“Foi no Huse onde consegui saber qual era realmente o meu problema”, diz paciente

Redação, 02 de Janeiro, 2020

Foi o acolhimento e o tratamento recebido no Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) que chamou a atenção do corretor de imóveis Rogério Lins Santana, de 32 anos. Sem saber o que tinha, mas com problemas respiratórios que só se agravavam, ele buscou diagnóstico em um hospital particular de Aracaju.

Como o seu quadro se agravou, ele foi regulado e transferido para a Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) I, do Huse, onde ficou internado por 30 dias. “Foi no Huse onde consegui saber qual era realmente o meu problema, fui muito bem tratado e hoje tenho saúde. É a toda equipe do Huse a quem devo a minha vida, são profissionais humanos, me trataram muito bem, jamais vou esquecer”, contou emocionado Rogério.

Muitas vezes criticado injustamente, o Huse passou grande parte de 2019 trabalhando acima da sua capacidade, por receber pacientes de baixa complexidade, que deveriam ser atendidos nas unidades básicas de saúde. O hospital é uma das poucas unidades do Estado que mantém suas portas abertas para atender toda a população sergipana e até pacientes de outros Estados.

O Huse prioriza o atendimento de urgência e emergência, ou seja, os casos que requer uma atenção redobrada por possuírem risco iminente de morte, e não o atendimento por ordem de chegada. Muitas vezes a população não compreende e quer ser atendida logo. Mesmo assim, nenhum paciente deixa a unidade sem ser atendido. Seja para receber uma medicação ou para ficar internado, todos passam pela triagem e são assistidos.

O que você está buscando?