Judiciário decreta falência da Avianca Brasil

Redação, 15 de Julho, 2020 - Atualizado em 15 de Julho, 2020

 

O juiz Tiago Henriques Papaterra Limongi, da 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais de São Paulo, decretou nesta terça-feira (14) a falência da companhia aérea Avianca Brasil, que terá 60 dias para apresentar a relação dos seus ativos.

A companhia entrou com o pedido de recuperação judicial em dezembro de 2018, quando se declarou sem condições de pagar dívidas estimadas à época em R$ 494 milhões. Depois o valor da dívida foi corrigido para cerca de R$ 2,7 bilhões.

Na semana passada, a Avianca já havia pedido ao Judiciário para ter sua falência decretada por não conseguir cumprir o plano de recuperação judicial.

Crise na Avianca

Quarta maior companhia aérea do Brasil, a Avianca pediu recuperação judicial em dezembro de 2018. Em abril de 2019, o plano foi aprovado por 80% dos credores em assembleia-geral. No mesmo mês, a empresa começou a devolver aeronaves para pagamento de dívidas, levando ao cancelamento de milhares de voos em todo o país.

Em ‪24 de maio, a Anac suspendeu de vez as operações da Avianca no Brasil. No auge, a companhia aérea chegou a ter 5.300 funcionários e 40 aeronaves, que realizavam 241 voos diários. Em 2018, o número de passageiros passou dos 11 milhões, e a participação da Avianca no mercado de aviação civil brasileiro era de 12,36%. Mas os dados financeiros da companhia começaram a piorar a partir de 2014, chegando ao pedido de recuperação judicial no fim do ano passado.

O que você está buscando?