Sua Excelência, os Vírus! (por Antonio Samarone)

Antonio Samarone, 18 de Julho, 2021

Em 1979, a OMS anunciou festivamente a erradicação da varíola. Era a vitória sobre as doenças infecciosas, prometida pela ciência, desde o início da revolução pasteuriana (final do século XIX).

Era a vitória da modernidade sobre as epidemias.

A milenar luta dos humanos contra a fome, a guerra e as peste estava avançando, pelo menos contra as doenças, a vitória não se confirmou!

Como se não bastasse a permanência do paludismo, lepra, tuberculose, sífilis e febre amarela, surgiram novas enfermidades. Dengue, Zica e Chicungunha explodiram de forma epidêmica.

O triunfo do século XX sobre as doenças infecciosas não se comprovou! O surgimento da AIDS, início da década de 1980, foi a grande virada.

A virosfera invadiu os humanos. Doenças desconhecidas, letais, emergem de ambientes silvestres agredidos. Em 1993, o livro de Stephen Morse, “Emerging viroses”, alertou com dados e fundamentos para esta ameaça.

A palavra "vírus" tem suas raízes no termo latino para "veneno".

Os vírus são as entidades biológicas mais abundantes do planeta, capazes de infectar todo ser vivo, inclusive os seres humanos (hoje se conhece cerca de 250 espécies de vírus hospedados nas células humanas).

O mundo também é dos vírus, eles são filhos de Deus.

“[Vírus], não leões, tigres ou ursos, sentam-se magistralmente acima de nós na cadeia alimentar da vida, ocupando um papel de predadores alfa que atacam tudo e são atacados por nada.” — Claus Wilke & Sara Sawyer

A discussão, em meu tempo de estudante, se os vírus são ou não seres vivos, foi superada. “A hereditariedade é o que diferencia os vírus de outras moléculas inanimadas, um ponto chave para o mundo dos seres vivos.”

A fronteira entre o vivo e o não vivo é difusa!

A Terra foi formada há cerca de 4,6 bilhões de anos, a vida apareceu, aproximadamente, há 3,5 bilhões de anos. O RNA armazenou informações genéticas e catalisou as reações químicas nas células primitivas.

Somente mais tarde, no tempo evolutivo, o DNA assumiu o controle como material genético predominante e as proteínas se tornaram o principal catalisador e componente estrutural das células.

Entenderam o protagonismo viral? Eles são apenas proteínas e material genético (DNA ou RNA).

Os desconhecidos vírus passaram a ser responsabilizados por toda e qualquer manifestação febril de causa desconhecida. Deve ser uma virose, dizem os médicos!

A Pandemia era previsível! Apenas não se sabia nem como nem quando começaria. A ameaça da virosfera aos humanos é o preambulo da crise climática. Dessa vez foi a Covid-19, teremos outras...

Por enquanto, o luxuriante mundo dos vírus não ameaça a vida humana (como espécie), mas com certeza farão um controle demográfico eficiente.

Antonio Samarone (médico sanitarista)

O que você está buscando?