Diretas Já, em Sergipe. (por Antonio Samarone)

Antonio Samarone, 07 de Março, 2021

Em 26 de fevereiro de 1984, a apática e conservadora sociedade civil aracajuana surpreendeu o Brasil, com a maior manifestação política de sua história, o Comício das Diretas Já.

Mais de 30 mil pessoas, na Praça Fausto Cardoso.

Além das celebridades políticas nacionais (Ulisses Guimaraes, Lula e Juruna), entre os políticos nativos, destaque para Jackson Barreto (PMDB), Rosalvo Alexandre, Nilton Vieira Lima (PDT), Marcélio Bomfim (PT) e Nelson Araújo (PMDB), para o atual Prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (presidente do DCE) e Dionísio Cruz (presidente da CUT).

Os artistas nacionais Martinho da Vila e Agnaldo Timóteo, marcaram presença. Entre os artistas da terra, os cantores Paulo Lobo e Antonio Carlos Du Aracaju, e as bandas Bolo de Feira e Cataluzes.

O inusitado foram os locutores que apresentaram o grande comício. O Jornalista Zenóbio Melo (foto), recém falecido no Piauí, e Marcelo Déda. Ele mesmo, o Governador Marcelo Déda foi o locutor do comício. A brilhante carreira política dele só começaria a despontar com as eleições para prefeito de Aracaju, final de 1985.

A Emenda Dante de Oliveira foi derrotada, em 25 de abril de 1984, entretanto, o movimento das “Diretas Já” acordou a sociedade.

No Brasil, a Sociedade acorda de vez em quando.

As forças democráticas em Sergipe, se fortaleceram a partir da Campanha das Diretas Já, chegando depois à Prefeitura de Aracaju e ao Governo do Estado.

Hoje, na política, quase todos os gatos são pardos!

Na tenebrosa conjuntura que atravessamos, não sei o que restou das forças de 1984, se elas ainda existem, se podem aglutinar-se, pelo menos, em defesa da democracia e dos direitos sociais.

As eleições de 2022, podem ser uma oportunidade.

Antonio Samarone (médico sanitarista)

O que você está buscando?