O faxineiro sem email

(História adaptado de autoria desconhecida)

Marcio Monteiro, 25 de Novembro, 2021 - Atualizado em 26 de Novembro, 2021

O desempregado John resolveu candidatar-se a uma das vagas de faxineiro publicadas em anuncio de jornal pela Microsoft. No mesmo dia John dirigiu-se ao setor de recursos humanos da empresa, onde foi entrevistado e submetido com sucesso em um teste prático no qual pode demonstrar estar apto para realizar o serviço a contento. Ao finalizar o processo de avaliação o entrevistador da Microsoft pediu para que John deixasse um email de contato para receber orientações sobre normas de trabalho e informações sobre o dia e hora para inicio do trabalho. John constrangido respondeu que não tinha computador e que por essa razão não possuía email. O funcionário do RH então respondeu que lamentava muito, pois como John não possui email significava que ele não existia no ambiente virtual e como tal não teria como trabalhar na empresa de tecnologia.

Desesperado John sai pela rua com apenas doze dólares no bolso sem saber o que fazer. Depois de vagar por horas sem destino, acalmou-se do revés sofrido na Microsoft e acabou por ter uma ideia para se distrair e talvez ganhar uns trocados. Decidiu entrar em supermercado e comprar uma caixa com dez quilos de morangos com o dinheiro que dispunha, saindo em seguida de porta em porta vendendo os morangos em por quilo e em menos de duas horas tinha duplicado seu capital. Repetiu a operação mais três vezes e regressou para a casa com sessenta dólares. Nesse mesmo dia John teve um insight, percebeu que poderia não só manter-se ou até crescer nesse negócio desde que ampliasse o seu dia de trabalho, começando a jornada mais cedo e terminando mais tarde.

Passado um ano desde a compra dos primeiros morangos, John se capitalizou e comprou uma Van de segunda mão com o objetivo de acelerar as entregas. Em poucos meses precisou ampliar ainda mais o seu negócio e adquiriu um caminhão. Logo, John já havia multiplicado seu patrimônio, investindo em uma frota de veículos para distribuição de mercadorias.

Cinco anos depois, John transformou-se em um empresário de sucesso e sua empresa passou a ser uma das maiores redes de logística de transporte e distribuição dos Estados Unidos. Pensando no futuro de seus descendentes e de sua empresa, John decidiu colocar o seus bens no seguro. O corretor de seguros foi até a sua casa fechar a proposta e obter a aprovação, solicitando que John disponibilizasse um email para que ele pudesse encaminhar cópia da documentação. John respondeu  que nunca teve email, resposta que deixou o corretor surpreso e curioso, fazendo com que ele fizesse o seguinte questionamento: Como o senhor, dono de um império empresarial nunca tenha tido um email? Antes de ouvir a resposta ainda insinuou para John dizendo que ele seria muito mais rico se tivesse um email.

Calmamente John respondeu: “Se eu tivesse email, hoje estaria limpando os banheiros da Microsoft”.

Morais da história:

1. Se você quer ser faxineiro em empresa de tecnologia, tenha um email;

2. Se você tem um email e trabalha muito, poderá ficar rico;

3. Se você soube dessa história por email, certamente estará mais próximo de ser faxineiro do que milionário.

O que você está buscando?