TRE mantém as cassações de Talysson de Valmir e Bosco Costa

Redação, 22 de Janeiro, 2020 - Atualizado em 22 de Janeiro, 2020


Os deputados do PR Bosco Costa (federal) e Talysson Costa (estadual) não conseguiram reverter a cassação de seus mandatos. Os dois são acusados, respectivamente, por abuso do poder econômico e uso indevido da máquina pública. O Pleno do Tribunal Regional Eleitoral acatou, nesta quarta-feira (22), o parecer do desembargador-relator Diógenes Barreto, rejeitando os embargos de declaração interpostos pelos dois parlamentares.

Para rejeitar os argumentos da defesa de Bosco Costa, o desembargador Diógenes Barreto se fundamentou na denúncia do Ministério Público Eleitoral dando conta que a campanha do deputado teria exagerado nas despesas com aluguel de veículos, além de os contratos de locação serem muito semelhantes. O relator também preferiu permanecer com seu parecer anterior sobre a acusação de que Talysson Costa teria usado a estrutura da Prefeitura de Itabaiana para se beneficiar eleitoralmente. O deputado estadual cassado vem a ser filho do prefeito itabaianense Valmir de Francisquinho (PR).

Embora tendo mantidas as cassações, tanto Bosco Costa quanto Talysson permanecem nos mandatos parlamentares, pois as defesas de ambos vão recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral contra as decisões do TRE sergipano. O deputado estadual cassado foi o mais votado nas eleições de 2018, obtendo 42.046 votos. Já Bosco Costa foi votado por 47.788 eleitores, ficando entre os seis federais mais votados em Sergipe.

Informações com Destaque 

O que você está buscando?