Médico brasileiro salva vida de medalhista paralímpico na Vila Olímpica

Redação, 08 de Setembro , 2021 - Atualizado em 08 de Setembro, 2021


Médico Leonardo Mota no centro da imagem

A vida do medalhista de ouro nos Jogos Paralímpicos de Tóquio no tênis em cadeiras de rodas, Joachim Gerard, 32 anos, natural da Bélgica, foi salva pelo médico da delegação brasileira de vôlei sentado, Leonardo Mota. O fato aconteceu na noite do dia 3 de setembro, no prédio ao lado onde ficou hospedado a equipe do Brasil.

O paratleta foi encontrado desacordado, caído no chão, por um membro da delegação do Brasil que avisou ao médico da Confederação Brasileira de Voleibol para Deficientes. De imediato, o profissional se deslocou até o local e iniciou as manobras de ressuscitação, fazendo uso do desfibrilador com sucesso.

“Corri o mais rápido que pude pois imaginei que seria um caso de parada cardíaca. Quando cheguei me deparei com o Gerard caído inconsciente e recebendo atendimento de seu treinador. Me identifiquei e já assumi as manobras de ressuscitação. Usamos o desfibrilador com sucesso e ele retornou no primeiro choque que recebeu. Continuei o tratamento com acessos venosos, soro e pedido de ambulância”, contou o médico Leonardo Mota.

O profissional comentou os procedimentos adotados pela equipe de salvamento que chegou após seu atendimento primário. “Quando a ambulância chegou ele já estava consciente, orientado e sem saber o que tinha acontecido. Conversei com o médico japonês e o belga e expliquei o que tinha feito e qual era a suspeita. No hospital universitário de Tóquio descobriram uma doença cardíaca que predispunha a morte súbita”, revelou o médico brasileiro.

Fonte: Assessoria de Imprensa/CBVD

O que você está buscando?