Optometristas pedem regulamentação da profissão durante Tribuna Livre

Redação, 19 de Novembro, 2019

Nesta terça-feira, 19, durante Tribuna Livre na Câmara Municipal de Aracaju (CMA) profissionais da Optomentria pediram regulamentação da profissão, através da aprovação do Projeto de Lei 228/2019, de autoria da vereadora Emília Côrrea (Patriota). O presidente da Sociedade dos Ópticos e Optometristas do Estado de Sergipe (SOOSE), Eduardo Gomes Formiga, explicou sobre a área de atuação.

A optometria trabalha na recuperação física funcional da visão, atuando na fisioterapia ocular e tratamento do aparelho visual. Segundo o especialista, os profissionais não tratam doenças oculares. “Os profissionais de optometria estudam a visão humana por cinco anos na faculdade. A optometria chegou ao Brasil desde 1997, sendo uma profissão relativamente nova”, destacou Eduardo Formiga.

Em Aracaju, somente no centro da cidade, existem oito gabinetes de optometristas atuando. De acordo com o profissional, já existem três legislações municipais em vigor no país, sendo duas cidades na Bahia e uma em São Paulo.

Benefícios

No gabinete de optometria a população pode ter acesso a teste de acuidade visual; teste motores e movimentos oculares (fotometria) capaz de identificar estrabismo; teste de acomodação (amplitude e flexibilidade). O representante da categoria ainda destacou. “A profissão traz inúmeros benefícios e dá acesso direto aos cuidados preliminares da visão; acesso a população mais carente com profissionais de qualidade”, ressaltou.

Vereadores

O presidente da Casa Legislativa Municipal, Nitinho (PSD), se colocou a disposição para contribuir para a aprovação do Projeto. “No que for possível estarei empenhado em colocar este Projeto em votação no Plenário”.

O vereador Elber Batalha (PSB) afirmou não ter conhecimento da profissão, mas se comprometeu em se aprofundar sobre o assunto. “A matéria é curiosa e desconhecida pela maioria. Quero fazer uma reflexão do por que decidi que não mais me consultar oftalmologista famoso, depois de meia hora de entra em sala e sai de sala, o oftalmologista só olha os papeis e assina. O oftalmologista virou uma profissão cheia de glamour e deixou de ser humanizada”.

O vereador Isac Silveira (PCdoB) afirmou que o discurso de Eduardo Formiga deu um bom motivo para lutar. “É uma área nova para mim e a explicação deu um bom indício para lutarmos. Tenho certeza que será apresentado um Projeto coletivo para que não exista a briga de oposição e situação. As profissões ganham novas facetas e quero ajudar, os trabalhadores lutando pelo seu espaço”.

A autora da propositura que culminou na Tribuna Livre, a vereadora Emília Corrêa também apresentou o Projeto de Lei para regulamentação da profissão. “Já apresentei este Projeto porque conheço o trabalho. Já tramita o PL 228/2019, que é um Projeto bem simples mais que pode ajudar bastante. Facilita para os menos favorecidos. Peço que os colegas subscrevam o meu Projeto que beneficiam a população carente”.

Américo de Deus (Rede) afirmou que ficou feliz de saber que existem os gabinetes de optometria. “O importante não é de quem seja o Projeto e sim o beneficio da população, o vereador é apenas o instrumento. A minha segunda filha perdeu a visão de um olho com 28 anos, talvez se tivesse encontrado profissionais capacitados não teria chegado a este ponto. A saúde é um bem muito superior”.

O vice-presidente da Câmara, vereador Thiaguinho Batalha (PMB) parabenizou a autora da propositura. “O projeto é irrefutável e parabenizo a vereadora. É importante que gabinetes como este sejam criados e que a profissão seja regulamentada. É um projeto de interesse coletivo”.

Fonte: Ascom CMA
Foto: Gilton Rosas

O que você está buscando?