depois, a promessa não saiu do papel!

 

Dinheiro garantido

Edvaldo Nogueira fez o anúncio festejando a conquista de um financiamento com o Governo Federal, a partir do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), para a construção das casas, mas até agora as moradias dignas não saíram do papel. Não custa lembrar que a aprovação do projeto já foi publicada no Diário Oficial e que tanto o projeto arquitetônico, quanto o social já foram realizados. E cadê a obra?

 

Não deixaram João fazer!

A verdade sobre esta situação da invasão das Mangabeiras é que vem se arrastando há algum tempo e, em sua última passagem pela Prefeitura de Aracaju, o ex-governador João Alves Filho (DEM) tentou a todo custo assumir a responsabilidade pela construção, mas o apelo foi negado e dificuldades foram colocadas pelos governos, Dilma (PT) e Temer (MDB).

 

Zezinho Sobral I

Atento às ações de enfrentamento e de combate ao coronavírus, o deputado estadual Zezinho Sobral (Pode) relembra à população a necessidade de fortalecer o estoque de sangue no Centro de Hemoterapia de Sergipe (Hemose). O sangue coletado no hemocentro é destinado para o abastecimento de toda rede pública de saúde.

 

Zezinho Sobral II

O parlamentar alerta que, de acordo com informações do hemocentro, nas últimas semanas houve uma redução de 50% no número de doações e os tipos mais mais solicitados pelos hospitais são: O e A positivo. “Existem muitos sergipanos internados com diversas patologias e precisando de sangue. Segundo o Hemose, os estoques estão baixos. E neste momento de pandemia, todos os grupos sanguíneos são necessários: O, A, B e AB positivo e negativo”, afirma o parlamentar.

 

Zezinho Sobral III

“Após a coleta, o sangue passa por um rígido protocolo e diversas análises em laboratório para verificar doenças como Hepatites A, B e C, doença de Chagas, dentre outras. Em seguida, o sangue total é fracionado em concentrado de plaquetas, hemácias e plasma. As plaquetas têm validade de 5 dias. As hemácias, de 42 dias. Já o plasma por durar até 2 anos. Por isso que é necessário manter o estoque ativo para atender toda a demanda hospitalar”, pontua Zezinho Sobral.

 

Doe sangue

Nesta pandemia, o deputado enfatiza a importância do isolamento social e outras medidas preventivas para desacelerar a propagação da Covid-19. Para evitar aglomerações e garantir a segurança de funcionários e dos doadores, o Hemose disponibiliza o serviço de agendamento para doação de sangue através dos telefones (79) 3225-8039 e 3259-3174.

 

Doação é segura!

“A doação é agendada, obedecendo todas as normas de segurança estabelecidas pelos órgãos de saúde. O Hemose desenvolve um grande trabalho de mobilização para atrair novos doadores. É fundamental que os doadores fidelizados continuem colaborando com o serviço para garantir o fluxo de abastecimento desse item vital e que salva muitos irmãos que estão na rede pública neste momento. É tempo de fortalecer a fraternidade”, reforça Zezinho Sobral.

 

CRÍTICAS E SUGESTÕES

habacuquevillacorte@gmail.com e habacuquevillacorte@hotmail.com

O que você está buscando?