Pistoleiro acusado de matar secretário de Itabaiana briga em presídio

Redação, 07 de Fevereiro, 2020 - Atualizado em 07 de Fevereiro, 2020

O presidiário Edson Alcântara Santana, 33, suspeito de disparar os tiros que mataram Rauan Stefani Santos Santana, secretário de Relações Institucionais e de Defesa Social de Itabaiana, se envolveu em uma briga com ‘colegas’ de presídio e pediu transferência do Complexo Penitenciário Antonio Jacintho Filho (Compajaf). O pedido de transferência para o presídio de Areia Branca ainda depende de decisão do juízo da 7a Vara Criminal, por onde tramita o processo administrativo.

Ercinho, como é conhecido, ficou foragido por um período superior a dez anos, acusado por uma série de crimes e era procurado também por suposto envolvimento na morte do escrivão Flávio Santos de Oliveira Matos, da Polícia Civil, assassinado a tiros no mês de junho de 2010. O suspeito foi localizado no mês de outubro do ano passado na cidade de Gurupi, no estado do Tocantins, e foi escoltado para Sergipe, onde desembarcou no dia 29 daquele mesmo mês.

Aparentemente, Ercinho teria agido sozinho para matar o ex-secretário Rauan Santana, crime ocorrido na manhã do dia 6 de junho do ano passado dentro de uma churrascaria da Serra de Itabaiana, momento em que a vítima tomava café da manhã na companhia de outras pessoas. A Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP) está convicta de que há outras pessoas envolvidas nessa ação criminosa e está trabalhando para identificar o mandante.

O inquérito policial, instaurado para investigar a morte de Rauan Santana, ainda não foi concluído. De acordo com informações da delegada-geral da Polícia Civil, Katarina Feitosa, há uma equipe do Complexo de Operações Policiais Especiais (Cope) da SSP envolvida nessa investigação para dar respostas céleres sobre a elucidação desse crime, com diligências em andamento. Detalhes não são fornecidos para não atrapalhar o trabalho dos investigadores.

 

 

por Cassia Santana / Infonet 

O que você está buscando?