Educação: movimento 'Adia Enem' ganha força em Sergipe

Mobilização une alunos e professores da rede pública e privada

Katiane Peixoto, 19 de Maio, 2020 - Atualizado em 19 de Maio, 2020

Imagem ilustrativa

Com a pandemia do Coronavírus, as aulas da rede pública e privada de todo o país foram suspensas. Muitas das escolas estão desenvolvendo aulas no sistema online, porém uma parcela dos estudantes, especialmente os de baixa renda (que se encontram, em sua maioria, na rede pública) não tem condições de acompanhar as atividades à distância.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), cerca de 33% dos domicílios não têm internet e 58% não tem acesso a computadores. No entanto, mesmo com essa problemática, a realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) permanece na mesma data, em novembro – as inscrições estão abertas até o dia 22 de maio.

Nesse contexto, surge o questionamento: Como os alunos que fazem parte dessa parcela da população irão se preparar para o Enem?

#AdiaEnem

Com isto, professores, alunos e a sociedade de modo geral, se unem no movimento “Adia Enem”, com o intuito de que a data da aplicação da prova seja revista pelos órgãos competentes.

Em Sergipe, a mobilização começou no início de maio com professores de Aracaju e tem ganhado força no interior. Foi criada uma plataforma chamada “Sem Aula, Sem Enem”, que cadastra apoiadores e envia e-mails para a bancada sergipana na Câmara dos Deputados, com o objetivo de chamar a atenção para apoiar o projeto de adiamento.

Em Itabaiana, o professor de história Diougo Rafael é um dos apoiadores do movimento. Para ele, “manter a data da prova do Enem é aprofundar a desigualdade social. É criar uma espécie de ‘Apartheid’ social: De um lado, estudantes que podem pagar; do outro, estudantes que não podem”, explica o professor.

Existe um projeto de lei circulando no Congresso Nacional (Nº 167/2020) que já possui apoiadores, mas é necessário que os demais deputados e senadores apoiem e aprovem, permitido, assim, que os alunos não sejam prejudicados de tal maneira.

INEP

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) afirmou, em comunicado, que a data do Enem 2020 não é imutável. “Diversos fatores ainda estão incertos” – por isso, por enquanto, a aplicação está mantida para novembro.

O que você está buscando?