Contratação Anônima: saiba por que empresas brasileiras a têm adotado

Redação, 24 de Outubro , 2023 - Atualizado em 24 de Outubro, 2023

Diversidade, igualdade e inclusão são temas cada vez mais em alta e têm sido relevantes e essenciais para todos os setores da sociedade. Por isso, no contexto laboral surgiu um novo modelo de contratação que é anônimo, conhecido como recrutamento às cegas. 

O método consiste em omitir a identidade do candidato durante as primeiras etapas do processo seletivo. Todas as informações pessoais que poderiam gerar preconceitos — como nome, idade, gênero, etnia e endereço — são ocultadas até o final da seleção. 

O principal objetivo do recrutamento às cegas é eliminar ou ao menos diminuir os vieses inconscientes que frequentemente influenciam o processo de seleção de candidatos. Vieses como racismo, misoginia, etarismo e outros preconceitos podem influenciar negativamente as decisões dos recrutadores, prejudicando candidatos talentosos e competentes. 

Segundo Neidy Christo, administradora e presidente da Associação Brasileira de Recursos Humanos – Seccional Espírito Santo, o conceito não é novo. Mas a aplicação e a conscientização sobre a importância da diversidade e da inclusão têm aumentado significativamente, nos últimos anos, à medida que mais empresas reconhecem os benefícios de uma força de trabalho diversificada e buscam práticas de contratação mais justas. 

“Essa tendência é impulsionada pela necessidade de promover a diversidade e a inclusão nas organizações. Embora algumas empresas já adotem essa abordagem, ainda há espaço para evolução e conscientização sobre os benefícios do recrutamento às cegas: a implementação pode variar dependendo do setor, tamanho da empresa e cultura organizacional”, explica a administradora. 

Benefícios

Os resultados do recrutamento às cegas têm sido bem recebidos pelos stakeholders das empresas que adotam o método. Colaboradores, clientes e investidores veem a política de contratação como uma forma concreta de comprometimento com a diversidade e inclusão, o que pode melhorar a imagem e a reputação das organizações. 

Ao optarem por esse tipo de contratação, as instituições despertam maior sensação de pertencimento e confiança no ambiente de trabalho, resultando em maior produtividade e engajamento. Para Elcio Teixeira, CEO da ‘Heach Consultoria em Gestão de Pessoas’, as empresas já estão atentas a tais mudanças e têm buscado transformar o ambiente de trabalho para ampliar as opções de candidatos.

“Diversas empresas já estão buscando diversificar suas equipes e evitar qualquer tipo de viés que atrapalhe o processo de contratação, por isso elas ampliam seus programas de diversidade e inclusão. Com um nível maior de maturidade, esses vieses são drasticamente reduzidos”, diz Teixeira. 

Leia o desdobramento e o restante dessa matéria na RBA 155.

Por: CFA


Siga os canais do Portal 93 Notícias: YouTube, Instagram, Facebook, Threads e TikTok

Participe da comunidade da 93 Notícias no Whatsapp e receba as principais notícias do dia direto no seu celular. Clique aqui e se inscreva.

O que você está buscando?

google-site-verification=GspNtrMqzi5tC7KW9MzuhDlp-edzEyK7V92cQfNPgMc api.clevernt.com/3ed9a8eb-1593-11ee-9cb4-cabfa2a5a2de/ google-site-verification=GspNtrMqzi5tC7KW9MzuhDlp-edzEyK7V92cQfNPgMc UA-190019291-1 google-site-verification=GspNtrMqzi5tC7KW9MzuhDlp-edzEyK7V92cQfNPgMc