Pressão da mídia não funciona e pesquisa revela Bolsonaro “estável” para 22

Habacuque, 14 de Julho, 2020 - Atualizado em 14 de Julho, 2020

A leitura não é de quem é contra ou a favor do presidente da República, mas de quem se baseia em NÚMEROS para montar um cenário para as eleições presidenciais de 2022. Por mais que alguns leitores discordem, o Instituto Paraná Pesquisas revela que o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), diferentemente do que a “grande mídia” vem pontuando, segue em uma condição bastante “confortável” caso tenha pretensões de disputar a reeleição.

Alguns setores apostavam em uma queda assustadora na popularidade do presidente por conta de sua postura no enfrentamento à pandemia do novo coronavírus (COVID-19). Mas após quatro meses de isolamento social, os números revelam que Bolsonaro se mantém em uma condição estável e que, pela aprovação momentânea, movimentos favoráveis a um possível impeachment do chefe do Executivo provavelmente não se consolidariam.

Está claro também que, pelos números que vem mantendo de avaliação, em caso de reeleição, possivelmente Bolsonaro iria para um 2º turno, e hoje possivelmente em um confronto direto com o ex-ministro da Justiça, Sérgio Moro. Legendas mais vinculadas à esquerda, como o PT e o PSOL mantém uma militância atuante, junto também a movimentos sociais, centrais sindicais e alguns setores da imprensa. Mas já sem a mesma “força” de períodos anteriores...

Levantamento do Instituto Paraná Pesquisa na cidade de São Paulo (SP), com 1,2 entrevistas entre os dias 4 e 8 de julho, a aprovação do governo Bolsonaro é de 27,5%, superando seu desafeto o governador paulista João Dória (PSDB) que teve aprovação de apenas 23,3% dos pesquisados; a pesquisa está registrada no TRE sob o número SP-06382/2020.

Já no Estado do Paraná, segundo levantamento realizado pelo mesmo instituto, agora entre os dias 8 e 10 de julho, fazendo 1.512 entrevistas, a aprovação da gestão do presidente é de 57,9%, que apresentou uma leve queda em relação ao levantamento anterior após seu rompimento com Sérgio Moro. Em São Paulo, outro ponto chamou a atenção dos pesquisadores: há uma evolução na aprovação de Bolsonaro entre os beneficiários do auxílio emergencial que veria entre R$ 600 e R$ 1,2 mil, que vem sendo pago pela Caixa Econômica Federal.

Considerando que a pandemia persiste, que o governo já assegurou o pagamento de mais duas parcelas do auxílio emergencial, e considerando ainda que a oposição que tanto o critica ainda não tem uma alternativa clara para confrontá-lo nas urnas para 2022, é provável que, se não subir, a popularidade do presidente se mantenha “estável” até o final do ano. E, a depender da capacidade de articulação que ele possa desenvolver no Congresso Nacional, não é exagero em dizer que, a “grande mídia” gostando ou não, Bolsonaro caminha a passos largos para sua reeleição...

 

Veja essa!

Márcio Macedo no maior esforço para mobilizar a militância do Partido dos Trabalhadores, tentando construir um projeto de candidatura do PT para a prefeitura de Aracaju, para confrontar a atual gestão, e o presidente estadual da legenda, deputado João Daniel, e o deputado estadual Francisco Gualberto, ficam “solidários” com Edvaldo? O que é isso, companheiros?

 

E essa!

Pelo visto o ex-presidente Lula anda mesmo sem muito crédito pelas bandas do Nordeste. Em recente entrevista, ele não só defendeu Márcio Macedo como pré-candidato, como também fez críticas a Edvaldo. E agora, após uma Operação da PF, João Daniel e Gualberto ficam com Edvaldo e ignoram o projeto próprio do partido. Estão “enterrando” o projeto de Márcio na capital...

 

Alô Ribeirópolis!

A disputa política no município começa a “esquentar”! O prefeito Antônio Passos (DEM) deve disputar a reeleição e terá como adversários três nomes da oposição: Tião Bila (PSC); o vereador Silveira (PT), apoiado pelo senador Rogério Carvalho e pela ex-prefeita; e Rogério Sobral (PL), apoiado pelo deputado federal Bosco Costa (PL) e pelo deputado estadual Talysson de Valmir (PL).

 

Unidade na oposição

Para muita gente no município que faz oposição ao prefeito, os adversários só teriam chance de impedir a reeleição se caminhassem unidos em um único projeto. Setores ligados ao governo do Estado avaliam que o nome de Silveira é hoje o que mais reúne condições de disputar, em igualdade, com Antônio Passos. Há um trabalho em andamento para “costurar” esse apoio em torno da sua candidatura.

 

Bomba!

A política de Nossa Senhora das Dores está “fervendo” nos bastidores e há quem diga que o presidente da Câmara Municipal, vereador Hélio das Cruzes, já estaria “articulando” a chapa do atual prefeito Tiago, que deve disputar a reeleição. A informação é que o vereador já tem uma “pré-candidata” a vice definida e que fará qualquer “negócio” para ela ser a escolhida pelo agrupamento...

 

Exclusiva!

O grande problema é que dessa “negociação” também participa uma autoridade sergipana, que há algum tempo já vem sendo monitorada por sua “forma de agir”. O vereador já está no quarto mandato na presidência e tem outros pares fechados com ele. Só que ele precisa de uma “liberação superior” para apoiar esse nome para vice.

 

Acordo

Para “emendar os bigodes” só precisa que o “simulador de eventos” receba a “extrema-unção” da autoridade pelo “perdão” dos seus pecados. O “martelo será batido em breve” e a coluna vai ficar de olho no “plantão” para acompanhar. É a política do “pai, do filho e do espírito santo”...

 

Alese

Os deputados estaduais voltam a se reunir, em ambiente virtual, na manhã desta quarta-feira (15), em mais uma sessão remota, por conta do novo coronavírus (COVID-19). Na tarde de hoje (14), o presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Luciano Bispo (MDB), em entendimento entre os líderes da situação e da oposição, definiu a pauta de votação para a sessão deliberativa de amanhã.

 

Chama o Samu!

Do Poder Executivo será apreciado o projeto que dispõe sobre jornada de trabalho e salário base para condutores de veículos de urgência, empregados públicos efetivos da Fundação Hospitalar de Saúde (FHS), com atuação no Samu/Estadual.

 

IPVA

Em outro projeto do Poder Executivo, os deputados vão apreciar o que altera o parágrafo único do art. 1º e o “caput” do art. 2º da lei nº 8.680, de 10 de junho de 2020, que amplia, excepcionalmente, o prazo de pagamento e de parcelamento do Imposto Sobre à Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), relativo ao exercício de 2020.

 

Adaílton Martins

De autoria do deputado estadual Adaílton Martins (PSD) será apreciado e votado o projeto que declara a “Sociedade Cultural e Musical Santa Terezinha”, sediada em Japaratuba, Patrimônio Histórico, Cultural e Imaterial do Estado de Sergipe

 

Garibalde Mendonça

Do deputado estadual Garibalde Mendonça (MDB) está na pauta o projeto que declara a “Festa de Bom Jesus dos Navegantes da Paróquia do Santo Antônio”, no Município de Aracaju, como Patrimônio Cultural e Imaterial do Estado de Sergipe.

 

Luciano Pimentel

Do deputado Luciano Pimentel (PSB) será apreciado o projeto que dispõe sobre a obrigatoriedade de manutenção de um profissional da área de enfermagem, nas empresas privadas com mais de 200 funcionários, enquanto perdurar o estado de emergência na saúde pública em todo Estado de Sergipe.

 

Maria Mendonça

Da deputada Maria Mendonça (PSDB) o projeto que dispõe sobre as diretrizes para a prevenção e redução de mortalidade materno, infantil e fetal causada por coronavírus, no Estado de Sergipe.

 

Máscaras

Por fim, e não menos importante, o projeto de lei de autoria dos deputados Georgeo Passos (Cidadania), Goretti Reis (PSD) e Luciano Pimentel que acrescenta dispositivos a lei nº 8.677, de 06 de maio de 2020, que dispõe sobre a obrigatoriedade de utilização de máscaras de proteção respiratória, em Sergipe, em decorrência da declaração de situação de emergência e/ou estado de calamidade pública na área da saúde, em razão da disseminação do vírus COVID-19 (novo coronavírus).

 

200 anos da Emancipação

Sob o tema “As Lutas pela Independência de Sergipe Conferencista”, a Assembleia Legislativa deu continuidade às comemorações dos 200 anos da Emancipação Política de Sergipe, na manhã dessa segunda-feira (13), com uma conferência, agora em ambiente virtual, ministrada pela professora doutora da Universidade Federal de Sergipe (UFS), Edna Matos Antônio, mediada pela também professora doutora e graduada em História, Valéria Oliveira.   

 

Jorge Carvalho

No último dia 8, data em que se celebrou a Emancipação Política, o professor doutor em História e Filosofia da Educação, Jorge Carvalho do Nascimento, fez uma exposição para os deputados estaduais e a sociedade em geral sobre o processo que se deu entre os anos de 1808 e 1822.

 

Igor Albuquerque I

A Conferência dessa segunda-feira (13) foi aberta pelo subsecretário-geral da Mesa Diretora, Igor Albuquerque. “Em nome da Alese quero registrar nossa alegria pela retomada dos trabalhos, desses seminários concebidos ainda no início do ano pela Comissão do Bicentenário. Ainda tivemos uma palestra presencial, que foi muito interessante e proveitosa para todos nós”.

 

Igor Albuquerque II

Igor lamentou que em seguida tenha vindo a pandemia do novo coronavírus (COVID-19) e que a Alese teve que seguir as regras de distanciamento social, mas exaltou a iniciativa dos seminários em ambiente virtual. “A Assembleia Legislativa entendeu a necessidade de se reinventar, em meio a este momento histórico de 200 anos de Emancipação Política”.

 

Edna Santos I

A conferencista Edna Santos iniciou destacando a necessidade da busca pelo conhecimento da história. “Conhecer a nossa história é uma declaração de amor. E não temos como não registrar as diversas rebeliões que ocorreram por aqui. Muitas vezes sabemos mais de movimentos populares de outros lugares e nem sabemos do que ocorreu em nosso Estado”.

 

Edna Santos II

Edna Santos explicou que se debruçou sobre documentos da época colonial, em várias pesquisas que fez e sempre baseada em informações concretas. “Os colonos não eram a ‘massa de manobra’ que se imagina e nem eram pessoas extremamente alheias ao que acontecia. Elas estavam envolvidas nos processos políticos. O processo de Independência do Brasil teve sim a participação dessas camadas, só não sabemos como, mas isso não significa que elas não participaram”.

 

Participação popular

A pesquisa pontuou que é possível sim vislumbrar um envolvimento amplo da sociedade sergipana em um processo de Independência, com a participação de grupos sociais e vários agentes que não ficariam indiferentes diante de tamanha mobilização.  Ela pontuou dominação por parte da Bahia, inclusive com proibições sobre movimentos voltados para a independência. “A luta política era muito intensa, em especial no Rio de Janeiro e as existiam muitas posições divergentes entre as Capitanias”.

 

Uso da violência

Por fim, ela falou muito em “uso de violência” contra famílias portuguesas que foram presas e/ou encaminhadas para Pernambuco, se não demonstrassem que eram patriotas. “A independência de Sergipe se deu sim por força da luta”, disse, explicando que existe um “repertório de documentos” que ainda precisam ser explorados e que, com exceção dos arquivos recuperados pelo Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe, boa parte da documentação referente à história do nosso Estado ainda encontra-se na Bahia.

 

Arquivos na Bahia

“Tem muita coisa administrativa e burocrática que ficou preservada no arquivo da Bahia. Tem que ir lá para pesquisar. Tem muita coisa de Sergipe, tanto na condição de Capitania quanto na condição de Comarca, inclusive com correspondências trocadas pelos capitães-mores e os governadores”, concluiu.

 

Próxima Conferência

Possivelmente também em ambiente virtual, a próxima Conferência promovida pela Assembleia Legislativa terá o tema “A Resistência Negra à Luz do Bicentenário da Independência de Sergipe”, prevista para o dia 18 de agosto, às 9h30, tendo como conferencista Prof. Dr. Petrônio José Domingues (UFS) e que terá Anselmo Machado como coordenador.

 

UFS e pós-pandemia

Ainda não sabemos quando a pandemia arrefecerá e permitirá à sociedade vivenciar o tão esperado “novo normal”, mas, mesmo sem ter a ideia de quando esse caos passará, a UFS já começa a analisar os próprios indicadores visando desenhar ações para um futuro próximo desafiador, e que exigirá grande potencial de reinvenção para continuar crescendo e atendendo as demandas da sociedade.

 

UFS e pós-pandemia 2

De acordo com o Vice-reitor da Instituição, Dr. Valter Santana, para esta nova realidade será necessária, dentre outras tantas inovações, a ampla discussão sobre flexibilização de currículos, o fornecimento de ainda mais apoio pedagógico e psicológico ao discente, de iniciativas inovadoras para a formação continuada dos docentes e servidores, e a exploração dos recursos da informática para subsidiar decisões da gestão acadêmica.

 

UFS é líder no Brasil

“Tudo será feito para garantir ao discente da UFS a continuidade da qualidade da formação, que se tornou marca da Instituição em seus mais de cinquenta anos de existência”, frisou o Vice-reitor. E uma prova dessa qualidade foi atestada na semana passada, quando o Times Higher Educations, uma das principais publicações do mundo no quesito educacional, anunciou que a UFS ocupa o 1° lugar no Brasil e 9° na América Latina no quesito “citações de artigos”.

 

UFS é líder no Brasil 2

Isto significa que as pesquisas científicas realizadas na UFS são muito citadas em artigos de pesquisadores brasileiros e de outros países, o que é um ateste à excelência das produções científicas da Universidade e demonstra que as pesquisas científica, tecnológica e de Inovação desenvolvidas na UFS têm colaborado, e muito, para desenvolvimento econômico e sociocultural de Sergipe e do País.

 

CRÍTICAS E SUGESTÕES

habacuquevillacorte@gmail.com  e habacuquevillacorte@hotmail. com

O que você está buscando?