EDUCAÇÃO E PROFISSÃO: A MULHER CONTEMPORÂNEA E SEUS DIVERSOS PAPEIS NA SOCIEDADE

DIA INTERNACIONAL DA MULHER

Coluna Papo de Pedagogo, 10 de Março, 2022 - Atualizado em 11 de Março, 2022

Mesmo com os impasses da desigualdade e falta de reconhecimento, a mulher vem assumindo novos papéis na sociedade. Ocupar cargos de lideranças em grandes instituições de ensino, empresas, companhias, cidades e até países, outrora fora algo inimaginável.

Trazendo fatos históricos, em meados de 1867 teve início a educação feminina no Brasil, com os colégios particulares, e somente em 1880, foi que as mulheres ingressaram no sistema de ensino público. No entanto, as mulheres eram sempre induzidas as falácias que estudo era desperdício de tempo, já que seu dever seria cuidar da casa e da família. O poder e domínio dos homens, sempre prevaleceram, tornando isso um “padrão” considerado normativo de raça e gênero. 

https://afolhatorres.com.br/.2019.

 

Atualmente, a luta para mudar esse contexto vem tomando grandes proporções e os números e ações falam por si só. Percebemos um número bem maior de estudantes mulheres, que perpassa a educação infantil, básica, ensino médio, superior, especializações, mestrados e doutorados.

Segundo dados do IBGE, na “Estatística de Gênero: indicadores sociais das mulheres no Brasil”, em 2019, a população com 25 anos ou mais, 19,4% das mulheres e 15,1% dos homens tinham nível superior completo, já em 2012, eram 14% das mulheres com ensino superior e 10,9% dos homens. Além da estatística de gênero, esses dados nos mostram a crescente pela procura do ensino superior.

Cresce parcela de mulheres com maior escolaridade conforme demostra o gráfico
            Fatia no total de docentes em ensino superior (em %)

            

            Fonte: IBGE

 

Os dados são claros, nessa crescente luta na ocupação de lugares na educação, no entanto percebemos uma necessidade de melhoria desses dados no âmbito profissional. Aos poucos e com a ajuda de Leis e Decretos de proteção e garantia dos direitos das mulheres, já observamos conquistas históricas, onde antes somente os homens atuavam.

É fato que precisamos lutar para ampliar não só o número de mulheres em grandes cargos, mas por mais equidade, liberdade e respeito, fazendo jus a frase “lugar de mulher, é onde ela quiser”.

No dia Internacional da mulher é necessário lembrar o quanto é preciso reafirmar as conquistas histórica e o quanto ainda temos para conquistar, seja nos espaços que ouçam a voz da mulher, seja ocupando posições de liderança.

Dayse Xavier de Santana
Consultora Educacional e Gestora de Projetos
 
Rita de Cassia Cardoso dos Santos
Mestra em Educação e Coordenadora Pedagógica

 

Referência:

https://valor.globo.com/brasil/noticia/2021/03/04/ibge-mulheres-tem-mais-acesso-ao-ensino-superior-mas-ainda-sao-minoria-em-areas-como-engenharia-e-ti.ghtml

O que você está buscando?