Coisas de Sergipe. (Por Antonio Samarone)

Antonio Samarone, 06 de Fevereiro, 2021

José Rodrigues da Costa Dória, governou Sergipe entre 1908 e 1911. Além de médico, era professor da Faculdade de Medicina Bahia, contudo, um dos seus despachos, onde negou a licença maternidade a uma professora de Itabaiana, se tornou um clássico da insensibilidade social daqueles tempos.

Vamos ao requerimento e ao despacho:

Excelentíssimo Senhor, Doutor Presidente do Estado.

“Isabel Giudice Lima, abaixo firmada, professora pública do povoado Terra Vermelha deste município, achando-se em estado interessante, bem adiantado, no tempo necessário para o parto, vistos os sintomas e não podendo continuar no exercício da cadeira, requer a Vossa Excelência uma licença de noventa dias para a competente dieta, de acordo com o regulamento.”

Deixo de juntar o atestado preciso por não ter um médico nesta cidade.

Pede deferimento.

Itabaiana, 06 de março de 1911.

Isabel Giudice Lima.

O despacho do Governador:

“Concedo a licença requerida sem vencimento algum, visto não constituir moléstia o estado em que se acha a suplicante e nem constituir situação independente de sua vontade.”

Palácio do Governo, 09 de março de 1911.

Rodrigues Dória.

Antonio Samarone (médico sanitaristas)

O que você está buscando?