A Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso) sediou, na última quarta-feira, 10, uma palestra técnica conduzida por representantes da empresa Saint-Gobain. O evento, realizado no auditório central da unidade em Aracaju, teve como foco a análise comparativa entre tubulações de ferro fundido e aço, visando a expansão da adutora do São Francisco. Durante a apresentação, foram expostos diversos dados qualitativos e quantitativos, destacando os benefícios e a viabilidade dos materiais discutidos.

“A Saint-Gobain é uma empresa com mais de 350 anos de história e possui uma longa parceria com a Deso. O ferro fundido é amplamente aceito tanto na execução de obras quanto na manutenção. Conforme demonstrado na palestra, podemos economizar R$ 500 mil por quilômetro de adutora. Atualmente, estamos na fase de desenvolvimento do projeto, e explanações como esta são essenciais para a precisão do mesmo”, afirmou José Gabriel Campos, superintendente de Expansão da Deso.

A apresentação foi conduzida pelo engenheiro e coordenador técnico da Saint-Gobain, Thiago Leite, e contou com a participação de colaboradores de diversos setores da Deso. Thiago enfatizou a importância de combinar dados qualitativos e quantitativos com o conhecimento de campo e as necessidades da companhia.

Economia

Thiago Leite explicou que o ferro fundido se destaca como uma opção mais econômica em comparação ao aço, principalmente devido ao menor custo de assentamento da tubulação e à proteção de fábrica do tubo. “O ferro fundido possui uma proteção catódica galvânica desde a fabricação, o que o torna ideal para as especificidades da região da adutora do São Francisco”, explicou ele.

Alexandre Rodrigues, gerente nacional de vendas da Saint-Gobain, ressaltou a importância do diálogo com os colaboradores da Deso. Ele destacou que a palestra também funcionou como um bate-papo, permitindo uma troca de informações valiosa. “É fundamental entender a performance do nosso material sob a perspectiva do cliente. Quais são as dificuldades? Quais são os custos envolvidos no assentamento? São questões cruciais”, afirmou ele.

A palestra foi considerada um sucesso, proporcionando uma troca de conhecimentos que contribui significativamente para o estudo de ampliação da adutora do São Francisco pela Deso.