Qual a carga mental do empoderamento?

Redação, 05 de Abril , 2021 - Atualizado em 05 de Abril, 2021

 

A luta feminina por espaços sociais e econômicos avança ano a ano. O número de mulheres empreendedoras e responsáveis pela geração de renda demonstra isso. Em Sergipe, as mulheres representam 39% das empresas em funcionamento, consolidando o estado como o primeiro, em termos percentuais, no ranking entre as unidades da federação quando o assunto é empreendedorismo feminino.

 Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio Contínua (PNADC), do IBGE. Mas qual a carga mental do empoderamento? Essa questão foi discutida em live da série ‘Mulheres que inspiram’, promovida pela Universidade Tiradentes. 

 Danielle Thais Barros, coordenadora da área de Humanas e Ciências Sociais Aplicadas da Universidade Tiradentes; Flávia Barbosa, formada em Comunicação Social pela Unit e Marilene Dantas, egressa de Direito e empresária do ramo de estética, abordaram o tema.

 “Precisamos delegar para que não fiquemos sobrecarregadas e comprometamos o trabalho. Temos que ter cuidado com as finanças e investir”, ensinou Marilene.

 Confiança

Contar com mais mulheres empreendendo gera mais renda para as famílias, mais empregos e mais confiança para elas. Flávia Barbosa falou sobre os julgamentos que as líderes mulheres enfrentam.

“As histórias são parecidas em relação aos estereótipos, às comparações.  Temos que empreender um esforço muito maior para provar nossa competência e vencer as resistências. Ainda assim, encontramos resistência e competição entre o público feminino”, relatou Flávia.

Assista à live completa www.youtube.com/watch?v=deItqWHHxtI.

Fonte: Assessoria de Imprensa | Unit

O que você está buscando?