Entrevista com Williston Augusto de Jesus

Domingos Pascoal, 07 de Julho, 2021 - Atualizado em 08 de Julho, 2021

Hoje para a nossa Coluna Diálogos com DPascoal temos o prazer de conversar com um jovem vencedor: WILLISTON AUGUSTO DE JESUS, 18 anos, estudante de escola pública, de tempo integral, Centro de Excelência Miguel das Graças, de São Miguel do Aleixo que conquistou o 1º Lugar em Medicina na UFES – Universidade Federal de Sergipe. O nosso acadêmico de medicina da UFES onde nasceu no povoado Malhada dos Negros, região de ascendências quilombolas e indígena, no município de São Miguel do Aleixo.

DPascoal - Quem é Williston Augusto de Jesus, 1º lugar no curso de Medicina da Universidade Federal de Sergipe em 2021?

Williston - Williston é um jovem gafanhoto que vem do interior com muitos sonhos a realizar e o intuito de mudar sua realidade e a de todos ao seu redor. Desde cedo fui ensinado e orientado a dar valor à todas as oportunidades e ensinamentos. Sou filho de uma professora e de um ex-lavrador que, por meio do ensino público, consegui mudar a minha realidade e chutar uma montanha que durante muito tempo parecia intransponível.

DPascoal - Williston nos apresente a cidade que você mora: nome, situação geográfica e população. Se você achar relevante acrescente mais informações: padroeiro(a), cultura, monumentos...

Williston - Venho do município de São Miguel do Aleixo, Agreste sergipano, uma cidade pequena com cerca de 4 mil habitantes e uma cultura muito enraizada no folclore e na fé cristã, cujo padroeiro é São Miguel Arcanjo. Sou oriundo também do povoado Malhada dos Negros, região de ascendências quilombolas e indígenas que sofre com os estigmas associados a tais descendências.

DPascoal - Fale sobre a sua escola, o Centro de Excelência Miguel das Graças e a sua importância na sua construção?

Williston - O CEMG - Centro de Excelência Miguel das Graças foi fundamental no desenvolvimento da pessoa que sou hoje. Graças ao apoio e orientação de toda a equipe que faz parte desse colégio eu consegui desenvolver meu projeto de vida e me entender como o protagonista da minha história. Graças a eles e a minha família eu consegui pegar a folha e mudar meu roteiro.


DPascoal - Fale dos seus professores, mestres, mentores e incentivadores que fizeram você chegar até aqui com tanto sucesso?

Williston - Tive apoio de muitos docentes durante toda a minha formação. Muitos foram marcantes, como o professor de Biologia Adelmo, que lecionou para mim no ensino fundamental e sempre me incentivou a estudar para ser médico. Além dos professores que fizeram parte do meu ensino médio (Henrique, Cryslaine, Simone, Wesley, Luciana, Joaldo, Fabiana...) e meus gestores (Agno, Monalisa, Aparecido e Eduardo), assim como tantos outros que sempre me apoiaram.

DPascoal - E agora, você, como se diz, chegou lá, venceu com garbo e louvores, pergunto: o que você pretende fazer com todo este patrimônio adquirido através do aconselhamento, do exemplo, da boa vontade, da persistência e do esforço?

Williston - Pretendo melhorar a realidade da minha família, não que meus ancestrais não tenham tentado, mas a falta de oportunidade não permitiu a minha família alcançar o conforto tão sonhado. Hoje tenho pai e mãe com nível superior (pedagoga e técnico em mecânica) e pretendo, por meio da aprovação e todas as oportunidades que ela trará, dar melhores condições de vida para eles num futuro próximo.

DPascoal – Aponte alguns livros que você já leu e outros que pretende ler e estudar.

Williston - Tive alguns livros marcantes em minha vida, desde clássicos da literatura brasileira como Memórias Póstumas de Brás Cubas e Dom Casmurro a livros consagrados mundialmente como O pequeno príncipe e 1985. Além do pouco conhecido "Cinzas do Norte" de Milton Hatoum. Tenho interesse em conhecer “A revolução dos bichos" de George Orwell, "O grande sertão veredas" de Guimarães Rosa, "A metamorfose" de Franz Kafka e "O mundo de Sofia" de Jostein Gaarder


DPascoal - Se você fosse palestrar para um público jovem, o que você diria?

Williston - Eu diria que, apesar das disparidades socioeconômicas e das diferentes oportunidades, a Educação é um dos, senão o maior, meio de se libertar das amarras as quais infelizmente boa parte da coletividade menos favorecida está acorrentada. A Educação liberta.

DPascoal - O que podemos esperar de você a partir de agora?

Williston - Eu não sei se consigo lidar com o fato de esperarem algo de mim a partir de agora, sou muito jovem e ainda tenho muito a errar. Porém, espero que as pessoas, principalmente os que vieram de onde eu vim, me vejam como um reflexo de como a Educação e o ensino público podem modificar realidades e dignificar o homem.

DPascoal - Fale um pouco do que você gosta de fazer e de algumas ações que queira as ações

Williston - Além do fascínio pelas ciências Biológicas, matemáticas e da natureza, também tenho meu lado artístico, sou documentarista e escritor amador. Produzi um documentário curta metragem (4 mil histórias) que participou da OLP (Olímpiada de Língua portuguesa) e retrata o lugar onde vivo, além da minha visão acerca da tão pacata São Miguel do Aleixo.

DPascoal - Deixe uma mensagem para os jovens estudantes.

Williston - A mensagem que eu poderia deixar é que, infelizmente sabemos do quão difícil é prosperar em terras tupiniquins por meios dignos e legais. E diante dessa já preexistente dificuldade a educação pode ser uma luz no fim desse túnel tão longo. Um dia eu fui um jovem garoto que morou em uma casinha de barro com apenas um quarto, uma sala e uma cozinha e hoje por meio do letramento e das oportunidades que ele traz consegui ser maior que as muralhas que construíram ao meu redor. As dificuldades são infinitas, mas não podemos nos deixar levar. A romantização do sofrimento não pode ocorrer, mas devemos ter consciência que ascender é possível. Acreditem na Educação e no quanto ela pode transformar realidades. Lembrem-se de onde vieram com muito orgulho, mas principalmente para onde querem ir.

O que você está buscando?