A VOZ CONSERVADORA DE SERGIPE (Gabriel Gomes 21/07/2020)

Gabriel Gomes, 21 de Julho, 2020 - Atualizado em 21 de Julho, 2020


Antes de mais nada, não que isso seja um problema, mas é bom deixar claro que não tenho procuração nenhuma para elogiar ou criticar qualquer pessoa além de mim mesmo, porém, de tempos em tempos, aparecem figuras no cenário político e social sergipano que, como formadores de opinião, fazem por merecer uma exposição maior na mídia, afim de que, suas idéias e ações sejam difundidas e mais conhecidas pela sociedade.

Há muito acompanho os meandros da política sergipana e ao final do ano passado fui convidado, nada oficialmente, para participar de um movimento denominado Brasil 200. Movimento esse fundado em 2018, sem vinculação político-partidária e que tem como uma de suas bandeiras o desenvolvimento de uma sociedade mais justa, baseado em uma economia liberal e mais conservadora nas pautas de costumes, condizente a um perfil o qual me identifico.

Pois bem, comecei a prestar mais atenção nesse movimento aqui em Sergipe, inclusive cheguei a participar de um desses atos organizados para homenagear os parlamentares mais produtivos das três esferas do poder legislativo, na oportunidade os deputados Laércio Oliveira e Georgeo Passos foram agraciados como os mais produtivos das câmaras federal e estadual respectivamente. No entanto, o que mais chamou minha atenção foi justamente a fala do hoje coordenador nacional de núcleos do Brasil 200, um baiano radicado em Sergipe, um jovem empresário que atua na área da publicidade também, Lúcio Flávio Rocha.

Através de Lúcio Flávio, o movimento vem ganhando visibilidade e conseqüentemente adeptos em todo estado. Suas participações em programas de rádio matinal, ‘lives’ e entrevistas para TV’s, sempre com eloqüência, defendendo seu ponto de vista sem tergiversar sempre com argumentos aprofundados, ponderados e muito respeitosos, foram alguns fatores que me fizeram escrever esse pequeno artigo. Não é uma escrita em tom de desabafo, mas de alívio, alívio por saber que nesse estado ainda há pessoas dispostas a combater a mesmice ideológica inculcada por anos.

De posições firmes, corajosas e uma visão dissonante do que estamos acostumados em Sergipe nos últimos anos, e mesmo que suas palavras tenham dificuldades de reverberar em um estado historicamente dominado pela esquerda, Lúcio Flávio se faz necessário e, de fato, é “A” voz conservadora de Sergipe.

Por: Gabriel Gomes

O que você está buscando?