Estudantes e professores são premiados na 16ª Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas

Na rede pública estadual, 32 alunos e 10 professores foram premiados

Redação, 21 de Janeiro , 2022

A Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura (Seduc) informa que foi divulgado o resultado da 16ª Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP). Ao todo, 32 estudantes sergipanos da rede pública estadual foram finalistas e receberão medalhas, dentre os quais também serão reconhecidos com certificados de Menção Honrosa. 

Para o técnico do Serviço de Apoio ao Desenvolvimento Educacional (Seades/Seduc), Jorge Monteiro, com a notícia da premiação no início do ano, “o Seades estará muito mais empenhado na participação dos alunos da Rede Estadual nas diversas Olimpíadas, Projetos Científicos, Jovem Embaixador, Exposição AVIE, e tantos eventos não menos importantes”, disse. 

Criada em 2005 para estimular o estudo da matemática e identificar talentos na área, a OBMEP tem como objetivos principais estimular e promover o estudo da Matemática; contribuir para a melhoria da qualidade da educação básica, possibilitando que um maior número de alunos brasileiros possa ter acesso a material didático de qualidade; identificar jovens talentos e incentivar seu ingresso em universidades, nas áreas científicas e tecnológicas; entre outros. 

O público-alvo da Olimpíada é composto de alunos do 6º ano do Ensino Fundamental até o último ano do Ensino Médio. Emilly Vitoria Leite Rezende e Filipe Nunes Rezende, primeira e segundo colocados são da Escola Estadual Prof. Nestor Carvalho Lima, localizada no município de Itabaiana. Já Guilherme Trindade Souza, foi o terceiro colocado representando a Escola Estadual Tobias Barreto, sediada no município de mesmo nome. 

Hoje no 9º ano, Emilly Vitória comenta que conheceu a Olimpíada ainda no 6º ano, quando participou pela primeira vez e não obteve nenhuma medalha, o que não a fez desistir. “Minha professora me incentivou bastante a estudar pelo material disponibilizado no site da OBMEP. No 7° ano acabei ganhando medalha de bronze e fiquei muito feliz. Participei do programa de iniciação científica da OBMEP e me aprofundei ainda mais na matemática, que sempre gostei. Estudei muito durante esse período e consegui ganhar medalha de ouro. Estou muito feliz!”, contou, reforçando que a olimpíada fez com que ela gostasse ainda mais da disciplina. 

O jovem Filipe Nunes Rezende alcançou o segundo lugar na etapa do Ensino Médio. Ele já é veterano na Olimpíada, pois já é a terceira vez que conquista medalhas. “Não é a primeira vez que participo, na verdade é a terceira vez que ganho medalha, mas nunca nesse nível, pois, como nenhum outro aluno chegou ao patamar de ganhar medalha de ouro no nível 3, eu consegui a maior nota da categoria, que inclui todo o Ensino Médio. Me sinto muito feliz por perceber que todo o meu esforço ao longo desses anos estudando está gerando resultados, isso me dá uma felicidade e uma motivação enorme”, disse. 

Professores premiados

A OBMEP também premia os professores pela participação. Em Sergipe, 17 professores foram premiados, sendo 10 deles atuantes nas escolas estaduais. A professora Tasquia Teles da Silva leciona na Escola Estadual Prof. Valnir Chagas, localizada em Aracaju, foi uma das professoras reconhecidas na Olimpíada. Ela explica que desde o início do ano letivo toda a equipe de professores de Matemática busca envolver os alunos com atividades lúdicas, jogos, informações numéricas sobre assuntos atuais, etc. 

“Procuramos por atividades que façam com que eles compreendam e consigam enxergar a matemática no cotidiano e não pensem que são apenas conteúdos secos e sem aplicabilidade na vida. Fazendo isso conseguimos despertar o interesse de muitos alunos, e dai falamos das olimpíadas que é uma oportunidade deles mostrarem o conhecimento e serem reconhecidos com medalhas, projetos de iniciação científica e menções honrosas”, concluiu.

O que você está buscando?