Hospital Renascença está há mais de 60 dias sem lesões por pressão

Redação, 19 de Outubro , 2021

A lesão por pressão (LPP) é uma das principais adversidades na assistência à saúde e impacta negativamente na segurança do paciente. No contexto atual, da pandemia da Covid-19, novos desafios surgiram e diversas estratégias assistenciais foram implementadas pelos profissionais de enfermagem. Durante os meses de agosto e setembro de 2021, o Hospital Renascença reduziu a incidência de LPP para 0% na unidade de internamento clínico com perfil de pacientes de alta dependência, aqueles com risco alto para o desenvolvimento de LPP, obtendo assim, 60 dias sem lesões.

Ter o registro dessa estatística significa que reduz as chances de infecção e diminui o tempo de internação do paciente, além de o fato mostrar que ter uma equipe multiprofissional eficiente e preparada faz diferença. A enfermeira estomaterapeuta e coordenadora da comissão de pele, Daniele Amorim, juntamente com a coordenadora de internamento, Flávia Moura, têm presenciado diariamente o cuidado a esses pacientes e explica sobre os desafios enfrentados. De acordo com a profissional “É necessário reforçar a importância de treinamentos da equipe de enfermagem sobre medidas de prevenção e tratamento de LPP, assim como atualização científica de protocolos e boas práticas clínicas”, explica Danielle.

A equipe assistencial de enfermagem do Renascença, diariamente, monitora essas ações na busca de um cuidado seguro e livre de danos para os clientes. Algumas estratégias foram reforçadas como: mudança de cultura organizacional engajando equipe utilizando da ferramenta da comunicação efetiva; Treinamento das Lideranças; Treinamento sobre medidas de prevenção e tratamento de lesão por pressão utilizando metodologias ativas; Planejamento da assistência de enfermagem a pacientes com risco de desenvolvimento de lesões; Além de atualização de protocolos com inserção de coberturas tecnológicas e da criação de checklists de monitoramento da aplicabilidade dos protocolos.

O que é lesão por pressão

A lesão por pressão é um dano localizado na pele e/ou tecidos moles subjacentes, geralmente, sobre uma proeminência óssea ou relacionada ao uso de dispositivo médico ou a outro artefato, provocadas pela interrupção do fornecimento de sangue para a área. A lesão pode se apresentar em pele íntegra ou como úlcera aberta e pode ser dolorosa. Ocorre como resultado da pressão intensa e/ou prolongada em combinação com o cisalhamento. A tolerância do tecido mole à pressão e ao cisalhamento pode também ser afetada pelo microclima, nutrição, perfusão, comorbidades e pela sua condição.
Atualmente o termo lesão por pressão pode ser aplicado a qualquer lesão cutânea provocada pela exposição da pele a uma combinação de fatores físicos incluindo pressão, fricção, cisalhamento e umidade. São também denominadas popularmente e de forma inadequada de úlcera de decúbito e escaras. Seus índices de prevalência e incidência têm aumentado, embora existam poucos trabalhos sobre incidência e prevalência de lesão por pressão no Brasil, um estudo realizado em um hospital geral universitário evidenciou uma incidência de 39,81%. O que reforça a importância do Renascença ter zerado por mais de 60 dias casos assim.

A lesão por pressão (LPP) é um dos principais eventos adversos na assistência à saúde e impacta negativamente na segurança do paciente. No contexto atual da pandemia da Covid-19, novos desafios surgiram e diversas estratégias assistenciais foram implementadas pelos profissionais de enfermagem. Durante os meses de agosto e setembro de 2021 a Clínica e Hospital Renascença reduziu a incidência de LPP para 0,0% na unidade de internamento clínico com perfil de pacientes de alta dependência com risco alto para o desenvolvimento de LPP obtendo assim 60 dias sem lesões.

A Coordenadora da Comissão de Pele, a Enfermeira Estomaterapeuta Daniele Amorim tem presenciado diariamente o cuidado a esses pacientes e explica sobre os desafios enfrentados. De acordo com a profissional “É necessário reforçar a importância de treinamentos da equipe de Enfermagem sobre medidas de prevenção e tratamento de LPP, assim como atualização científica de protocolos e boas práticas clínicas”. Sendo assim, a equipe assistencial de enfermagem diariamente monitora estas ações na busca de um cuidado seguro e livre de danos para os nossos clientes.

Fonte: Assessoria de Imprensa

O que você está buscando?