Preso autor de homicídio que vitimou criança de nove anos

Os suspeitos são acusados pelo homicídio de um homem, de 20 anos, e de uma criança, de nove

Redação, 04 de Setembro, 2019

Na manhã desta terça-feira, 3, o Batalhão de Radiopatrulha (BPRp) e a 2º Divisão do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), em entrevista coletiva, detalharam a operação que resultou na prisão de Rafael Clécio Santos Santana, de 21 anos, em flagrante delito por posse de vários pinos com cocaína. Ele é apontado como um dos autores do duplo homicídio que ocorreu na Praça do Getimana, na capital.

A prisão aconteceu na noite do último domingo, 1º, no condomínio residencial Zilda Arns, no bairro Cidade Nova, em Aracaju. Segundo informações da polícia, Rafael já estava sendo procurado pelo DHPP, por ter um mandado de prisão em aberto. Ele é apontado como um dos autores do duplo homicídio ocorrido na Praça do Getimana, bairro Japãozinho, no último dia 28 de agosto. 

 

De acordo com o tenente-coronel George Melo, o suspeito confessou a ação criminosa. “Na ocasião, Alef Gomes dos Santos, de 20 anos, e uma criança de nove, atingida na cabeça pelos disparos de arma de fogo, vieram à óbito. Rafael confessou ter praticado o homicídio de Alef em parceria com Alan da Conceição Reis, coautor do crime. O preso também afirmou que os disparos atingiram a criança, pois ela estava brincando na praça e correu na direção de Rafael”. 

 

Alan, que também possui mandado de prisão pelo duplo homicídio, está foragido e continua sendo procurado pelo DHPP. Desde sexta-feira, 30, o DHPP tinha a identificação da dupla, a partir disso o delegado Marcelo Cardoso representou pela prisão.

A delegada Tereza Simony responsável pelas investigações explicou a atuação do DHPP no caso. “Para nossa surpresa, no domingo a Polícia Militar efetuou a prisão de Rafael por tráfico de drogas e, consequentemente, foi cumprido o mandado de prisão pelo duplo homicídio. Ele está preso e à disposição da justiça, e irá responder por homicídio e tráfico de drogas. A 2ª Divisão continua as investigações para descobrir o paradeiro de Alan que continua foragido”.

A Polícia Civil pede que a população continue colaborando com as investigações repassando informações de crimes bem como sobre a localização de Alan, através do Disque Denúncia, telefone 181. O sigilo é garantido. 

Por: SSP

O que você está buscando?