Inovação: Aracaju contará com simulador para contagem de leitos no combate ao coronavírus

Redação, 30 de Março , 2020

A Prefeitura de Aracaju passará a contar com uma ferramenta inovadora para o enfrentamento ao coronavírus na capital sergipana. A gestão terá a sua disposição um simulador para contabilizar a quantidade de leitos hospitalares existentes no município, antecipando ações de acordo com os cenários apresentados no processo de evolução de contágio do vírus na cidade. Elaborado pelo Instituto Arapyaú, com a colaboração do Núcleo de Inovação da administração municipal, o instrumento serviu como base para a elaboração de uma ferramenta semelhante pelo Ministério da Saúde. A apresentação do simulador para o prefeito Edvaldo Nogueira ocorreu nesta segunda-feira, 30.

“Fiquei muito satisfeito com o que vi. Este simulador era a peça que faltava em nosso plano de ações para o enfrentamento ao coronavírus em Aracaju. Ele dará uma grande contribuição ao nosso monitoramento, uma vez que nos possibilita, através de cálculos,  simular cenários a partir das medidas já adotadas na cidade para o combate ao vírus. É uma ferramenta que pode dar um norte aos gestores e mais condições de planejamento das ações. Ele é a prova da importância da inovação em uma administração pública e nos mostra o quanto é importante pensar fora da caixa. Não existe ainda uma ferramenta nacional que permita o que esse simulador nos permitirá. Esta é a primeira, consistente, que foi produzida. E o mais importante é que está baseado em dados científicos e não em achismos”, destacou Edvaldo ao conhecer o instrumento.

A ferramenta, que estará disponível em breve, através do site coronacidades.org, foi criada para fazer prospecções a partir de três cenários: para as cidades que não adotaram nenhum tipo de distanciamento social, para os municípios que já tenham medidas neste sentido e para aquelas com ações mais rigorosas, submetidas ao lockdown. “A ideia é ajudar os municípios a entenderem como é a necessidade de leitos de retaguarda e de UTIs em cada cenário. Como se trata de um cálculo bastante técnico, estamos falando de um modelo matemático que é exclusivo para casos epidemiológicos, ele é complexo. Possui uma série de variáveis, uma equação diferenciada, então a ideia é que a gente disponibilize isso o quanto antes”, explicou a gestora do Arapyaú, Larissa Leme.

Larissa explicou também com foi o processo de elaboração do instrumento usado, atualmente, pelo Ministério da Saúde, com base na metodologia usada pelo instituto. “Assim que o ministério soube do nosso simulador, nos pediu para ver o modelo. Eles reconheceram a consistência, olharam os códigos que usamos e desenvolveram um aplicativo para fazer essa análise. Então acreditamos que vai somar muito para as decisões, porque a partir do simulador o gestor vai poder tomar decisões adequadas, visando não somente um melhor atendimento, mas também um menor número de pessoas infectadas”, detalhou.

A gestora ressaltou, ainda, que a ferramenta poderá ser acessada por toda a população e que será fundamental para a tomada de decisões na capital sergipana. “Vai ficar online. Estamos fazendo os últimos ajustes, mas todo mundo poderá acessá-lo, a partir de uma aba do site. Vai ficar disponível para outras cidades também, mas é preciso destacar que em Aracaju, como já trabalhávamos com a Saúde, tínhamos uma noção dos dados, de onde buscar informações. Entendemos como o município se organiza, então essa proximidade com Aracaju foi muito importante para que a gente partisse já lá da frente, entendendo como funciona o sistema e ajudando a partir das demandas do município”, salientou.

A secretária da Saúde Waneska Barboza destacou que o simulador “é exatamente a ferramenta que precisamos para ter um parâmetro do número de leitos”. “Vai nos auxiliar a prever, deixar disponível para que não sejamos pegos de surpresa, chegando a necessidade de pacientes internados sem que tenhamos a dimensão do quanto é preciso. É uma ferramenta que já vínhamos discutindo, qual parâmetro poderíamos utilizar, quantos leitos teríamos disponível dentro da capacidade do município, então será muito importante. Além disso, com o simulador ficará mais padronizado porque é um instrumento que será usado a nível nacional e nos dará um norte, quanto aos leitos que temos, aos que vamos precisar, para melhorar ainda mais o nosso planejamento”, ratificou.

Acompanharam a apresentação os secretários Waneska Barboza (Saúde), Carlos Cauê (Comunicação) e Jeferson Passos (Finanças).

Fonte: PMA
Foto: Ana Lícia Menezes

O que você está buscando?