Gente Sergipana – Professora Terezinha

por Antônio Samarone

Redação, 21 de Julho, 2019

*Quando cheguei à quinta série, tosco, criado como os Tupinambás, solto pelo mundo, encontrei a educação e a delicadeza: Dona Terezinha, minha professora de francês, no ginásio de Itabaiana.*

*Não tenho dados biográficos sobre essa grande mulher, mas não esqueci as suas aulas. Foi com ela que aprendi a primeira poesia (e única) em francês. Ainda lembro de um verso:*

*“Jamais on n'a vu, vu, vu*
*Jamais on n'verra, ra, ra*
*La queue d'une souris, ris, ris*
*Dans l'oreille d'un chat, chat, chat”*

*Professora Terezinha, uma das coisas que mais fiz na vida foi estudar, fui aluno de muita gente, perdi a conta. Mas já esqueci a maioria. Em suas aulas eu não aprendi francês, o tempo foi pouco, mas aprendi bondade, grandeza, generosidade e modos. Não esqueci!*

*A gente ficava com vergonha de ser mal-educado.*

*Parabéns, professora Terezinha.*
https://blogdesamarone.blogspot.com/
*Antônio Samarone.*

O que você está buscando?