VIRGEM IMACULADA

MÃE DO PURO AMOR

Jerônimo Peixoto, 07 de Dezembro, 2019 - Atualizado em 07 de Dezembro, 2019

 

Virgem Imaculada, Mãe do Amor

Peço-te licença, para um desabafo, Senhora! Uma expressão de um coração vazio, amargurado, que se dirige a uma fonte inesgotável de Bênçãos e de Amor. Um desabafo, uma prece, um pedido de desculpas, uma confidência.

Eu fico triste quando todos te chamam apenas de Rainha, ou querem que faças aquilo que não é tua missão: Cura isso! Cura Aquilo! E te impõem vistosa coroa dourada... Ficas maravilhosamente bela, maquilada, como se fosses te casar novamente. A mais linda das noivas! Mas fico triste!

Emprega-se uma fortuna na compra de mantos purpúreos, de flores lindíssimas, de fogos... Ah! Muitos Fogos, como se, para falar contigo, precisássemos de te despertar de um profundo torpor! Esquecem-se de que tu estás sempre desperta, vigilante, atenta a todas as dores e a todas as lágrimas. Fico Triste!

Quase sempre, são poucos os que te enxergam de um outro modo: nos barracos, nas calçadas, nos cortiços, nas carvoarias, nos laranjais, nos canaviais, na beira do açude com a trouxa de roupa para ser batida na pedra; nos semáforos, pedindo esmolas; nas filas dos hospitais e/ou do INSS, para suplicar a migalha da saúde ou da aposentadoria; nas casas de recuperação, nos presídios, nos lixões... ali, não te chamam Maria! Tens outros nomes, outros rostos, de expressões empalidecidas pela fome, pelo desprezo, pelo abandono e pela indiferença. Fico triste!

Ah! Vejo-te nesses rostos e em tantos outros de infinitos nomes: no batente de uma vida áspera; na luta por dignidade, na reunião da igreja, na associação de bairro, na visita aos doentes e aos idosos; na esperança maternal da mãe que vê seu filho agonizante; na corrida da mulher que implora para que seu filho seja operado; na desventurada que vai visitar seu filho no presídio. Finalmente, vejo-te em cada mulher! Todas têm um pouco de ti, por pior que sejam, pois guardam, escondida, a chama de poder amar teu filho, desde que despertada com o fogo de um amor que permanece até ao ponto de dar a vida. Fico esperançoso!

Uma prece de súplica, no sincero desejo de te confiar todas as mulheres e todos os homens do mundo inteiro; de te entregar todos os sergipanos, os aracajuanos, os cristãos de todo o mundo. Que cessem a violência, o ódio, o rancor e a maledicência entre nós. Fico orante e suplicante! Tem pena de nós!

Perdoa-nos, por não sabermos quem tu és de fato! Por tentar te encontrar no lugar errado e de forma ingênua, achando que em determinados locais, tu te negas a estar. Os primeiros cristãos, teus contemporâneos, procuraram teu Filho no sepulcro... lembras-te? Eh!

Quero te confidenciar uma só coisa! Prometo não abusar de tua bondade... sei que, desde cedo, ao te fazeres serva do Amor, compreendeste o significado da Vida de Jesus. Ele veio do Céu, de junto de Deus, para nos ensinar o Amor que dá a Vida. E tu foste a primeira serva deste amor. Olha, Maria de tantos nomes e de tantos rostos, todos os cristãos querem comigo te dizer: Nós te amamos e desejamos te imitar. Ajuda-nos, mãe da esperança e do amor!

O que você está buscando?