Motoristas aproveitam para deixar utilitários mais econômicos e potentes, em tempos de pandemia

Carros de transporte de pessoas ou de cargas precisam estar em perfeitas condições para maior segurança e garantia de rentabilidade financeira de seu proprietário

Redação, 21 de Maio, 2020 - Atualizado em 21 de Maio, 2020


Vans com fumaça em excesso, sem potência, muitas vezes até obrigando o motorista a mudar o itinerário para evitar subidas. Para solucionar este problema sobretudo de quem usa o carro como ferramenta de trabalho, uma boa opção é buscar por uma empresa que faça um bom serviço de remapde motor (reprogramação de ECU), de forma a proporcionar maior segurança, qualidade no transporte e agilidade no dia a dia. A SFI CHIPS, com sede na capital paulista, é especializada em repotenciamento que permite ao veículo conquistar ganhos significativos de torque e velocidade do motor, além de economia de combustível e durabilidade.

Neste universo de utilitários, um segmento que está aproveitando a paralisação das atividades para fazer essa reprogramação são o das vans escolares. Com as aulas temporariamente suspensas, Tolentino Catanho, mais conhecido por tio Tolem, decidiu resolver definitivamente o problema do seu Fiat Ducato modelo Euro 5 (2013). “O carro possui o sistema EGR, mas acontece que não funciona direito, ele carboniza. Toda hora eu tinha que ir ao mecânico e gastava de 3 a 4 mil reais para limpar o motor, que soltava fumaça e ficava fraco”, conta Catanho. Por indicação de um colega, recorreu a SFI CHIPS. “Agora sim o veículo está bom. Gostei bastante. Não deu mais problema. Um alívio não ter mais que gastar muito com combustível e mecânicos”, completa. Tio Tolem roda uma média de 60 quilômetros/dia, na zona Leste da capital de São Paulo, de segunda a sexta-feira, levando e buscando 50 crianças e adolescentes. “Tenho experiência neste ramo, pois faço isso há 20 anos e sei que preciso deixar o meu transporte o mais seguro possível para meus passageiros mirins”, conclui.

Ada da Conceição sabe bem o que é um pesadelo quando a sua van escolar, principal ferramenta de  trabalho, não funciona bem. “O veículo soltava muita fumaça e estava perdendo potência. Cheguei a gastar 10 mil reais com limpeza de bico e outros serviços até resolver o problema com a SFI CHIPS. Alguns colegas aqui de Peruíbe (município do litoral sul paulista) me indicaram. Foi a melhor coisa que me aconteceu”. Ada tem um Peugeot Boxer 2.3 (2013) e transporta 100 crianças diariamente. “O que outros mecânicos levaram meses e não resolveram, a SFI CHIPS com a reprogramação solucionou em apenas uma hora”, comemora a motorista.

Segundo Márcio Medina, sócio-diretor da SFI CHIPS, vans escolares e pequenos utilitários de carga com problemas de perda de potência, painel com luzes acesas, válvula EGR, filtro de partículas diesel (com a sigla inglesa DPF) entupido, fumaça branca excessiva no escapamento ou defeitos crônicos, podem procurar a empresa para uma avaliação técnica gratuita, com scanner apropriado. “Fazemos um trabalho personalizado com solução ideal para cada caso e o melhor software do mercado”. Medina conta que o remap é mais de prevenção para que a van não perca potência. Outra vantagem é a economia (em torno de 15%) no abastecimento. Além de carros, a SFI CHIPS também faz a reprogramação do módulo de injeção de linhas pesada, agrícola e náutica.

O motorista William Santos roda com seu Fiat Ducato (2013) 500 km/dia, transportando papel toalha. “A van precisa ficar segura, pois trabalha bastante. Mas começou a falhar no filtro DPF e já não desenvolvia bem”, conta Santos. Após as soluções de alto desempenho da SFI CHIPS voltou a funcionar perfeitamente. “Agora estou satisfeito, pois consigo circular com segurança. Já indiquei o serviço para mais cinco amigos”.

Jonathan de Oliveira, comprador em uma empresa de transporte, também fez o mesmo com seu Fiat Ducato 2.3 e não se arrepende. “Transportamos pela cidade o dia todo e a van precisa estar impecável”, diz. O veículo estava com a potência muito fraca para o percurso extenso que fazia. “Agora melhorou e voltamos a ficar tranquilos”, conclui Oliveira.

 

Por: Ascom SFICHIPS

O que você está buscando?