Legado manterá João Alves Filho “presente” em nossas lembranças

Habacuque, 26 de Novembro, 2020

Sergipe perdeu muito com o falecimento do ex-governador João Alves Filho (DEM). Há quem diga que ele já estava “fora de combate” e enfrentando problemas de saúde, há algum tempo, e é verdade! Mas dentre da análise feita por este colunista, membro distante da política, sua presença “física” mantinha portas abertas para investimentos, que chegaram e ainda chegam ao nosso Estado, graças a sua história de luta em defesa dos interesses do povo sergipano, graças a sua coragem de defender as “bandeiras” em que acreditava.

E aqui não se faz qualquer “comparativo” com os gestores que o sucederam ou com o gestor atual. Cada um tem sua parcela de contribuição, tem seu estilo de governar, de fazer a política, mas “Dr. João” trazia consigo algo especial; não fazia política com ódio, com rancor ou amargura; não perseguia, não fazia de uma eleição, uma guerra! Lutava e defendia seus projetos até o fim; não “jogava a toalha”, mas agradava ainda mais quando estava fora do Poder, porque nunca deixou de reconhecer e respeitar a vontade democrática e soberana do povo.

João Alves Filho merece muito mais que um comentário elogioso, que uma matéria bem produzida; este colunista pensou, refletiu muito e concluiu que, qualquer homenagem, por maior seja, será muito inferior daquilo que o ex-governador representou para Sergipe e seu povo. Mesmo com seus vários defeitos, mesmo quando cometia alguns equívocos, João jamais temeu circular pelas cidades, jamais se escondeu do eleitorado. Era cobrado sim; às vezes, injustamente, mas sempre de forma respeitosa; deixava sempre “à mercê de Deus”...

Não, não é verdade que João Alves Filho voltará a Sergipe na próxima segunda-feira (30)! Independente da forma, ele jamais nos deixou! Sempre pensou, defendeu, lutou...tinha um amor incondicional por seu povo. E que ninguém se engane: agora, mesmo depois de sua passagem, o ex-governador jamais será esquecido. Assim como foi Augusto Franco para uns, Marcelo Déda para outros, o legado deixado manterá Dr. João “presente” em nossas lembranças, nas mentes e corações dos sergipanos, do litoral ao sertão...

“João da Água”, “João do Povo”, “João Chapéu de Couro”, João da Ponte”...eram muitos “Joãos” em um só! Como é feliz o povo sergipano que tem esse tal de “João” para chamar de seu! Foi perseguido por ser um visionário, um apaixonado pelo rio São Francisco. Ganhou projeção no Nordeste inteiro, suas palestras sobre o tema enchiam auditórios; se para muita gente era um tema “batido e repetitivo”, para o Negão sempre foi um ideal! Apesar de ser um “gigante na política”, jamais foi reeleito! A prova que uma eleição jamais foi sua prioridade de vida...

Riquezas e as benesses do poder nunca lhe comoveram; era um apaixonado por livros!  Assumiu um compromisso com seu povo e ergueu uma ponte, que transformou a realidade de uma região e o futuro das próximas eleições. João Alves construiu sim muitas “pontes”, ligando Sergipe ao Nordeste, ao Brasil e ao Mundo. Foi, talvez, o maior “artista” da política sergipana! Sua “obra” estará em constante exposição. Nos quatros cantos desse Estado, itinerante! Para onde seu povo olhar, terá sempre sua arte, pintada, desenhada ou edificada. Já é parte da nossa história...

 

Veja essa!

Foram centenas as manifestações de pesar e carinho do povo sergipano por João Alves Filho. As redes sociais ficaram tomadas. Políticos, empresários, amigos, familiares, o povo em geral! Todos deixaram o reconhecimento pelo legado dele para Sergipe.

 

E essa!

Seu corpo será cremado nesta quinta-feira (26) em Goiás e, segundo informações da assessoria, voltará para Sergipe na manhã da próxima segunda-feira (30), quando certamente haverá um desfile em carro aberto para que o povo de Sergipe possa lhe prestar mais uma grande homenagem.

 

Marlene Calumby

Para muita gente, a professora Marlene Calumby, em especial na última gestão de João Alves na PMA, teria atrapalhado e interferido em algumas decisões. Este colunista, por uma questão de justiça, vem publicamente para reconhecer o amor de Marlene por seu irmão, ao ponto de intervir sim, mas não para defender algum interesse, e sim para ajuda-lo e protegê-lo de muita coisa, sobretudo preservar sua imagem pública. Como bem diz Albano Franco, “em Sergipe todos se conhecem”...

 

Igor Albuquerque I

Seu ex-secretário de Planejamento da PMA, Igor Albuquerque, não esconde a satisfação pela oportunidade de ter assessorado o ex-governador. “Grande perda para Sergipe. Visionário, de gosto erudito sem perder suas raízes populares, Dr. João deixou sua marca na história de Sergipe, três vezes eleito Governador e duas vezes tendo exercido o cargo de prefeito de Aracaju, além de ter servido ao País como ministro do Interior. Construtor por essência, assim como seu pai, sempre exerceu os relevantes cargos que ocupou procurando dotar Sergipe e Aracaju de obras estruturantes, necessárias”.

 

Igor Albuquerque II

Ainda em sua mensagem, Igor destacou as grandes avenidas, centenas de quilômetros de estradas, escolas, hospitais (como o Hospital Governador João Alves Filho em Aracaju),  pontes (como a grandiosa Ponte Construtor João Alves, ligando nossa capital a Barra dos Coqueiros), dentre outras. “Muito conhecido no interior como ‘João Chapéu de Couro’ e ‘João da Água’, levou água, saúde, oportunidades e dignidade ao sertão. Esta, meus amigos, minha sincera e singela homenagem ao engenheiro João Alves Filho, filho do construtor João Alves e de D. Lourdes, grande sergipano, notável brasileiro. Que ele possa ter tido, em vida, o tão imprescindível e reconfortante encontro com Cristo. À família, meus sinceros pêsames pelo passamento do marido, pai, irmão e avô; que o Senhor possa confortá-los nesse momento”.

 

Belivaldo Chagas

Assim que tomou conhecimento de um gesto do governador Belivaldo Chagas (PSD), este colunista entendeu que precisava fazer este registro. A iniciativa de devolver ao maior Hospital público de Urgência e Emergência de Sergipe o nome de João Alves Filho demonstra sim grandeza por parte do “galeguinho” e de reconhecimento pela importância daquela obra para sergipanos, alagoanos e baianos. Parabéns ao governador e que continue assim...

 

Luciano Bispo

Outro grande gesto com João Alves veio de seu amigo de longas datas, o deputado estadual Luciano Bispo (MDB). Na sessão mista da Assembleia Legislativa, ele anunciou que, na próxima semana, os deputados estarão votando uma propositura que devolve ao prédio que abriga o Poder o nome do ex-governador. Por uma decisão judicial, houve uma mudança, mas Luciano ainda assim homenageou a família com o “Construtor João Alves”, pai de Dr. João. São gestos como esse, de Luciano e dos demais deputados que engrandecem a política sergipana.  

 

Vieira de volta I

O pleno do Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe (TRE/SE), na tarde dessa quarta-feira (25), não reconheceu a ação movida pelo Diretório Municipal do PDT contra o suplente do ex-vereador Jason Neto (in memoriam), e por 3x2, decidiu que o mandato até 31 de dezembro próximo deve ser exercido pelo Sargento Vieira.

 

Vieira de volta II

Na ação movida pelo PDT, a legenda alegava suposta infidelidade partidária cometida por Vieira, que ficou na suplência após a eleição de 2016, mas que esse disputou um novo mandato pelo Cidadania. A defesa de Vieira argumentou e o Tribunal reconheceu, por maioria, que o PDT cometeu grave discriminação contra seu filiado.

 

Foi discriminado

“Vieira não era convidado para as reuniões, o partido não dava a mínima para ele e ainda o discriminava. Por isso essa questão de infidelidade defendida não foi reconhecida pela maioria do Tribunal. E ainda filiaram adversários históricos dele”, explica a assessoria jurídica de Vieira.

 

Nova posse

Com a decisão dessa quarta-feira, basta a publicação do acordão para que a presidência da Câmara Municipal de Aracaju (CMA) seja devidamente notificada e, até a próxima semana, deverá reconduzir o Sargento Vieira como membro do parlamento até o final da atual legislatura.

 

Crerlin Costa Lemos

Diante das denúncias relacionadas à Fundação Renascer, este colunista foi pessoalmente na sede do órgão para ouvir a coordenadora do setor pessoal, Crerlin Costa Lemos, que prontamente explicou que responde apenas pela folha dos servidores efetivos e pelos contratos temporários. Sobre terceirizados, a orientação foi procurar o diretor administrativo e financeiro da Fundação, Fernando Antônio.

 

Sem duplo vínculo

Este colunista aproveitou para também questionar a coordenadora do setor pessoal, Crerlin Costa Lemos, sobre as denúncias de supostos servidores trabalhando com duplo vínculo e no mesmo horário. “Isso nunca existiu aqui! Pelo menos não tenho conhecimento! Estou aqui desde 2017 e falo pelos servidores, os poucos requisitados da Saúde e os que entraram via PSS”.

 

Não procede

Essa informação dada pela coordenadora da Fundação parece não proceder. Com a denúncia encaminhada para a coluna, este jornalista entrou em contato com um servidor experiente, que conhece muito bem o dia-a-dia da Renascer, para ele avaliar a documentação e apresentar um “parecer técnico” daquilo que está sendo denunciado. Em breve diremos se tem ou não tem servidor que tem (ou teve) duplo vínculo...

 

Fernando Antônio I

O diretor administrativo e financeiro recebeu este colunista e disse que não podia falar sobre os atrasos de pagamentos das empresas contratadas com seus funcionários, apesar de reconhecer que eles existem. “A Fundação não contrata as pessoas, mas as empresas”, resumiu Fernando Antônio.

 

Fernando Antônio II

Questionado por este colunista, o diretor administrativo e financeiro explicou que são diversos os serviços prestados pelas empresas terceirizadas e que, as mesmas, devem assumir o compromisso de pagar seus funcionários, independente se o Estado está ou não em atraso nos repasses.

 

E quem fiscaliza?

Agora, como perguntar não ofende, se o governo do Estado, através da Fundação Renascer, contrata uma empresa terceirizada para ela prestar determinado serviço, e a mesma atrasa os salários, não paga as férias e o 13º dos seus trabalhadores, quem vai fiscalizar? E as cláusulas contratuais? Alô MPE e TCE! Isso não seria “privilegiar” a empresa (Ankora) que não assegura os direitos dos trabalhadores que ela contrata?

 

E os direitos humanos?

O que é mais estranho nisso tudo é o silêncio do presidente da Fundação, Wellington Mangueira. Logo ele que tem uma história de vida de defesa das causas sociais, e permite que essa empresa terceirizada fique sem cumprir com suas obrigações e sequer seja penalizada? Já não basta a comida de péssima qualidade que é servida para os servidores, conforme já denunciamos? Cadê os direitos humanos, seu Wellington? A culpa é dos ex-diretores financeiros que foram demitidos? Do atual? De quem, afinal?

 

Falando na Fundação

Para concluir mais este capítulo de horrores dentro da Fundação Renascer, eis que este colunista foi informado ainda por alguns servidores que o setor de contratos, sob a responsabilidade da Sra. Larissa (que é filha da coordenadora do setor pessoal), também é alvo de algumas denúncias que, muito em breve, virão à tona. A coluna vai apurar primeiro e, possivelmente, retornará à Fundação, para buscar maiores esclarecimentos com Larissa e os demais. É coisa, viu? Galeguinho, galeguinho...

 

Parabéns Dr. Gonzaga!

Quem está celebrando idade nova nesta quinta-feira (26) é o vereador de Aracaju, Dr. Gonzaga (PSD). Na eleição do último dia 15 ele ficou como suplente, após mandatos sucessivos, mas está recebendo o carinho e as felicitações de todos os amigos, familiares e assessores, como a leitora da coluna Maria Raquel Oliveira, que está sempre a postos para anunciar suas boas novas. A coluna deseja felicidades.

 

CRÍTICAS E SUGESTÕES

habacuquevillacorte@gmail.com e habacuquevillacorte@hotmail.com

O que você está buscando?