O mapa mundial de aparições da Virgem Maria

Jose Costa, 23 de Maio, 2020

Os seguidores do catolicismo demonstram grande devoção à Virgem Maria, mãe de Jesus. Embora ela tenha dado luz ao Cristo, não é considerada divina em si pela igreja.

 

Visto que boa parte do mundo segue essa religião, aparições da Virgem Maria são comuns em diversas localidades.

 

De acordo com a doutrina católica, a idade da “revelação pública” terminou por volta do ano de 100 dC com a morte de João, o último apóstolo. Logo, as revelações que ocorreram depois desse período são consideradas “particulares”, iluminando aspectos da fé, mas nunca revelando novos.

 

Verdadeiras, oficializadas, fraudulentas e ridicularizadas

Aparições são muitas vezes objeto de ridicularização. A maioria não recebe aprovação oficial da igreja católica, seja pelo bispado local ou pelo Vaticano. Algumas podem ser fraudulentas.

Sendo assim, aparições não reconhecidas podem levar a cismas com a igreja oficial. A pessoa que viu a Virgem e seus seguidores podem fundar movimentos independentes ou se juntar a seitas existentes.

Confira abaixo um mapa mundial sobre as aparições da Virgem Maria, bem como algumas informações sobre esses eventos sobrenaturais.

 

Mapa mundial e europeu

Os mapas abaixo foram produzidos pela National Geographic e mostram a geografia das visitas de Maria pelo mundo. O primeiro foca no globo como um todo, e o segundo mostra as aparições na Europa (área aumentada a partir do quadrado na primeira imagem).

 

Legenda:

Cruzes mostram onde a Virgem Maria apareceu para um futuro santo;

Pontos amarelos denotam aparições relacionadas à tradição católica, mas não atestadas pelo Vaticano;

Pontos azuis denotam aparições mais recentes, mas ainda não confirmadas;

Pontos verdes denotam aparições aprovadas como “dignas de fé”, mas não sobrenaturais;

Pontos vermelhos denotam que um bispo local “aprovou” a aparição como genuína;

Pontos vermelhos maiores (para aparições famosas) marcam aquelas que também foram reconhecidas pelo Vaticano.

 

Onde a Virgem Maria mais apareceu?

Os mapas parecem indicar que a Virgem Maria deu as caras mais vezes pela Europa, com os EUA seguindo de perto.

No continente europeu, os destinos favoritos de Maria parecem ser a Itália e a França, seguidas do sul da Alemanha (a parte católica do país) e a Bélgica.

Considerando que a Espanha e a Polônia são países com muita fé católica, o número de aparições por lá parece pequeno.

É também curioso que não haja quase nenhuma aparição nos Balcãs (Medjugorje sendo a exceção mais notável). A Escandinávia, uma região na qual muitos países são predominantemente ateístas, é totalmente livre de aparições da Mãe Santa.

Os EUA lideram o resto do mundo em número de aparições, embora a maioria não seja reconhecida pela igreja. O mesmo acontece no Brasil – temos algumas aparições, mas somente duas aprovadas pelo bispado local.

Duas aparições na África e uma no México são oficialmente reconhecidas pelo Vaticano.

 

Para quem a Virgem Maria mais apareceu?

De acordo com o portal Big Think, as aparições da Virgem Maria ocorrem tipicamente em tempos de crise para crianças de ambientes socioeconômico humildes. Elas são as únicas capazes de ver o fenômeno, sendo que as visitas acontecem às vezes durante um período prolongado.

 

O que a Virgem Maria desejava com essas aparições?

A maria das aparições não resulta em contato direto entre a Virgem e seus observadores.

Quando Maria fala com a pessoa que a observa, normalmente é para pedir pela construção de uma capela ou igreja, para implorar mais devoção ou fé aos seus seguidores, e/ou para alertar sobre o futuro.

As testemunhas frequentemente relatam suas roupas e atributos em grande detalhe.

 

Aparições da Virgem Maria aprovadas pelo Vaticano: uma visão geral

Existem pelo menos 17 aparições da Virgem Maria confirmadas pelo Vaticano. Destacamos algumas delas a seguir:

 

Nossa Senhora de Lourdes, França

Em 11 de fevereiro de 1858, uma “donzela” falou com Bernadette Soubirous, uma garota de 14 anos, na gruta de Massabielle, a cerca de 1,6 km da cidade de Lourdes, no sul da França.

A tal donzela, que apareceu outras 17 vezes, revelou-se Nossa Senhora da Imaculada Conceição e pediu que fosse construída uma capela naquele local.

Ao que tudo indica, Maria revelou uma nascente para Bernadette e instruiu os peregrinos a beberem dela e se lavarem nela. A água, fornecida gratuitamente, é um souvenir popular de Lourdes. Alguns alegam ter sido curados por ela.

O Departamento Médico de Lourdes documentou cerca de 70 curas milagrosas no local, e Bernadette foi canonizada santa em 1933. A aparição em Lourdes também é reconhecida pela igreja anglicana, que tem seu próprio santuário na cidade francesa.

A visão de Bernadette tem semelhanças com a de Anglèze de Sagazan, uma pastora de 12 anos que no século XVI viu a Virgem Maria na vizinha Garaison. As peregrinações à Garaison logo foram trocadas por perambulações à Lourdes. Hoje em dia, milhões de peregrinos viajam para a cidade a cada ano. A região possui mais quartos de hotel do que qualquer outro lugar da França, exceto Paris.

 

Capela Nossa Senhora da Medalha Milagrosa, França

Em 19 de julho de 1830, uma voz acordou a freira Catherine Labouré chamando-a para a capela, onde uma aparição da Virgem Maria lhe disse que “os tempos eram ruins na França e no mundo” e lhe instruiu a produzir medalhões que conferissem graças àqueles que os usassem.

Os medalhões – nos quais estava inscrito “Ó Maria, concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a ti” – se tornaram muito populares e foram influentes na promulgação do Vaticano do dogma da Imaculada Conceição, em 1854.

Catherine passou o resto da vida cuidando de doentes e idosos. Seu corpo, agora envolto em vidro e exibido em Paris, foi descoberto incorrupto e ela foi canonizada em 1947.

O papa João Paulo II usou uma variação da imagem do medalhão como brasão de armas.

 

Nossa Senhora de Siluva, Lituânia

Em 1608, algumas crianças que cuidavam de ovelhas relataram ter visto uma bela dama segurando um bebê em um local onde anteriormente havia uma igreja. Ela estava chorando.

As crianças voltaram no dia seguinte com alguns moradores, incluindo um ministro calvinista, e todos a viram.

Uma nova igreja católica foi construída no lugar da antiga e, eventualmente, substituída por uma muito maior – chamada Basílica da Natividade de Maria – para acomodar as multidões de peregrinos que visitavam o local.

A Capela da Aparição, construída sobre a rocha onde a Virgem apareceu, tem a torre mais alta da Lituânia. É possível beijar a própria pedra, acessível sob o altar da capela.

O Papa Pio XI intitulou a Lituânia como “Terra Mariana” por conta de sua devoção à Virgem Maria. A Nossa Senhora de Siluva é considerada padroeira daqueles que abandonaram a fé católica e dos que oram em seu nome.

 

Nossa Senhora do Laus ou Refúgio dos Pecadores, França

Em maio de 1664, a pastora de 17 anos Benoîte Rencurel viu uma aparição de São Maurício, um mártir do século III muito reverenciado em sua região natal, no sudeste da França. Ele aconselhou Benoîte a visitar um vale próximo, onde ela veria a Virgem Maria.

Em uma gruta, a pastora de fato descobriu Maria segurando o bebê Jesus. A Virgem instruiu Benoîte a construir uma capela na vila de Laus, onde os pecadores seriam convertidos, bem como prometeu aparecer com frequência.

Alguns dos peregrinos de Laus tornaram-se santos, incluindo Eugênio de Mazenod, fundador dos Missionários Oblatos de Maria Imaculada. As aparições marianas em Laus duraram até 1718. Apesar disso, só foram reconhecidas pela Santa Sé em 2008.

 

Nossa Senhora de Fátima, Portugal

Entre 13 de maio e 13 de outubro de 1917, uma “dama mais brilhante que o sol” apareceu seis vezes para três crianças pastoras portuguesas, Lúcia dos Santos e seus primos Francisco e Jacinta Marto.

A dama pediu que as pessoas se devotassem à Santíssima Trindade e rezassem o Rosário todos os dias, informando que a oração acabaria com a Grande Guerra. Também mostrou às crianças uma visão do inferno, confiando a elas três segredos.

As aparições atraíram milhares de visitantes à Fátima e perturbaram o equilíbrio político em Portugal, ainda uma república jovem e anticlerical lutando contra uma forte reação conservadora. As crianças, inclusive, foram brevemente presas e ordenadas a revelar os segredos ou admitir que haviam mentido.

Na última aparição da Virgem, muitos dos até 100.000 visitantes do local relataram um “milagre” incluindo luz multicolorida e movimento irregular do sol. Alguns não viram nada fora do comum.

Conforme previsto pela Virgem, Francisco e Jacinta morreram logo depois, na pandemia de gripe espanhola que começou em 1918. Lúcia tornou-se freira, afirmando ver Maria e Jesus esporadicamente mais tarde na vida. Ela morreu em 2005, aos 97 anos.

O Papa João Paulo II creditou Nossa Senhora de Fátima por salvar sua vida em 13 de maio de 1981, doando a bala que o feriu ao santuário de Fátima. O local é atualmente um dos centros de peregrinação mais populares do mundo.

 

Nossa Senhora de Zeitoun, Egito

Em 2 de abril de 1968, um motorista de ônibus muçulmano pensou ter visto uma senhora no topo de uma igreja copta em Zeitoun, perto do Cairo, no Egito, imaginando que ela estava prestes a cometer suicídio.

A polícia foi chamada, mas a multidão reunida rapidamente identificou a figura como a Virgem Maria. Depois de alguns minutos, ela desapareceu.

A tal senhora voltou uma semana depois, novamente por alguns minutos. Depois disso, ocorreram aparições várias vezes por semana até 1971. Um membro do Vaticano foi enviado para investigar, mas deixou a verificação na mão das autoridades coptas.

O local da aparição tem um vínculo histórico com a Virgem Maria, pelo menos de acordo com a tradição copta (os coptas são egípcios cujos ancestrais abraçaram o cristianismo no século I, formando um dos principais grupos etno-religiosos do país): afirma-se que é um dos lugares onde a Sagrada Família descansou em sua fuga de Belém para o Egito.

Diferente da maioria das outras aparições, a Virgem de Zeitoun foi vista não por poucas pessoas, mas por multidões – as estimativas variam de 250.000 pessoas até milhões, ao longo dos quatro anos em que o fenômeno durou, incluindo muitos muçulmanos e o ex-presidente egípcio Gamal Abdel Nasser. O evento também foi capturado em câmera.

Céticos consideram as aparições de Zeitoun como um caso de histeria em massa, ocorrida em tempos de crise (no caso, após a derrota do Egito por Israel na guerra de 1967, as pessoas teriam se sentido decepcionadas com a modernidade e se voltado para a religião).

 

Nossa Senhora de Guadalupe, México

Em 9 de dezembro de 1531, a Virgem Maria teria aparecido ao camponês Juan Diego na colina de Tepeyac, perto da Cidade do México. Falando com ele na língua uto-asteca náuatle, pediu que uma igreja fosse construída no local.

Juan Diego relatou o avistamento ao arcebispo do México, que não acreditou nele. A igreja pediu um sinal milagroso.

Logo depois, Maria curou o tio de Juan Diego e o instruiu a colher rosas castelhanas no topo da geralmente árida Tepeyac, transformando sua capa em uma imagem da Virgem. Alguns dias mais tarde, a capa foi exibida em uma capela erguida às pressas.

Milagres começaram a ocorrer quase imediatamente, e a Nossa Senhora de Guadalupe se tornou o símbolo religioso mais popular do México. No século 19, tornou-se também uma força a ser invocada na luta da independência do México contra a Espanha.

Apesar de Juan Diego ter sido canonizado em 2002, alguns estudiosos católicos duvidam que ele sequer tenha existido. Segundo tais pesquisadores, o culto a Guadalupe destinou-se a aumentar a devoção católica entre os indígenas mexicanos. Inclusive, a imagem na capa lembraria a arte contemporânea espanhola. Muitos crentes, no entanto, atribuem qualidades milagrosas à capa, que é exibida na basílica construída em uma caixa à prova de balas e climatizada.

Embora origens náuatles tenham sido propostas, parece provável que o nome Guadalupe, anexado à aparição, seja uma referência espanhola. A Extremadura, região espanhola onde nasceu o conquistador Hernán Cortés, tem seu próprio culto a Nossa Senhora de Guadalupe centrado em uma estátua que, segundo Lucas, foi esculpida por São Lucas Evangelista.

Para os mexicanos nativos, a Nossa Senhora de Guadalupe lembra Tonantzín, uma deusa da terra e destruidora de serpentes asteca, cujo templo anteriormente ficava na mesma colina onde a basílica fica agora.

A Nossa Senhora de Guadalupe é a santa padroeira do México, das Américas e dos nascituros e, portanto, também um símbolo do movimento pró-vida. A Basílica de Nossa Senhora de Guadalupe, na Cidade do México, é o santuário católico mais visitado do mundo, recebendo milhões de peregrinos todos os anos. [BigThink]

 

Fonte: https://hypescience.com/mapas-de-aparicoes-da-virgem-maria/ - Por Natasha Romanzoti

O que você está buscando?