Ave, Caesar, Morituri te Salutant... (por Antonio Samarone)

Antonio Samarone, 12 de Dezembro, 2020

Tempos sombrios!

Enquanto os que nos governam disputam a paternidade política da vacinação, nos permanecemos na faixa de risco da Pandemia.

Uma luta diária, para nos livrarmos do vírus.

Uma particularidade: parece que a segunda onda da Peste está matando mais os nossos amigos. Será a nossa vez? A Peste está atacando os susceptíveis, os que ficaram em casa desde março, os que se cuidaram.

Os negacionistas e os que não puderam cumprir o confinamento sanitário, os que não usam máscaras, os que se aglomeram já estão imunes, já adquiriram anticorpos? A imunidade chegou para essa parte do rebanho?

Uma certeza: o rebanho confinado continua susceptível!

Uma verdade: nos relaxamos, perdemos o medo, reduzirmos os exageros.

Mesmo a gente ficando em casa, os jovens e os displicentes saíram para as baladas, para as compras, para a vida. E eles voltam, trazem o vírus para as nossas camarinhas. Eles nos visitam, vêm matar a saudade. E a saudade é poderosa.

Não podemos esperar nada das autoridades. Eles perderam a legitimidade moral para baixarem decretos, normatizando as nossas vidas. Ninguém acredita. Ninguém cumpre.

Quem puder se proteja. A Peste está viva e atuante.

Uma esperança: que os 90% de eficácia das vacinas, trombeteado na grande imprensa, seja verdade. E que dure.

Mesmo assim, Feliz Natal!

Antonio Samarone (médico sanitarista)

O que você está buscando?