Mutuários cobram à Caixa Econômica e as construtoras recuperação de rua em loteamento de Socorro

Redação, 27 de Outubro , 2021

Está praticamente impossível a passagem de qualquer carro pela Rua 9, no Loteamento Guajará City Parque, no Guajará, em Nossa Senhora do Socorro. A localidade é um empreendimento de residências construídas com recursos do Fundo de Garantia Por Tempo de Serviço (FGTS), para o Programa Minha Casa, Minha Vida!, do Governo Federal.

Como toda obra construída com recursos públicos tem garantia de cincos anos, os mutuários solicitam à Caixa Econômica Federal e as construtoras ou incorporadoras, que consertem o calçamento a paralelepípedos da rua, pois da forma que está, “até para colocar o carro na garagem é um verdadeiro sacrifício”, declarou um morador que prefere não ser identificado.

Outro comprador que também opta pelo anonimato, declara que “a maioria dos contratos de compra foi assinada no final de 2019 e começo de 2020, ou seja, as casas e o calçamento da Rua 9, ainda vão completar, ou no máximo, completaram dois anos, e já estão assim, praticamente sem condições de passar carro. Por causa disso, alguns estão desistindo do sonho da casa própria nesta localidade”.

O trecho da Rua 9 que está praticamente intransitável e dificultando o acesso a algumas garagens, fica entre o início e o número 151. Com a destruição do calçamento só passa carro por um lado, pois o outro além de irregular está tomado de mato.

Na prestação mensal de pouco mais de R$ 515,00 que os mutuários pagam à Caixa Econômica Federal está incluso o Seguro no valor de R$ 16. O financiamento de cada imóvel é para 360 meses, o equivalente a 30 anos.

Os moradores também aproveitam para solicitar a Prefeitura de Nossa Senhora do Socorro que melhore o acesso da entrada do Guajará, principalmente a partir da BR 101.

 

O que você está buscando?