Mudança no tempo pode contribuir para gripes e resfriados em gatos

Especialista em medicina veterinária preventiva explica como fortalecer a saúde dos felinos

Assim como os seres humanos, os gatos também sofrem com as mudanças de temperaturas comuns nesta época do ano. Por causa de uma combinação de fatores, os felinos ficam mais suscetíveis a desenvolver uma infecção respiratória muito similar à gripe humana comum, a rinotraqueíte felina. Para identificar o problema, o tutor precisa observar o comportamento do gato e procurar ajuda especializada.

A médica veterinária especialista em felinos e em medicina preventiva, Candice Garcia, explica que a transmissão da doença acontece pelo contato com o vírus por meio de secreções do gato infectado, como espirros, tosse e lágrimas, além do contato com objetos contaminados. Para identificar os primeiros sintomas, o tutor precisa observar o comportamento do gatinho. “Normalmente, os gatos apresentam falta de apetite, às vezes, febre e também começam a ficar escondidos embaixo da cama. Essa época, infelizmente contribui bastante para que isso aconteça e as doenças costumam ser silenciosas nos gatos”, alertou.

A veterinária destaca também que a doença é mais grave em gatos idosos e filhotes. Por isso, o ideal é que o tutor procure um especialista para tratar a gripe e evitar possíveis complicações. “A gente faz um tratamento de suporte. Hidratar o gato, caso ele esteja desidratado, aplicar um antiviral e, se necessário, ministrar antibiótico com vitaminas para aumentar a imunidade e acabar com os sintomas. Caso não sejam tratados adequadamente, os gatos podem desenvolver rinite ou sinusite crônica. O vírus fica ali incubado e, sempre que houver estresse, algum problema que vá diminuir a imunidade, esse vírus aflora e os sintomas voltam a aparecer, independentemente da época”, explicou a especialista, que é diretora clínica da Toca dos Gatos, única exclusiva para felinos em Sergipe.

Prevenção

Ainda de acordo com Candice Garcia, é preciso que o tutor mantenha uma rotina de cuidados preventivos com o gatinho. Em muitos casos, quando a doença é percebida, o estado de saúde do gato é considerado grave. No caso dos gatos alérgicos ou com doenças respiratórias pré-existentes, como asma e bronquite crônica, os cuidados precisam ser redobrados.

“É importante procurar um veterinário preventivo para que ele tome as medidas necessárias. O Miau Prev, o clube preventivo da Toca dos Gatos, é uma alternativa para isso. Nós fazemos todos os exames preventivos e utilizamos métodos para fortalecer a saúde do gato e prevenir a doença”, explica a especialista em felinos.

Com o cuidado prévio, é possível também reforçar a imunidade dos gatinhos nos períodos com mais incidência de doenças, como o inverno. “Além de orientarmos os tutores a evitar ao máximo que o felino tenha contato com fumaça, principalmente das fogueiras, e evitar cheiros fortes, podemos dar alguns simbióticos e vitaminas especiais para manter a imunidade. A gripe pode agravar muito essas doenças e levar até ao óbito do gato”, finalizou Candice Garcia.

Sobre a Toca dos Gatos

Única clínica exclusiva para felinos em Sergipe, a Clínica Toca dos Gatos – fundada e capitaneada pela veterinária Candice Garcia – está localizada na Avenida Acrísio Cruz, n° 90, bairro Salgado Filho, em Aracaju. O horário de funcionamento é diferenciado: de segunda a sexta-feira, das 8h às 22h, e aos sábados, domingos e feriados, das 8h às 20h.

A Toca dos Gatos é referência na medicina felina no estado e pioneira no clube preventivo para gatos do Brasil. Além das consultas de rotina e de emergência, a clínica também oferta o serviço de internamento e possui laboratório próprio.

Mais informações estão disponíveis por meio dos telefones (79) 3211-2988 e (79) 98856 2863 (WhatsApp).

REDES SOCIAIS

Mais Lidas

CATEGORIAS

Notícias Relacionadas