Márcio Macedo defende redução dos juros para impulsionar crescimento econômico

05/07/2024 11:34

Márcio Macedo defende redução dos juros para impulsionar crescimento económico
  • Foto: Assessoria

Em entrevista ao Jornal da Record, o ministro Márcio Macedo, chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, abordou temas cruciais para a economia brasileira, como a oscilação do dólar em relação ao real e a recente decisão do Banco Central de manter a Taxa Selic em 10,5% ao ano. Macedo foi enfático ao criticar a atual política de juros, destacando a necessidade de uma taxa mais baixa para fomentar o crescimento econômico do país.

“Essa taxa de juros é muito draconiana com o país. Nós somos a maior economia dos trópicos, nós somos um país continental, nós precisamos gerar emprego, gerar renda, o Brasil precisa crescer”, afirmou o ministro. Ele destacou que a alta taxa de juros imposta pelo Banco Central dificulta o desenvolvimento econômico e propôs que haja “um movimento cívico” por uma taxa de juros “compatível com a realidade”.

Ao ser questionado sobre a possibilidade de cortes nos programas sociais devido à necessidade de ajustes fiscais, Macedo foi categórico ao afirmar que o compromisso do governo com a superação da fome e da miséria é inquebrantável. “O presidente Lula desde 2003, dos primeiros governos dele, tem uma marca forte, que é o compromisso com a estabilidade econômica, com o controle da inflação e com a responsabilidade fiscal”, disse o ministro. Ele ressaltou que investimentos em áreas essenciais como educação, saúde e combate à fome são vistos pelo governo como investimentos e não como gastos.

Macedo ainda comentou sobre os avanços econômicos desde o início do atual governo, mencionando a recuperação do Brasil como uma das maiores economias do mundo. “Eu queria lembrar que as pessoas estavam, em dezembro de 2022, nas filas para comprar osso. E tinha 33 milhões de pessoas passando fome. Nesse ano e meio, o presidente Lula tirou 24,5 milhões de pessoas da fome”, destacou, enfatizando o compromisso do governo em continuar trabalhando para que nenhum brasileiro passe fome.

Sobre a política monetária, o ministro reforçou que, apesar da importância do controle da inflação e da responsabilidade fiscal, é possível conciliar essas metas com o crescimento econômico. “Nós precisamos ter controle da inflação, nós precisamos ter controle fiscal, mas nós precisamos desenvolver o país, nós precisamos crescer, e isso, nós precisamos ter uma taxa de juros compatível com essa realidade”, argumentou. Ele sugeriu que uma taxa de juros entre 8% e 9% poderia ser mais adequada e compatível com a responsabilidade fiscal.

A entrevista do ministro Márcio Macedo reflete a posição do governo federal de buscar um equilíbrio entre estabilidade econômica e desenvolvimento social, defendendo políticas que promovam o crescimento sustentável e o bem-estar da população brasileira.

REDES SOCIAIS

Mais Lidas

CATEGORIAS

Notícias Relacionadas