Senado “bate o pé” e sinaliza que pode vetar PEC da Reforma Eleitoral

Habacuque, 19 de Agosto, 2021

Enquanto a turma se “digladia” nas redes sociais, entre seguidores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e apoiadores do ex-presidente Lula (PT); enquanto a “grande mídia” insiste em propagar uma CPI da pandemia “sem sal”, já esgotada e de tentar difundir uma grande crise institucional no País, alguns setores da classe política vão se movimentando, estão focados é na eleição de 2022 e cada um está procurando “adubar” o seu caminho, ou seja, deputados federais e senadores não estão preocupados se o voto será impresso ou não, por exemplo, mas seguem aflitos pelas “regras do jogo”!

Como qualquer alteração na legislação eleitoral precisa ocorrer até o início de outubro próximo, a “correria” tem sido grande no Congresso Nacional. Para se ter uma ideia, na Câmara dos Deputados a PEC da Reforma Eleitoral foi aprovada, rapidamente e em dois turnos, em um intervalo de uma semana. Há pressa por parte de alguns setores que não querem, de forma alguma, a continuidade do Sistema atual que, dentre outras coisas, não permite as coligações para cargos proporcionais (deputados federais e deputados estaduais).

Quando tudo parecia que o Sistema “Distritão” prosperaria, a turma dos partidos de menor representação “abriu o bico” e a proposta saiu de cena; os deputados aprovaram uma Reforma que, para muita gente, representa um grande retrocesso, com o retorno das coligações partidárias. O assunto virou tema de qualquer reunião política, no Brasil inteiro, e aqui em Sergipe não é diferente. Quem é mandatário, aguarda essa definição, para saber como se posicionar; quem sonha em disputar a eleição, também quer verificar qual o “melhor caminho” a seguir.

O problema é que, mesmo com toda celeridade que se deu na Câmara dos Deputados, há agora um impasse criado no Senado Federal, onde, pelo menos por enquanto, existe uma sinalização para que a Reforma seja rejeitada. A maioria dos senadores defende a preservação das legendas tradicionais, o fortalecimento dos partidos políticos; a volta das coligações amplia o “leque de negociações” com partidos sem representação e “legendas de aluguel”, que trocam apoios por indicações e cargos na administração pública. É o que ocorre em todo o País e não é novidade para ninguém...

Em síntese, nada se resolve nem em Sergipe e nem no restante do Brasil até o início de outubro ou enquanto o Senado Federal não efetivar uma mudança ou não na atual legislação eleitoral. Eleição está ficando cada vez mais “cara” e ninguém quer “queimar cartucho” ou “brincar de fazer política”; este é um meio profissional, onde uma escolha errada, uma mudança na regra do jogo, pode custar uma derrota “amarga” nas urnas, com ou sem o voto impresso. A “bola” está nas mãos dos senadores, o problema agora é essa turma “querer jogar”...

 

7 de Setembro

O governador Belivaldo Chagas (PSD) suspendeu todas as solenidades alusivas à comemorações cívicas presenciais da SEMANA DA PÁTRIA, em todo o território sergipano, agora em 2021. A justificativa do chefe do Executivo é a necessidade de prevenir e evitar aglomerações de pessoas, sob o risco de ampliar o contágio da covid-19.  

 

Veja essa!

Em entrevista na FAN FM, o governador Belivaldo Chagas disse que o prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (PDT), sinalizava que não tinha interesse em disputar a eleição de 2020, mas que agora tem e que “o mundo gira”. O que para muitos pode parecer um elogio, para este colunista é uma crítica...

 

E essa!

Está claro, nos bastidores do mundo político, que a preferência do agrupamento da situação neste momento é por uma pré-candidatura do deputado federal Fábio Mitidieri (PSD); Edvaldo, que em sua reeleição, teve seu primeiro apoio declarado por Fábio, agora prepara um “golpe”. Galeguinho, o mundo não gira, ele capota...

 

Tudo marketing I

E não adianta alguns setores da mídia local insinuarem que Edvaldo Nogueira é bem quisto pela classe política, que isso não cola! Lideranças do interior estão assustadas com os “jogos de marketing” que estão sendo fetos para fomentar um projeto político em torno do prefeito.

 

Tudo marketing II

A grande verdade que muita gente não quer admitir publicamente, mas que se espalha pelos quatro cantos do Estado, é que Edvaldo Nogueira não cumpre os acordos assumidos, e depois da campanha eleitoral, já eleito ou reeleito, nem o telefone ele atende mais. A leitura é feita por políticos e empresários, em geral...

 

Pesquisas fabricadas

Outra verdade é que o “marketing do mal” andou contratando alguns institutos de pesquisas para “fomentar uma ideia”, vendendo para os partidos e políticos que um pré-candidato a governador é a melhor opção, que está bem junto ao eleitorado, do litoral ao Sertão, inclusive nas cidades onde ele nunca pisou...

 

PT na base!

Se tem uma legenda ruim de “largar o osso” é o Partido dos Trabalhadores! Criticam todo mundo, cobram ética e moralidade, falam em “genocídio” dia e noite, mas não anunciam, em hipótese alguma, o rompimento com o “galeguinho” Belivaldo, que segue “exonerando”. Agora, como perguntar não ofende, como vão criticar o governo em 2022 que, até agora, eles estão compondo e apoiando?  Quando a farinha é pouca...

 

E Valmir?

Por onde passa, este colunista houve rumores de pré-candidaturas do ex-prefeito Valmir de Francisquinho (PL); agora ele estaria propenso a disputar o governo em 2022; natural, é um direito legítimo dele, mas como perguntar não ofende também, como será candidato contra um governo que seu filho, o deputado Tallyson de Valmir (PL), dá toda sustentação na Alese? Política não tem tanto mistério! É só analisar...

 

Alessandro presidente?

A turma do Cidadania ficou “afoita” com a história de que o senador Alessandro Vieira tanto pode disputar o cargo de vice-presidente da República, como também ser o escolhido pelo partido para concorrer à presidência em 22. O primeiro problema para ele será derrotar Lula e Bolsonaro em pleno território sergipano. E com aquele “carisma” e simpatia, sei não...

 

Olho nela!

A filiação de Adriana Leite no Podemos, ao lado da delegada Danielle Garcia, representa algo que está explícito, mas muita gente insiste em não enxergar ou tem receio de dizer: algumas legendas tradicionais em Sergipe perderam o “time” e precisam de renovação; outra é que cresce uma participação mais expressiva das mulheres na política. Tem uma turma aí que precisa fazer uma melhor leitura do cenário...

 

Bomba!

Este colunista já antecipou algumas coisas e soube que alguns políticos já tomaram conhecimento de parte da documentação que chegou para este espaço, sobre um verdadeiro “esquema” que envolve supostas cooperativas fictícias que são subcontratadas para prestarem serviços ao poder público.

 

Exclusiva!

A informação é que tem assessor de vereador, dirigente sindical, esposo de servidora pública e muitas outras pessoas envolvidas. É uma espécie de “fórmula mágica” onde o dinheiro chega, pouco circula e parece não sair do lugar, porque tudo parece um “jogo de cartas marcadas”.

 

Vai denunciar!

Até onde foi informado, este colunista soube que pelo menos um político deve acionar, dentre outros órgãos, a Polícia Federal, porque dentre outras coisas, parece que também há verba federal e na área da Saúde. É preparar o café Maratá e esperar porque, pelo visto, em breve o “galo” vai cantar ainda mais cedo...

 

Uma dica!

Para não deixar muita gente sem dormir direito, este colunista vai ajudar e direcionar um pouco: trata-se de um suposto “esquema”, onde uma cooperativa, já contratada, subcontrata outra (supostamente irregular e com a participação das pessoas do esquema) para prestar serviços ao poder público. É algo do tipo: “eu pago, eu me contrato”...

 

SINDIVIP/SE I

Para o presidente do SINDVIPSE, João Lira, está mais do que na hora do governador Belivaldo Chagas corrigir as injustiças cometidas contra os servidores, em especial, os da Secretaria de Educação e Cultura (SEDUC) e inclusive cumprir as leis como as do direito constitucional dos servidores, que são suas revisões salariais, nas quais nunca impediram que o fizessem.

 

SINDIVIP/SE II

“Até o momento são quase 10 anos em que a categoria acumula os reajustes salariais atrasados, o que está gerando um decréscimo significativo do poder de compra dos servidores.  Além do pagamento dessa reposição salarial atrasada, o SINDVIPSE tem reivindicado o restabelecimento dos percentuais do adicional de periculosidade, e suas progressões no salário base de cada servidor, pois ainda continuamos a receber referente ao base inicial do plano de carreira defasado que ainda é R$ 900, do mesmo modo, também estamos reivindicando o reajuste da tabela salarial do PCCV, que deveria acompanhar a inflação salarial do governo federal, o salário mínimo já está em R$ 1.100,00”, cobra o presidente do Sindicato.

 

Sinpol I

Quem também está cobrando do governo do Estado é o presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Estado de Sergipe, Adriano Bandeira. “Estamos cientes da atividade perigosa e arriscada que escolhemos abraçar em nossa trajetória profissional. Nossa luta pelo adicional de periculosidade não é aleatória: é direito nosso garantido na Constituição Federal e na Constituição Estadual. Além disso, não recebemos reajuste salarial nem reposições inflacionárias anuais há dez anos. Qual trabalhador suporta esse tempo todo sem nenhum reajuste em seu salário?”, questiona.

 

Sinpol II

O presidente do Sindicato alerta para o Anuário da Segurança Pública. “A taxa de mortes violentas intencionais cresceu 4% no país. A média ficou em 23,6 para cada 100 mil habitantes. Sergipe só perdeu para Ceará (45,2) e Bahia (44,9). Se a situação saiu do controle, acionar a Força Nacional de Segurança Pública novamente é uma opção para o Governo. É preciso enfrentar o problema de frente e reconhecer a fragilidade do momento que atravessamos”. 

 

Rock Sertão I

O Festival de Música e Arte Independente Rock Sertão de Nossa Senhora da Glória completa duas décadas em 2021. Para comemorar a data será transmitida no dia 21 de agosto, às 18h, no canal no You Tube Sertão na Arte, a live comemorativa do Festival.  O “Rock Sertão 20 anos" terá como cenário o Museu do Sertão de Véio, artista plástico que dá nome ao principal palco do evento desde sua primeira edição, em maio de 2001.   

Rock Sertão II

A mais nova edição vai apresentar uma programação especial: cinco apresentações musicais - bandas selecionadas no Quero Tocar, exibição de curta metragem - gravado na cidade de Nossa Senhora da Glória pelo Coletivo Sertão na Arte, entrevistas, poesia, cordel e pela primeira vez, Rap.  Nesses 20 anos de história foram mais de 80 shows e, aproximadamente, 120 horas de exibições artísticas. 

 

Rock Sertão III

A Live será apresentada pela Jornalista Marta Olivia Costa e tem patrocínio do Governo de Sergipe, Bicentenário do Estado de Sergipe, Fundação de Arte e Cultura Aperipê, Conselho Estadual de Cultura através da Lei Aldir Blanc, Ministério do Turismo e do Governo Federal. Além do apoio do Sindserv Glória, Deputado Iran Barbosa, Deputado Georgio Passos e Boca da Mata FM.

 

Tudo virtual

Devido a pandemia da Covid-19 todas as atividades terão formato on-line, respeitando todas as medidas de segurança recomendadas pelas esferas municipal, estadual e federal. O Rock Sertão é uma produção do Coletivo Sertão na Arte que tem como objetivo o intercâmbio e a difusão da cena independente/alternativa local, regional e nacional.

 

Conselho de Cultura I 

O Conselho Estadual de Cultura de Sergipe (CEC/SE) reuniu-se com diversas instituições sergipanas para instalar a Frente em Defesa do Complexo da Antiga Leste, localizado no Bairro Siqueira Campos. O objetivo da Frente, conforme expôs seu coordenador e idealizador, o conselheiro Fernando Aguiar, é integrar uma diversidade de entes públicos e entidades privadas para atuarem conjuntamente na busca pela restauração, revitalização e utilização dos espaços que compõe o antigo complexo ferroviário da Leste.

 

Conselho de Cultura II

A Frente é constituída por membros do Conselho e representantes da Fundação de Cultura e Arte Aperipê de Sergipe (FUNCAP), Universidade Federal de Sergipe (Pró-Reitoria de Extensão, Cursos de Arquitetura e Urbanismo, Museologia e Arqueologia), Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico (IPHAN), Academia Sergipana de Letras, Assembleia Legislativa de Sergipe, Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe, Ordem dos Advogados do Brasil – Secção Sergipe, Academia de Letras de Aracaju, Associação Nacional de História (ANPUH). Outras instituições e movimentos culturais e sociais, especialmente aqueles da região do Siqueira Campos, serão convidadas a participar da Frente.

 

IPHAN

O superintendente Diego Passos e as técnicas Luciana Nunes e Clara Carvalho, do IPHAN, fizeram uma exposição sobre Patrimônio Ferroviário, a atual situação do complexo e quais as últimas ações desenvolvidas.

 

Francisco Diemerson

Para o presidente do CEC/SE, conselheiro Francisco Diemerson, é um momento histórico pois o integrar o Conselho Estadual de Cultura com outras importantes Instituições da Educação, do Cultura, da Política somando com futuros outros atores sociais, o Colegiado aponta caminhos inovadores e estratégicos para o desenvolvimento da cultura sergipana.

 

CRÍTICAS E SUGESTÕES

habacuquevillacorte@gmail.com  e habacuquevillacorte@hotmail. com

 

O que você está buscando?