Valmir de Francisquinho diz que tem coragem de disputar o Governo

Redação, 23 de Outubro , 2021


Ex-prefeito de Itabaiana se manifestou sobre encarar uma candidatura a governador, mas lembrou: “é preciso entender o que o povo quer”
 
Em mais uma detalhada entrevista, desta vez concedida ao radialista Gilson Ramos, o Gata Amarrada, na Rio FM de Estância, nesta quinta-feira, 21, o ex-prefeito de Itabaiana, Valmir de Francisquinho (PL) voltou a responder sobre diversos assuntos, fez um histórico de sua trajetória política, destacou suas ações enquanto prefeito da cidade serrana e foi muito incentivado pelos ouvintes da emissora em participações ao vivo.
 
Mas foi quando o assunto dominante na entrevista se concentrou em política e nas próximas eleições que as declarações mais incisivas surgiram. Provocado pelo radialista Gata Amarrada, que também é vereador pelo município de Tobias Barreto, se teria coragem de encarar uma disputa pelo governo em 2022, Valmir não saiu pela tangente. “Coragem eu tenho, pois a coragem precede todas as demais qualidades”, declarou o ex-prefeito. Mas Valmir fez uma análise profunda do quadro político atual e asseverou: “é preciso entender o que o povo quer”.
 
Para explicar essa afirmação, Valmir voltou no tempo, mais precisamente ao ano de 2012. “Eu fui vereador por cinco mandatos em Itabaiana. Sempre o mais votado. Em 2008 tive 5 mil votos e o prefeito que se elegeu teve 21 mil. Eu tive um quatro dos votos do prefeito, isso com 101 candidatos a vereador, naquele ano. E ali o povo é começou a se manifestar por uma candidatura minha a prefeito”, lembrou Valmir, destacando que as manifestações se avolumaram a ponto de, em 2012, ele, enfim, se manifestar também. “Eu pedi uma chance. E o povo me deu. Recebi a prefeitura das mãos da Justiça, interditada, com 4 meses de salários atrasados e R$ 33 milhões em dívidas. Como recebi a chance, a oportunidade do povo, fui trabalhar”, resumiu.
 
Já em 2016, ano de sua reeleição, Valmir destaca como sendo o ano em que a população de Itabaiana dava sua resposta ao pedido de uma oportunidade feito por ele quatro anos antes. “Eu tive quase 36 mil votos e meu adversário 18 mil. Foi dois por um. Estava ali a resposta do povo”. Nesse ponto, Gata Amarrada voltou a fustigar: “mas você está falando de suas gestões, que todos reconhecem como muito boas. Mas e quanto ao governo?” Valmir não se fez de rogado: “mas é importante que todos saibam a história, a revolução, as mais de 1000 ruas calçadas, asfaltadas, todas com esgotamento sanitário; que chegamos em todos os povoados com urbanização e serviços, que construímos creches, escolas, postos de saúde, que foi a nossa gestão a primeira e única a adquirir, com recursos próprios, uma usina de asfalto. Mas não se preocupe, pois vou responder sobre a eleição, sim!”, enfatizou Valmir de Francisquinho.
 
“Tenho conversado com todos”, disse o ex-prefeito, reforçando que essa atitude deve ser vista e entendida como a preocupação dele com o futuro do Estado e com o diálogo como ferramenta de construção das soluções necessárias e aguardadas pela população sergipana.
 
E Valmir prosseguiu. “Terminei minha gestão, no ano passado, com 86% de aprovação. Pesquisas mostram que temos 70% da intenção de votos nos municípios do Agreste. Esse sentimento, se se espalhar pelo Estado, pode ser decisivo. Mas aí é que está: tudo depende da vontade do povo”, enfatizou o ex-prefeito itabaianense.
 
“E tem mais: Belivaldo está governando. Em algum momento caberá a pergunta à população: está bom, está funcionando? Se sim, tem os nomes de Fábio Mitidieri, Laércio Oliveira, o próprio Edvaldo Nogueira, prefeito de Aracaju, e mesmo o nome do conselheiro Ulisses Andrade. E também tem o senador Rogério Carvalho, tem Danielle Garcia. O povo é que, naturalmente, deve se manifestar, sem problema algum”, disse Valmir, não deixando de incluir o próprio nome para a avaliação da população. “Agora, decisão de candidatura, só no ano que vem”, finalizou Valmir de Francisquinho.

Por: assessoria 

O que você está buscando?