Vigilantes cruzam os braços por falta de pagamentos em frente ao Hospital João Alves

Redação, 08 de Novembro, 2019

Vigilantes terceirizados paralisam as suas atividades em seis hospitais do Estado, e essas unidades têm segurança prejudicada.


Cerca de 300 vigilantes da empresa Sacel, que fazem a segurança das principais unidades de saúde do Estado, paralisaram suas atividades e estão em mobilização na manhã desta sexta-feira, 8/11 em frente ao Hospital de Urgência de Sergipe (Huse). Os trabalhadores pedem que a Secretaria de Estado da Saúde(SES) normalize o repasse financeiro à empresa de segurança, que está atrasado há quatro meses.

De acordo com o diretor de Comunicação do Sindicato dos Vigilantes do Estado de Sergipe (Sindivigilantes), Hélio Rocha, a situação da empresa tem se agravado ao longo dos últimos meses e os vigilantes já foram informados que os salários, cujo atraso já ocorre há uma semana, continuarão em débito até que a SES retome o pagamento.


Hélio Rocha garante que a paralisação durará até que a SES quite as dívidas pendentes com a Sacel. Hélio Rocha aponta, no mínimo, seis unidades de saúde cujas atividades de segurança estão paralisadas desde a última quinta-feira, 7/11. A Maternidade Nossa Senhora de Lourdes e hospitais de Nossa Senhora da Glória, Socorro e Estância, além dos hospitais de Urgências de Sergipe (Huse).

ASCOM: SINDIVIGILANTE - SE

O que você está buscando?