Senadora Maria do Carmo defende prorrogação do auxílio emergencial

Redação, 29 de Dezembro , 2020

A senadora Maria do Carmo Alves (DEM) defendeu hoje (29), a prorrogação do auxílio emergencial, programado para findar neste mês de dezembro. Diante da alta taxa de desemprego e da falta de perspectiva para a retomada da economia nos próximos meses, no seu entender, o Governo deve estender o benefício até o próximo ano, garantindo a manutenção dos sustento de milhares de brasileiros que têm esse auxílio como única fonte de renda.

“Esse dinheiro circula e, naturalmente, ajuda o comércio e movimenta a atividade econômica. As pessoas de comunidades de baixa renda, geralmente, compram em comércios da redondeza. Garantir esse recurso por mais um tempo é, também, ajudar esses pequenos comerciantes que têm enfrentado a pandemia com muita dificuldade”, considerou Maria do Carmo. “O Governo já disse que não tem a intenção de prorrogar, mas temos que buscar alternativas para que a suspensão não ocorra nesse momento, pois muitos cidadãos não têm perspectiva de outra receita”, completou.

Maria ressaltou que a pandemia mostrou de forma mais profunda a desigualdade social. As disparidades, de acordo com ela, foram perceptíveis em vários cenários, sobretudo, na forma de proteção para evitar a contaminação pelo novo coronavírus. “Vimos famílias, com 10, 12, 15 pessoas dividindo um barraco de um ou dois cômodos, com pessoas infectadas e sem a mínima condição de manter o devido distanciamento social. Esses indivíduos, em geral, não dispunham de condições para comprar, sequer, material de higiene pessoal, tão importante para afastar a possibilidade de contaminação pelo vírus”, relatou a senadora.    

Para Maria do Carmo, faz-se necessário manter esse “socorro para que os cidadãos menos favorecidos economicamente possam continuar sobrevivendo com dignidade”. Na sua avaliação, garantir essa renda é uma forma de abrandar a crise gerada pela pandemia, iniciada em meados de março e que tem deixado um rastro doloroso, especialmente, nas camadas sociais menos assistidas. 

Fonte: Assessoria de Imprensa

O que você está buscando?