Milhares de brasileiros podem deixar de ser ilegais nos EUA após aprovação de projeto no congresso

Redação, 21 de Setembro , 2021


O projeto do congressista da Califórnia, Alex Padilla, visa deixar os milhares de imigrantes, não só os ilegais, mas também aqueles que possuem visto de estudante, de turista, de trabalho, entre outros, de forma legalizada nos EUA.

Liderado pelo senador, seu primeiro projeto de lei no Congresso, tem como alvo os 5 milhões de trabalhadores sem status legal nos EUA, que trabalham no transporte público, saúde, agricultura e outros serviços que não pararam durante o lockdown. Considerados serviços essenciais, o “essencial work” tem como objetivo beneficiar todos os indocumentados que trabalharam na linha de frente durante a pandemia do Covid-19. O projeto de lei visa conceder o status de Residência Legal, mais conhecido como Green Card.

"Esses heróis arriscaram a saúde e suas vidas para manter nossas comunidades seguras e nossa economia em movimento e conquistaram um caminho para a cidadania. Meus pais imigraram do México para os Estados Unidos. Meu pai trabalhava como cozinheiro e minha mãe costumava limpar casas, trabalhos que hoje seriam considerados essenciais”, argumenta Alex Padilla, congressista da Califórnia.

Com esse documento o imigrante passa a contar com os mesmos direitos de um cidadão americano. Pode trabalhar em qualquer local do País, fazer cursos com preços mais em conta, além claro, de ficar de forma legalizada. Mas fique de olho, o cartão que garante a residência na terra do tio Sam, não permite que indivíduo permaneça mais de um ano fora do país.

Para conseguir esse documento, várias pessoas entram em contato com especialistas em processos migratórios, que é caso da Arleth Bandera, brasileira que mora no Vale do Silício, Califórnia e CEO da Eagle Intercâmbio, primeira e única agência de intercâmbio feita 100% de brasileiros. “Aqui na Eagle trabalhamos com vários processos migratórios, como o green card. Esse projeto do Alex Padilla ajudará milhares de imigrantes a permanecerem de forma legalizada nos EUA e acredito que será uma grande vitória para muitos, que contribuem com a economia local e poderão se tornar cidadãos” – resume.  

Ainda segundo a especialista em processos migratórios, a procura pelo processo de Green Card, aumentou 50% em comparação com o ano passado e com esse novo projeto a tendência é aumentar ainda mais nos próximos meses. “O processo deve ser feito por uma equipe especializada, já que envolve o levantamento dos documentos, preenchimento de formulários até as sessões com o departamento de imigração.”, conclui Arleth Bandera.  

Para saber mais detalhes sobre o projeto de lei, se você se enquadra nos milhares de beneficiários e quer prosseguir com a solicitação do Green Card, acesse: www.eagleintercambio.com

 

Sobre: A Eagle intercâmbio é uma startup localizada no Vale do Silício (Califórnia), sendo a primeira agência de intercâmbio feita totalmente por brasileiros na região. Com clientes oriundos de diferentes localidades, a presença física da equipe da Eagle nos Estados Unidos, único destino atendido pela agência, permite com que a empresa dê suporte em tempo real, aos seus alunos, entendendo e identificando as necessidades de cada um deles. Dessa forma, a startup faz parte de um seleto grupo de agências, com um dos maiores índices de aprovação de vistos para alunos brasileiros, carregando em sua trajetória até hoje mais de 1000 alunos brasileiros formados pela Eagle. Para saber mais acesse: www.eagleintercambio.com

 

Assessoria de Imprensa: Publikaí

O que você está buscando?