Sergipanos sofrem golpes em site de venda de carros

Redação, 30 de Agosto, 2019

Cerca de duas ou três pessoas, por semana, caem no golpe da venda de carro pelo aplicativo da OLX em Sergipe. A Polícia Civil do Estado vem alertando a população há cerca de dois anos, inclusive já foram efetuadas prisões de envolvidos no crime, no entanto, permanece acontecendo com bastante frequência. E os prejuízos são altos: as vítimas chegam a perder de R$ 50 mil a R$ 80 mil.

Em conversa com a equipe do JORNAL DA CIDADE, a coordenadora da Delegacia de Defraudações e Crimes Cibernéticos, delegada Rosana Freitas, contou que se trata de um crime sofisticado e muito bem elaborado. Ocorre quando o estelionatário plagia anúncios de venda de carros disponíveis na OLX, alterando o valor, por um menor, e o contato de telefone.

No momento em que o suposto comprador demonstra interesse, o estelionatário anuncia o mesmo veículo, com as mesmas fotos, porém, com as informações alteradas. Enquanto isso, o criminoso estabelece contato com o anunciante verdadeiro e faz um jogo entre o vendedor e o comprador, tornando a transação real, chegando, inclusive, a marcar um encontro entre os dois.

“Ele pede para o vendedor informar que o veículo é de outra pessoa, de um irmão ou parente. Enquanto isso, ele fala ao comprador que será outra pessoa que vai mostrar o veículo, pois está viajando. Além disso, ele pede para o comprador não citar os valores acordados, por não ser ele próprio que irá mostrar. Então as informações verdadeiras não são repassadas. Quando a pessoa faz a transferência bancária, depois de ter visto o veículo, o dinheiro vai para a conta do criminoso”, detalha a delegada.

Para o verdadeiro vendedor, o criminoso entra em contato se passando pelo suposto comprador e informa que tem interesse no veículo, no entanto, diz que se trata de uma dívida a ser paga para um ex-funcionário e solicita para ele não revelar que é o verdadeiro proprietário do bem. Muito bem articulado, ambos caem no golpe.

Em meados de novembro de 2018, a PC prendeu nove pessoas em Sergipe e no Estado do Mato Grosso, suspeitos de praticarem esse tipo de crime. Os participantes foram presos em Itabaiana, município sergipano, e na cidade mato-grossense de Rondonópolis. Eles eram amigos entrei si e até mesmo membros da mesma família. Apesar de estarem em outro Estado, as contas disponibilizadas para depósito eram de agências bancárias localizadas em Sergipe, o que significa que os criminosos estavam diretamente ligados ou se encontravam dentro do Estado.

“Geralmente eles estão em um local e fazem vítimas de outro, pois assim dificulta serem achados, já que a investigação, apesar de ser iniciada na cidade da vítima, é encaminhada para a delegacia da cidade onde o crime foi efetivado, ou seja, para onde foi enviado o dinheiro. Então, esse processo e interligação leva mais tempo”, explica a Dra. Rosana.

Mesmo com as diversas prisões efetuadas e o alerta da PC para a população tomar cuidado com as transações realizadas com desconhecidos e pela internet, os crimes de estelionato com o golpe da venda de veículos pela OLX continuam acontecendo, e com constância.

“Nós temos cerca de dois ou três casos por semana. As pessoas continuam caindo nesse golpe e nós pedimos, cada vez mais, que estejam sempre atentas e tomem cuidado ao decidirem realizar esse tipo de compra. Quando o vendedor oferecer uma conta para depósito, basta pesquisar no google, com número da agência e o nome do banco, onde ela está instalada. E quando você está comprando algo em Sergipe e a conta é de outro Estado, já pode desconfiar e não efetuar a transação. Apesar de o aplicativo ser uma ferramenta muito boa, é preciso estar bastante atento”, alerta a delegada.

A Polícia Civil de Sergipe, por meio da delegada Rosana Freitas, elaborou um material informativo divulgado em redes sociais onde detalha como o consumidor pode se proteger desse tipo de golpe. Segundo as orientações, a delegada pede para que todos os consumidores desconfiem de interessados que peçam muitos dados do veículo por telefone ou por rede social. É preferível que o anunciante marque um encontro pessoalmente, em local público, para tratar do assunto.

“Fique atento ao sotaque da pessoa que mantem contato com você. Geralmente os estelionatários são de fora do Estado. Jamais concorde em mentir ou passar informações faltas a respeito do carro ou da transação a pedido da pessoa que se diz interessada na compra. Sempre converse com a pessoa que está interessada em comprar ou vender o veículo e fale a verdade a respeito da negociação”, informa a PC. 

Fonte: Laís de Melo/Equipe JC
Foto: André Moreira

O que você está buscando?