O Corona não é um organismo vivo

Por Márcio Monteiro

Marcio Monteiro, 27 de Março, 2020 - Atualizado em 13 de Abril, 2020

O COVID-19 como qualquer outro vírus é uma molécula de proteína (DNA) coberta por uma camada protetora de lipídios (gordura) que, quando absorvida pelas células da mucosa ocular, nasal ou bucal, altera seu código genético (mutação) e convertendo-se em células agressoras e multiplicadoras. Como o vírus não é um organismo vivo, mas uma molécula de proteína, ele não é morto, mas decai por si próprio. O tempo de desintegração depende da temperatura, umidade e tipo de material em que se encontra.

O vírus é muito frágil, a única coisa que o protege é uma fina camada externa de gordura. É por isso que qualquer sabão ou detergente é o melhor remédio para combatê-lo, porque a espuma rompe a camada de gordura do vírus (é por isso que precisamos esfregar por 20 segundos ou mais e produzir espuma). Ao dissolver a camada de gordura, a molécula de proteína se dispersa e se decompõe sozinha. O calor derrete gordura, é por isso que é bom usar água acima de 25 graus Celsius para lavar as mãos, roupas e tudo mais. Além disso, a água quente produz mais espuma por isso é mais eficiente.

Álcool ou qualquer mistura com álcool acima de 65% dissolve qualquer gordura, especialmente a camada de revestimeto externo do vírus. Qualquer mistura com 1 parte de alvejante (hipoclorito de sódio) e 5 partes de água dissolve diretamente a proteína, decompõem-na por dentro. Apesar de cidades como Xangai, na China, e Gwangju, na Coréia do Sul, usarem uma solução diluída de hipoclorito de sódio ao ar livre, ainda não está claro se isso mata o vírus no ar. Além disso, o alvejante é altamente irritante para as mucosas. Pessoas expostas a desinfetantes pulverizados, principalmente as que aplicam o produto nas superfícies, correm o risco de problemas respiratórios.

A água oxigenada ajuda muito depois de sabão, álcool e cloro, porque o peróxido dissolve a proteína do vírus. Porem, como só é eficaz se usada pura, pode agredir a pele. Nenhum bactericida serve.

Sabemos que o vírus não é um organismo vivo como as bactérias, portanto não podem matar o que não está vivo com antibióticos.

Nunca agite roupas, lençóis ou panos usados ou não utilizados. Embora colado a uma superfície porosa, o virus é muito inerte (sem movimentos próprios) e desintegra-se apenas entre 3 horas (tecido e poroso), 4 horas (madeira) , 24 horas (papelão), 42 horas (metal) e 72 horas (plástico). Mas se sacudirem roupas ou espanarem pó, as moléculas do vírus flutuam no ar ativo por até 3 horas e podem se alojar no nariz.

As moléculas do vírus permanecem muito estáveis no frio externo ou artificiais como condicionadores de ar em casas e carros. Eles também precisam de umidade para permanecerem estáveis, e principalmente a escuridão. Portanto, locais secos, quentes, claros e arejadas o degradam mais rapidamente.

A luz Ultra Violeta (UV) que incidir sobre qualquer objeto contaminado desintegra a proteína do vírus. Por exemplo, é eficiente para desinfectar máscaras para reutilização. Mas devemos utilizar com cuidado, pois a luz UV também decompõe o colágeno (que é a proteína) na pele.

O vírus não pode passar por uma pele saudável.

O vinagre não é útil porque não quebra a camada protetora de gordura do vírus. Nenhuma aguardente ou vodka serve. A vodka mais forte é 40% de álcool e a concentração mínima eficaz é de 65% de álcool. Água sanitária em pequena quantidade é eficiente para eliminar o vírus. Higienizar objetos de uso frequente e ambientes domésticos é uma das recomendações de prevenção listadas pelo Ministério da Saúde. É importante, porém, ter cuidado com o produto para não causar agressões no contato com a pele. Nesse caso, dê preferência para o álcool ou a combinação entre água e sabão.

Os desinfetantes estão entre os produtos de limpeza cotidianos que são eficazes contra a nova doença. Devido à composição química, esses produtos são capazes de destruir a membrana protetora do vírus e eliminá-lo já na primeira aplicação.

Enxaguante bucal (Listerine) não é eficaz para evitar contágio e o mesmo vale para soluções alcalinas para descongestão nasal.

Quanto mais confinado o espaço, maior a concentração do vírus. Quanto mais aberto ou naturalmente ventilado, menos. Lavar as mãos antes e depois de tocar nas mucosas, alimentos, fechaduras, interruptores, controle remoto, telefone celular, relógios, computadores, mesas, TV, etc. E ao usar o banheiro.

Você precisa hidratar as mãos ressecadas após tantas lavagens, porque as moléculas podem se esconder nas micro rachaduras. Quanto mais espesso o hidratante, melhor.

O gargarejo pode ser útil para o alivio da tosse, mas agua morna com sal ou vinagre não elimina o vírus ou evita que cheguem aos pulmões.

Mantenha as unhas aparadas para que o vírus não oculte lá.

Nesse momento temos que ter serenidade e entender que todos precisam dar a sua contribuição. Os idosos, pessoas acometidas de doenças crônicas e pessoas que tenham condições financeiras de ficarem em casa, devem respeitar o isolamento social. Por outro lado, precisamos manter o acesso seguro aos alimentos, medicamentos, serviços de saúde, transporte e segurança.

 

O que você está buscando?