Nossa Senhora Aparecida (SE) se despede, hoje, do ex-prefeito Iolando

Iolando administrou o município por dois mandatos.

Aparecido Santana, 23 de Julho, 2019 - Atualizado em 23 de Julho, 2019

Por Aparecido Santana, redação 93 Notícias.

A despedida do ex-prefeito Iolando Evangelista dos Santos, de 80 anos, vai acontecer nesta terça-feira, dia 23. O corpo do ex-prefeito está sendo velado na rua Presidente Médici e o sepultamento vai ocorrer às 16h, no cemitério do município aparecidense.

A prefeitura decretou ponto facultativo nessa terça-feira (23) e luto oficial de 3 dias em todas as repartições públicas, em respeito à memória do ex-prefeito Iolando Evangelista.

Foto: arquivo Marquinhos Pereira/ ano 2000

De acordo com a historiadora, Maria Aparecida Nunes Oliveira Barreto, no Registro Histórico das Eleições Municipais de Nossa Senhora Aparecida-SE (1965-2000), Iolando Evangelista dos Santos, nasceu em 30 de julho de 1939, no povoado Lagoa dos Tamburis, atualmente pertencente ao município de São Miguel do Aleixo. Durante a infância frequentou a escola por apenas 30 dias para obter noções básicas das quatro operações.

Logo cedo teve que ajudar os pais na lavoura e na criação de animais, não sobrando tempo para diversões. Depois veio residir numa fazenda do município de Nossa Senhora Aparecida, de nome Timbaúba, localizada a 20 km da sede, ficando mais próximo do povoado Angico.

Na entrevista a historiadora, Iolando relatou que recebeu um primeiro convite de Manoel Torquato de Jesus, Tenente, para disputar uma eleição e, neste primeiro momento, recusou, mas posteriormente viria aceitar.

— Eu ajeitava estradas na época, roçava e concertava, também possuía um carro, nesse tempo só devia ter uns três em Aparecida [carros], e eu tinha o meu lá no povoado, que sempre transportava o pessoal, prestava serviço às pessoas, tinha bastante amizade e então, por isso, eu acho que ele [Tenente] me convidou para vir a ser candidato e eu aceitei —, relatou.

O primeiro adversário de Iolando, em 1976, foi Liberato José Barreto. Ele disputou pela Arena e era apoiado pelo deputado Chico Passos, Lourival Baptista e José Rolemberg. Neste pleito, saiu vitorioso com 851 votos, tendo como vice Filemon Nunes de Oliveira. Seu adversário obteve 634 votos.

A posse ocorreu em 1º de fevereiro de 1977. O principal desafio de Iolando era estruturar à nova sede, uma vez que em 1975 havia sido transferida do povoado Cruz das Graças para o povoado Maniçoba, e partir de então, passou a se chamar Nossa Senhora Aparecida. O mandato durou 06 anos, uma vez que a Emenda Constitucional nº 14, de 09 de setembro de 1980, alterou os mandatos de prefeitos e vereadores, estendendo até 1983.

— Eu acho que, por exemplo, aqui na sede, quando eu tomei conta parece que tinham 130 casas, à essa altura comprei cerca de 40 tarefas de terras e doei para o povo construir. Também construí o mercado municipal, a prefeitura, várias escolas e a gente construiu aqui na sede do município, calcamento, rede de esgoto.

Em 1988, Iolando como candidato a prefeito e Manoel da Silva Barreto, como vice, disputaram nova eleição. Naquele ano, o Arena já se chamava PFL. A chapa obteve 1.914 votos, contra 1.032 de Manoel Cláudio de Souza, que tinha como vice João Muniz Filho. A posse do segundo mandato ocorreu no dia 1º de janeiro de 1989. Naquele pleito, Iolando era apoiado por João Alves Filho.

Foto: aquivo Robério Santos 

No ano de 2000, Iolando tentou retornar à vida pública, disputou uma cadeira na Câmara de Vereadores, mas não conseguiu êxito.

Com informações de Maria Aparecida Nunes Oliveira Barreto (NENA)  - Registro Histórico das Eleições Municipais de Nossa Senhora Aparecida-se (1965-2000). Itabaiana: UFS, 2002.

O que você está buscando?