Instituto de Identificação conclui mais de 170 mil solicitações de RGs em 2021

Mais de 60% do atendimento feito pelo instituto ocorreu nos postos do interior de SE

Redação, 10 de Janeiro , 2022

O Instituto de Identificação Papiloscopista Wendel da Silva Gonzaga (IIWSG) concluiu o processo de emissão e entrega das carteiras de identidade de mais de 170 mil cidadãos durante o ano de 2021. Dos atendimentos feitos no ano passado, mais de 60% ocorreram nas unidades do interior sergipano. O volume de carteiras de identidade emitidas no período foi possível com a implementação do novo sistema de solicitação do RG que ampliou o atendimento em todo o estado, diminuindo os deslocamentos dos cidadãos para Aracaju.

O diretor do Instituto de Identificação, Jenilson Gomes, explicou que a atualização no sistema de solicitação de carteira de identidade aumentou a capacidade de atendimento em todo o estado. “Em média, 40% das pessoas que compareceram aos postos tinham alguma pendência na documentação. Com o pré-atendimento online, com a triagem feita previamente, foi garantido que o cidadão apenas comparecesse com toda a documentação para a emissão do RG”, ressaltou.

Além disso, conforme Jenilson Gomes, o novo sistema expandiu o atendimento para o interior sergipano diminuindo os deslocamentos à capital. “Antes, o cidadão era obrigado a vir para Aracaju, em especial para a sede do instituto. Com a implantação de novas unidades de atendimento no interior, esse serviço foi possível. Hoje, só no interior, o IIWSG conta com 43 unidades em funcionamento”, destacou.

Na capital, também houve ampliação do atendimento do Instituto de Identificação Papiloscopista Wendel da Silva Gonzaga. “Em Aracaju, o instituto saiu de quatro para 11 unidades de atendimento, sendo que desses postos, alguns são para o atendimento de público específico, o que potencializa o atendimento e garante o respeito ao cidadão”, salientou o diretor do IIWSG.

O novo processo de pré-atendimento on-line, através do site da SSP, também reduziu custos para o cidadão, já que não é mais necessário o pagamento pela foto e pelas cópias dos documentos. “É mais econômico. O cidadão tira a foto no próprio celular e digitaliza os documentos já economizando dinheiro da foto e das cópias. É perceptível também que era extremamente desgastante para o cidadão que tinha que madrugar. Hoje, o cidadão pode ser atendido em qualquer unidade do Instituto de Identificação”, concluiu Jenilson Gomes.

O que você está buscando?