Júlio César, o imperador da Emsetur, recebe quase R$ 33 mil de salário

Redação, 20 de Maio, 2020

A crise ocasionada pela pandemia do covid-19 vem afetando todos os setores da economia mundial e em Sergipe não é diferente. O turismo amarga o pior período da sua história com aeroportos virando estacionamento de aeronaves, hotéis mofando e restaurantes trabalhando apenas por delivery para tentar sobreviver. Enquanto isso, o diretor presidente da Empresa Sergipana de Turismo (Emsetur), Júlio César Gomes Barbosa, recebe quase R$ 33 mil mensais, recebendo o status de imperador do turismo sergipano.

No decreto do último dia 11 de maio, o governador Belivaldo Chagas elencou ‘Ações de Turismo’ como serviços essenciais, só não foi apresentada a forma de trabalho que será adotada para salvar o setor. Até o momento, a única ação do turismo em Sergipe realizada pela Emsetur e pela Secretaria de Estado do Turismo (Setur) foi trocar os prédios próprios para salas alugadas no valor superior a R$ 240 mil ao ano.

Por diversos momento o governador disse que irei ‘hibernar’ a Emsetur e até o momento que vemos são salários exorbitantes, começando pelo chefe da pasta.

O que você está buscando?