Álcool Gel Ungido... (Antonio Samarone)

Antonio Samarone, 20 de Março, 2020

"Se podes olhar, vê. Se podes ver, repara." Saramago.

A humanidade acreditava que as Pestes decorriam dos miasmas, desregramentos morais, desalinhamento dos corpos celestes, passagem de cometas ou castigo divino. A direita brasileira acredita que o Covid – 19 é obra do Comunismo Chinês.

Os argumentos não têm valia contra as paixões.

A verdade é que, a ciência ainda sabe pouco sobre a Pandemia. O mundo científico está buscando as “evidências”.

Enquanto isso, já estão vendendo “álcool gel ungido”, no mercado livre. Surgem notícias sobre remédios que podem curar a Peste. A multidão corre às farmácias e em poucas horas o estoque acaba.

As pesquisas cientificas são influenciadas pelo contexto sócio-histórico-culturais. Nesse momento, a corrida por uma vacina ou tratamento para o Covid – 19 é coordenada pela indústria farmacêutica. A ciência é parceira do mercado.

Karl Polanyi, demonstrou em seu livro, “A Grande Transformação”, como o pensamento socioeconômico contribuiu para a construção das concepções científicas sobre a natureza humana. Sem referência social, a ciência pode se transformar numa religião.

“Isso não significa que a ciência seja uma ilusão. Ilusão seria imaginar que aquilo que a ciência não nos pode dar, podemos conseguir em outro lugar.” Freud.

Outra coisa é tratarmos a ciência com fantasia.

A medicina não sabe por que nem sempre o contágio causa a doença. Não sabe explicar como se adoece. O vírus é necessário, mas não suficiente. Não se sabe o que efetivamente desencadeia a doença e determina sua severidade. No Covid – 19 os mais afetados são os idosos, na Gripe Espanhola eram os adultos jovens.

A teoria sintética da evolução é o dogma central da biologia. A ideia, é que os organismos são campos de batalha entre forças internas e externas. A teoria biológica reproduz as nossas relações sociais: guerra, seleção dos mais aptos, competição, controle, instrução pela informação e ataque contra defesa.

“O grande erro: é muito difícil não olhar para o Covid -19, como o grande inimigo da humanidade. A preocupação sempre foi com um invasor, um inimigo externo pronto para nos exterminar, um meio hostil contra o qual devemos nos defender. Na esteira deste estilo, a imunologia constrói o seu arcabouço conceitual.” Mourthé.

“A ameaça atual pelo Covid-19 torna claro que ainda vivemos uma imunologia Pasteuriana, apoiada na teoria dos germes, segundo a qual o contágio eventual com um agente patogênico conduz ao adoecer. Na ausência de drogas anti-virais eficazes ficamos com a esperança de uma vacina que nos proteja do covid-19. Não há garantia de que ela seja sequer possível; as vacinas ainda são inventadas por tentativa e erro, como fazia Pasteur.” Nelson Vaz.

Como explicar os “portadores sãos” — os transportadores sadios de agentes patogênicos?

A Peste de Covid – 19 não é compreensível apenas sob o ângulo da biologia e da imunologia Pasteuriana. O fenômeno é bem mais amplo. Questões ambientais, econômicas, populacionais, culturais precisam ser levadas em consideração.

O nosso modo de vida não é saudável, eis a questão!

Por enquanto, vamos seguindo as recomendações da Saúde Pública.

Antonio Samarone.

O que você está buscando?