População volta às ruas, pandemia pode crescer e comércio fechar

Redação, 02 de Agosto, 2020 - Atualizado em 02 de Agosto, 2020


Neste sábado, 1º de agosto, foi de muita movimentação  no centro comercial de Aracaju. Este é o primeiro final de semana depois da reabertura de parte do comércio, fechado por conta da pandemia do Coronavírus. Em Sergipe, 59.724 pessoas já testaram positivo para a COVID-19 e 1.448 morreram.

É o que mostra a Secretaria de Estado da Saúde (SES) que divulgou neste sábado, 1º, o boletim epidemiológico do coronavírus, com 1.014 casos e 15 novos óbitos.  Dos 15 óbitos, 12 estavam em investigação e foram confirmados. Houve a exclusão de um óbito, transferido de Simão Dias para Paripiranga (BA). Até o momento, 31.444 pacientes foram curados.

De Aracaju, são quatro mortes, com três mulheres: 68 e 83 anos, com hipertensão e diabetes; e 55, com diabetes. A vítima do sexo masculino possuía 61 anos, sem comorbidades. De Lagarto, dois óbitos: mulher, 75 anos, com hipertensão; e homem, 70 anos, com hipertensão, diabetes e hepatopatia.

Em outros municípios: homem, 72 anos, sem comorbidades, morador de Arauá; homem, 69 anos, da Barra dos Coqueiros, com hipertensão e diabetes; mulher, 81 anos, de Boquim, com hipertensão e diabetes; homem, 57, de Laranjeiras, sem comorbidades; mulher, 74 anos, de Nossa Senhora das Dores, com hipertensão, obesidade e cardiopatia; homem, 57 anos, de Pacatuba, sem comorbidades; mulher, 58, de Santana do São Francisco, com diabetes, doença renal crônica e hipertensão; homem, 87 anos, de Simão Dias, com hipertensão; e mulher, 45 anos, de Nossa Senhora do Socorro, sem comorbidades.

Foram realizados 101.370 exames e 41.646 foram negativados. Estão internados 590 pacientes, sendo 266 em leitos de UTI (164 na rede pública, sendo 163 adultas e 1 pediátricas; e 102 na rede privada, sendo 99 adultas e 3 pediátricas) e 324 em leitos clínicos (210 na rede pública e 114 na rede privada). São investigados mais oito óbitos. Ainda aguardam resultado 808 exames coletados.

Sergipe no Platô – Pelos índices oferecidos pela Secretaria da Saúde durante a semana, revela que Sergipe chegou ao platô em relação ao picos do Covid-19 e demonstra estabilidade. Pela previsão de cientistas da Universidade Federal de Sergipe e de alguns médicos que atuam na área, a partir da segunda quinzena destes mês, a tendência da pandemia é entrar em linha decrescente e reduzir os casos, dependendo do comportamento da população.

Segundo um dos assessores da Saúde, a abertura do comércio não deve servir para que se mantenha aglomerações e se deixe de lado a higiene pessoal e o uso de máscaras, assim como o distanciamento. O Governo, inclusive, vai instituir a multa para que não andar de mascaras, entretanto parte significante de pessoas teima em não usar esse acessório de higiene que ajuda a evitar a proliferação da doença.

Neste sábado (01) o centro comercial de Aracaju retornou à normalidade e, como disse um advogado criminalista  no sufoco de uma loja, “parece que todo todos os moradores de Aracaju resolver sair às ruas hoje”. Realmente estava insuportável e o trânsito, pelo menos até ao meio dia, estava insuportável, com congestionamento em várias partes no centro e nos bairros.

No final da tarde, em frente ao antigo prédio do INSS, no centro da cidade, havia uma aglomeração, mas de pessoas que tomavam cerveja e outros tipos de bebidas, com chirrasquinho e outros tipos de tira-gosto. A impressão é que a pandemia já não existia e a hora era de curtir a liberação de abertura de setores do comércio e liberar geral em relação ao relaxamento dos cuidados para evitar a contaminação.

Na Atalaia, principalmente na orlinha onde já funcionou a Praia dos Artistas, os bares estavam abertos, com muitos clientes e bebida à vontade, sem nenhuma fiscalização. Logo após os arcos da orla, próximo à Passarela do Caranguejo, um trailler foi instalado e no seu interior dos cabeleireiros cortavam cabelos sem nenhum problema, atendendo a homens e mulheres que se enfileiravam. Embora a maioria dos restaurantes estivesse fechados e servindo a delivery, a sensação é de que havia uma abertura geral.

Um médico do Hospital São Lucas presenciou toda essa cena e disse: se continuar assim, Aracaju vai retroagir à parte inicial do Covid-19 e o Governo deverá retroagir na decisão da abertura ampla e mandar fechar tudo, para evitar uma pane no sistema de saúde, embora tenha se registrado aumento de vagas nas enfermarias e UTI’s: “ou o povo tem consciência e colabora para uma abertura geral, ou tudo retorna ao quadro que estava antes”;

Por: ASN

O que você está buscando?