Como guardar alimentos frescos: Um guia para nunca mais desperdiçar comida

Provavelmente você já deve saber que lugar de tomate não é a geladeira, mas essas outras regras podem ser novidade.

Redação, 24 de Agosto, 2019

É fácil esquecer da importância de guardar os alimentos frescos da maneira correta – até suas compras do supermercado estragarem. Segundo a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), frutas, legumes e verduras são os alimentos com maior índice de desperdício. Isso não só custa dinheiro como prejudica o meio ambiente. 

Além de otimizar suas compras e aproveitar melhor o que você tem em casa, uma das melhores maneiras de evitar o desperdício é saber como armazenar os alimentos da maneira correta.

Compilamos alguns dos erros mais comuns, além de dicas para evitá-los:

Não guarde os alimentos com base na exposição deles no supermercado.
Só porque o alimento está exposto em temperatura ambiente no supermercado ou na feira não quer dizer que você deve deixá-lo na bancada da cozinha.

“As bancas de feira fazem um rodízio dos produtos à mostra, mas isso não é ideal”, diz Lucy Senesac, gestora e educadora da Sang Lee Farms, uma fazenda orgânica de Long Island, Nova York. “Alface e todos as outras verduras sempre devem estar na geladeira e num saco plástico, para não murchar.”

Para garantir que seus alimentos durem o maior tempo possível, é importante se informar. O guia Save the Food, do Natural Resources Defense Council (NRDC) é uma boa ajuda para determinar a melhor maneira de guardar frutas, verduras e legumes.

Não guarde os tomates na geladeira.
Já falamos disso antes. A menos que os tomates estejam muito maduros ou já cortados, eles devem permanecer em temperatura ambiente, para amadurecer e atingir seu potencial de sabor. Segundo o Postharvest Technology Center, da Universidade da Califórnia, tomates não ficam maduros nem atingem a cor ideal se ficarem na geladeira. Os que já estão maduros podem perder o sabor e ficar farinhentos.

Senesac recomenda deixar os tomates na bancada, cobertos por um pano de prato para protegê-lo das drosófilas.

Também não coloque a melancia na geladeira.
Sim, melancia geladinha é uma delícia, então é natural imaginar que essa fruta deva morar na geladeira. Mas a verdade é que a melancia perde sabor e as cores vibrantes depois de mais de três sob refrigeração. Para obter os melhores resultados, deixe a melancia em temperatura ambiente, longe da luz do sol, e consuma tudo em alguns dias. Depois de aberta, porém, você deve refrigerá-la por motivos de segurança alimentar.

Não guarde a abobrinha na parte mais fria da geladeira 
Certo legumes e verduras, como a abobrinha, precisam de refrigeração, mas não gostam de temperaturas muito baixas. Senesac recomenda deixá-los na gaveta da geladeira, ou então embalá-los em papel toalha para que eles fiquem protegidos. E o ideal é consumi-los em cinco dias, no máximo.

Não guarde pepinos ou berinjelas na geladeira
Você pode estar acostumado a colocar berinjelas e pepinos direto na gaveta da geladeira, mas eles têm mais sabor e duram mais em temperatura ambiente. Por quê? Segundo o Postharvest Technology Center, a berinjela é sensível a temperaturas abaixo de 10 graus e pode exibir descoloração ou outros danos depois de seis a oito dias sob refrigeração. O mesmo vale para os pepinos, que podem sofrer depois de apenas dois ou três dias na geladeira. Se o período for inferior a isso, tudo bem. Mas certifique-se de usá-los assim que tirá-los da geladeira.

Não jogue fora as cebolinhas velhas
Cebolinha dura de sete a dez dias na geladeira, mas você sabia que dá para replantá-la se as raízes estiverem intactas? “Corte a ponta inferior da cebolinha e coloque o talo num copo d’água”, diz Yvette Cabrera, do Natural Resources Defense Council.

Não espere tempo demais para congelar frutas silvestres. 
Frutas silvestres são deliciosas – e lindas ―, mas estragam rápido. Normalmente, morangos, framboesas e amoras estão no auge do frescor durante dois ou três dias; mirtilos podem durar até dez. 

“Se você achar que eles estão para passar do ponto, coloque-os no freezer e use depois para fazer vitaminas”, diz Cabrera, acrescentando que o mesmo pode ser feito com bananas. Só não esqueça de descasca-las antes de congelar.

Não guarde ervas sem água.
Se você costuma guardar as ervas frescas diretamente na geladeira, talvez seja o caso de repensar essa estratégia. Ervas podem ser armazenadas como flores: coloque-as num copo com água e cubra-as com um saquinho, diz Senesac. Um saquinho de algodão reaproveitável pode resolver, mas depende da erva.

“Com o copo d’água, estamos tentando simular as condições de uma estufa. A umidade ajuda a manter o frescor das ervas”, diz Andrea Spacht Collins, especialista em sistemas alimentares sustentáveis do NRDC.

A maioria das ervas precisa de refrigeração, mas o manjericão é mais sensível ao calor e deve ser guardado em temperaturas acima de 10 graus, ou seja, ele pode ficar na bancada da cozinha.

Não guarde as frutas junto com legumes e verduras
Você sabia que não é boa ideia guardar frutas junto com legumes e verduras? Quando estão amadurecendo, as frutas produzem um hormônio chamado etileno, que pode acelerar o amadurecimento ou até mesmo estragar outros vegetais.

Por isso, frutas que produzem etileno (como maçãs, abacates, pêssegos e pimentões) devem ser guardadas separadas dos alimentos sensíveis ao hormônio (como berinjela, alface e pepino). Você também deve evitar colocar essas frutas em recipientes fechados, a menos que queira que elas amadureçam mais rápido.

Veja aqui uma lista de frutas e legumes que produzem etileno e são sensíveis a ele.

Não guarde cenouras fora do saquinho 
“Beterraba, cenoura e várias outras raízes duram semanas ou até mesmo meses se ficarem guardadas em saquinhos dentro da geladeira, em vez de soltas”, diz Senesac. “Elas precisam estar envolvidas para não perder a umidade.”

Outros exemplos são batata, mandioquinha, gengibre, alho, cebola, erva-doce e rabanete. Os saquinhos também ajudam a manter a geladeira organizada. E eles não precisam ser de plástico – existem saquinhos reutilizáveis de algodão que funcionam bem, afirma Senesac.

Por: huffpostbrasil

O que você está buscando?