Senador Alessandro e MPSE discutem situação do Hospital de Cirurgia

Redação, 23 de Novembro , 2021

A saúde dos sergipanos foi o tema da reunião entre o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) e o Procurador-Geral de Justiça, Manoel Cabral Machado Neto, na manhã desta segunda-feira (22), no Ministério Público do Estado de Sergipe (MPSE). O ponto de atenção é o Hospital de Cirurgia, que está atualmente passando por uma grave situação devido ao atraso no repasse de R$ 58 milhões por parte do Governo de Sergipe.

De acordo com o senador Alessandro, o Hospital de Cirurgia já reduziu 1/3 do volume de cirurgias, cancelou as consultas oncológicas de primeira vez, interrompeu cirurgias que não são urgentes nas áreas de ortopedia, cardiologia e retirada de tumores. Também houve interrupção no pagamento de fornecedores e no pagamento de cooperativas médicas.

"Convocamos a parceria do Ministério Público nesse trabalho de atenção à saúde dos sergipanos. O Governo do Estado tem recursos retidos que não repassa para o Hospital de Cirurgia. Isso está gerando fila nas operações, nos atendimentos às pessoas. São sergipanos com doenças graves, morrendo na fila porque o Governo não faz o repasse desses recursos federais que estão na conta do Estado. A atuação do Ministério Público é essencial para regularização e normalização da situação", destaca.

Há 10 dias, Alessandro Vieira enviou ofício ao Governo de Sergipe solicitando justificativa para o atraso destes pagamentos, pedindo também o comprovante das tratativas para a realização dos repasses e o cronograma da programação dos pagamentos devidos. Até agora, o Governo não se manifestou, tampouco regularizou os repasses.

“O atraso, sem justificativa, desses R$ 58 milhões para o Hospital de Cirurgia impactam diretamente no atendimento da população, especialmente num momento em que ainda estamos em pandemia, mas com a abertura das cirurgias eletivas. Já temos, atualmente, fila de espera para cirurgias neurológicas, cardíacas, ortopédicas e urológicas. Esta inadimplência do Governo do Estado pode agravar ainda mais o atendimento à população caso venha a ser necessário interromper as atividades”, alerta Alessandro Vieira.

Na oportunidade, o Ministério Público do Estado de Sergipe (MPSE) informou que já instaurou procedimento administrativo, e que nas próximas semanas estará com a diretoria do Hospital de Cirurgia para apurar e acompanhar a situação. "O MPSE tem um trabalho relevante na fiscalização da saúde dos sergipanos, mas é preciso aumentar a incisividade, uma vez que o Governo resiste a fazer os repasses obrigatórios ao Hospital de Cirurgia. Importante registrar que no passado, este tipo de atraso, que na prática inviabiliza o funcionamento da unidade hospitalar, já serviu como meio imoral e inescrupuloso para a obtenção de vantagens políticas ou mesmo financeiras", ressalta o parlamentar.

O que você está buscando?