Delegado Paulo Márcio chama senador Alessandro Vieira de autoritário

Redação, 05 de Fevereiro, 2020

Velhos conhecidos das delegacias de polícia sergipana, o delegado Paulo Márcio, pré-candidato a prefeito de Aracaju, e o senador Alessandro Vieira não se dão muito bem e a rivalidade está ficando cada vez mais nítida durante este início de precessão eleitoral. Na última semana, o líder do partido Cidadania realizou uma pesquisa eleitoral onde sua pré-candidata e também delegada, Danielle Garcia, aparece em primeiro lugar e o  delegado Paulo Márcio nem foi citado.

Inconformado com seu nome fora da consulta pública, o delegado Paulo Márcio emitiu nota criticando a postura do senador e a lisura da pesquisa eleitoral que não consta na lista todos os pré-candidatos. No texto, ainda é citado o uso de dinheiro do fundo partidário para contratação de empresa de correligionários do Cidadania.

Confira a nota na íntegra.

Senador Alessandro Vieira,

Graças a Deus, vivemos em um regime democrático. Mais ainda, adotamos como forma de governo a República, que deriva do latim “res publica” e significa, literalmente, coisa pública.

O dinheiro do fundo partidário, por exemplo, que Vossa Excelência utilizou para custear polêmica pesquisa realizada por um instituto cujos sócios são dois filiados do partido Cidadania, também é considerado coisa pública, e, como tal, não pode servir a qualquer propósito que não se coadune com o interesse público ou coletivo.

Portanto, rotular como “sem vergonha na cara” as pessoas que, sentindo-se prejudicadas, democraticamente questionaram a contratação, por meio de recursos públicos, de um instituto umbilicalmente ligado ao partido comandado por Vossa Excelência, só vem a confirmar a natureza despótica e o autoritarismo que lhe são característicos e já não se envergonham em desfilar à luz do dia.

Se Vossa Excelência conduz seu agrupamento com rédeas curtas e impõe sua vontade sobre seus correligionários, para tanto valendo-se de uma democracia de fachada, é algo que não nos diz respeito e sobre o que não nos interessa emitir qualquer juízo de valor. Como diz o adágio popular, os incomodados que se mudem (alguns já se mudaram e outros estão de malas prontas).

Mas, a partir do momento em que seu instituto natimorto vai a campo e, de forma deliberada, exclui o nosso nome da lista de pré-candidatos, de modo a alterar o resultado da sondagem para atender a objetivos não republicanos,  tenha absoluta certeza de que, tantas vezes quantas forem necessárias, utilizaremos de nossos direitos e prerrogativas constitucionais  – que Vossa Excelência arrogantemente prefere chamar de “falta de vergonha na cara” – para defender a transparência, a lisura do processo eleitoral e a igualdade entre partidos e pré-candidatos, nos termos assegurados pela Constituição Federal e legislação  eleitoral.

Delegado Paulo Márcio (DC), pré-candidato a prefeito de Aracaju.

O que você está buscando?